terça-feira, 30 de abril de 2013

HOJE: Palestra do poeta Gastão Cruz …


Esta noite, pelas 20 h. o Instituto Português de Cultura apresenta, no Cantinho da Cultura do Centro Português o poeta, crítico literário, tradutor e encenador Gastao Cruz. A palestra leva por título: Depois de Fernando Pessoa, a poesia portuguesa nas décadas de 40, 50 e 60.

Como poeta, o seu nome aparece inicialmente ligado à publicação colectiva Poesia 61 (que reuniu Gastão Cruz, Casimiro de Brito, Fiama Hasse Pais Brandão, Luiza Neto Jorge e Maria Teresa Horta), uma das principais contribuições para a renovação da linguagem poética portuguesa na década de 60. Como crítico literário, coordenou a revista Outubro e colaborou em vários jornais e revistas ao longo dos anos sessenta - Seara Nova, O Tempo e o Modo ou Os Cadernos do Meio-Dia (publicados sob a direcção de Casimiro de Brito e António Ramos Rosa). Essa colaboração foi reunida em volume, com o título A Poesia Portuguesa Hoje (1973), livro que permanece hoje como uma referência para o estudo da poesia portuguesa da década de sessenta.

Em 2004, com a obra Rua de Portugal recebeu o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores. Cinco anos mais tarde, com A Moeda do Tempo conquistou o Prémio Correntes d'Escritas. Gastão Cruz acaba de estar na FilBo2013 (Portugal foi o Convidado de Honra da feira), junto com um grupo de autores portugueses.
 

sábado, 27 de abril de 2013

Jerónimo Pizarro vence Prémio Eduardo Lourenço


O comissário da presença portuguesa na Feira Internacional do Livro de Bogotá tem sido "um incansável investigador, trabalhador e divulgador de Portugal na Colômbia" e "da cultura de Portugal no espaço ibero-americano".
Enquanto o poeta Gastão Cruz e a escritora Inês Pedrosa falavam na Universidade de los Andes, em Bogotá, na Colômbia, sobre a sua vida e a sua obra, o comissário da representação portuguesa na Feira Internacional do Livro de Bogotá (FILBO), o académico e investigador Jerónimo Pizarro estranhamente saía da sala para atender telefonemas. No final da sessão foi resolvido o mistério: o especialista em Fernando Pessoa, colombiano com nacionalidade portuguesa, estava a receber telefonemas de Portugal a anunciar-lhe que lhe tinha sido atribuído o Prémio Eduardo Lourenço, que está na nona edição, tem o valor de 10 mil euros e é atribuído pelo Centro de Estudos Ibéricos (CEI).

A sessão de entrega do prémio terá lugar no dia 7 de Junho, na Guarda, inserido nas comemorações dos 90 anos de Eduardo Lourenço e no âmbito de uma conferência sobre "Portugal e o seu Destino". O Prémio Eduardo Lourenço teve a sua primeira edição em 2004 e já distinguiu Maria Helena da Rocha Pereira, catedrática jubilada da Universidade de Coimbra na área da Cultura Greco-Latina, o jornalista espanhol Agustín Remesal, a pianista Maria João Pires, o poeta espanhol Ángel Campos Pámpano, o penalista Jorge Figueiredo Dias, os escritores César António Molina e Mia Couto, e o teólogo José María Martín Patino.

Nota: O Instituto Português de Cultura regista, com  enorme entusiasmo, a atribuição deste prémio ao pessoano Jerónimo Pizarro, e felicita o homenageado pela conquista merecidíssima deste prestigiado galardão.
Recorda, também, que Jerónimo Pizarro esteve em Caracas a convite do IPC, em Novembro de 2010, precisamente com ocasião do aniversário da nossa Fundação.


Público.   

Programa Cinema Português em Movimento vai levar filmes a 51 localidades

O secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, anunciou hoje no Parlamento, em Lisboa, que o programa Cinema Português em Movimento vai exibir filmes em 51 localidades do país com carência de oferta cinematográfica entre Junho e Setembro de 2013.

O programa foi anunciado na Assembleia da República, durante uma audição da Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura. O secretário de Estado referiu que o programa é lançado numa altura em que o Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA) comemora 40 anos, e que apesar de não estarem previstas celebrações oficiais, será lançado um programa para “promover o cinema português junto das populações que vivem fora dos grandes centros urbanos, ou que habitam em regiões desfavorecidas de oferta cinematográfica”.

De acordo com a tutela, entre Junho e Setembro deste ano, o programa Cinema Português em Movimento vai decorrer em 51 localidades escolhidas entre os 95 concelhos “que entre 2004 e 2012 registaram menos de 500 espectadores não tendo tido nenhuma exibição comercial de filmes portugueses nos últimos nove anos”. Serão projectados apenas filmes portugueses apoiados pelo ICA e que estão fora do circuito comercial, e, segundo Barreto Xavier, serão as câmaras a escolher os filmes.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

A história inacabada das ruínas portuguesas


Apaixonado por história e arquitetura e fotógrafo de profissão, Gastão de Brito é o autor do blogue Ruin’arte, uma autêntica galeria digital onde expõe os seus trabalhos fotográficos, inspirados nos “descuros do património arquitetónico.”

Revelar a “história inacabada" de ruínas industriais, urbanas, clericais, palacianas, rurais, militares e outras , é o objetivo de Gastão de Brito e Silva que, através da fotografia, quer apelar a que se preserve “o melhor que temos" para que esta "geração não perca o que todas as outras legaram”.

Este projeto fotográfico, marcado por uma minuciosa exploração de cores e contrastes, nasceu de “uma inspiração algo longínqua no tempo,” quando Gastão voltava da tropa, numa viagem de comboio, e avistou uma ruína “deslocada da civilização”, que despertou a sua curiosidade.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

José Zeca Afonso, la voz que hizo florecer la utopía en los cuarteles

El cantautor portugués se convirtió en un símbolo de la democracia y la libertad con 'Grândola, Vila Morena', la canción elegida por los militares sublevados para dar el pistoletazo de salida a la incruenta Revolución de los Claveles. Sin embargo, él nunca se dejó mimar por el poder y consagró su honesta carrera musical al mismo pueblo que se echó a la calle contra la dictadura de Salazar el 25 de abril de 1974. Hoy su mensaje sigue vigente y ha sido abrazado por quienes rechazan el dictado neoliberal de la troika

Su voz le permitió conservar su frondosa cabellera y Rádio Renascença hizo el resto. Pero antes de dejar atrás su condición humana para convertirse en el símbolo de la libertad, como un lagarto que muda su piel por otra que trasciende los límites de su cuerpo, José Afonso se valió de sus dotes interpretativas para zafarse de los veteranos que acosaban a los primerizos del Liceu D. João III de Coímbra. Allí, en el instituto donde había estudiado un siglo antes el ilustre literato portugués Eça de Queirós, fue rebautizado como el bicho cantor, o sea, el novato cantante, tal vez el único estudiante recién llegado que no lucía la cabeza rapada.

En aquel Estado Novo preconizado por el salazarismo, Zeca (como sería conocido en el futuro) transitó de la serenata y el fado hacia una canción protesta con enjundia que entronca con los grandes autores del género: Paco Ibáñez, Georges Brassens o, por no alargar la lista ni cruzar el charco, Francesco de Gregori. "Si fuese británico, habría tenido la trascendencia mundial de Bob Dylan", aventura su íntimo amigo Luis Pastor, con quien compartió tragos y escenarios a ambos lados de la raia. Sin embargo, sólo tuvo eco internacional una canción suya, Grândola, Vila Morena, imprescindible en la B.S.O. del imaginario de quienes entonces bramaban contra las dictaduras y hoy se sublevan contra la troika.

"25 de Abril, sempre!"

A Fundação José Saramago assinala neste seu espaço virtual os 39 anos do 25 de abril, depois de o ter comemorado na sua sede, na Casa dos Bicos, no dia 24, com entradas gratuitas, com a audição de músicas e relatos do dia que trouxe a liberdade a Portugal e com a oferta de cravos vermelhos a quem a visitou nesse dia. Até dia 29 de abril, dois painéis colocados nas portas da sede da Fundação celebram a data com a frase "25 de Abril, sempre!" e com a letra de Grândola, Vila Morena.
Para celebrar esta data muito se poderia dizer. Preferimos pensar no muito que ainda há a fazer para que a matriz da data se cumpra. E como espaço que não é neutral, a Fundação José Saramago recupera uma das senhas da Revolução, a Grândola, Vila Morena, de José Afonso, aqui cantada a várias vozes por José Saramago, João Afonso, Luis Pastor e por todos os que estiveram presentes na inauguração da Biblioteca do escritor em Lanzarote. Depois, a Inquietação, de José Mário Branco, reinterpretada pel'A Naifa com a presença de diversas personalidades das mais diversas áreas, com que o Canal Q assinalou o seu terceiro aniversário. Por fim, um texto do Professor Borges Coelho, lido na apresentação do Museu Liberdade e Resistência, que a Câmara Municipal de Lisboa instalará na antiga Cadeia do Aljube.

Fundação José Saramago.

25 de Abril... sempre !



Vamos lembrar o Dia da Liberdade!
Numa celebração conjunta, o Centro Português e o Instituto Português de Caracas celebrarão hoje os 39 da Revolução dos Cravos, que dariam início à III República Portuguesa e a um renascer cultural de Portugal.
O programa inclui:

·        * Palavras de apresentação
·         * Apresentação do Grupo Folclórico Infantil do Centro Português
·         * Projecção do documentário Santa Liberdade, que nos recorda que a        captura do Santa Maria teve origem em Caracas.
·         * Sessão de Fados
A celebração está programada para ter início às 19:30 h, no Cantinho da Cultura.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Amanhã: 25 de Abril ....


Venha celebrar o Dia da Liberdade!

Numa celebração conjunta, o Centro Português e o Instituto Português de Caracas celebrarão amanhã os 39 da Revolução dos Cravos, que daria início à III República Portuguesa e a um renascer cultural de Portugal.
O programa inclui:
·         Palavras de apresentação
·         Apresentação do Grupo Folclórico Infantil do Centro Português
·         Projecção do documentário Santa Liberdade, que nos   
          recorda que a captura do Santa Maria teve origem em Caracas.
·         Sessão de Fados
 
A celebração começará às 19:30 h, no Cantinho da Cultura.
29 de Abril de 1974.

terça-feira, 23 de abril de 2013

"A Estátua e a Pedra" apresenta-se hoje mundialmente na FILBo

A Feira do Livro de Bogotá recebe hoje a apresentação mundial do livro A Estátua e a Pedra, numa sessão que contará com a presença de Pilar del Río. Disponível já há alguns dias nas livrarias portuguesas, esta edição da Fundação José Saramago traz a público uma conferência do escritor proferida em Turim, na qual José Saramago revisita a sua obra, afirmando, por exemplo, "Quando terminei O Evangelho ainda não sabia que até então tinha andado a descrever estátuas. Tive de entender o novo mundo que se me apresentava ao abandonar a superfície da pedra e passar para o seu interior, e isso aconteceu com Ensaio sobre a Cegueira. Percebi, então, que alguma coisa tinha terminado na minha vida de escritor e que algo diferente estava a começar." A estátua e a Pedra chega acompanhado por dois textos introdutórios de Giancarlo Depretis e Luciana Stegagno Picchio e de um epílogo de Fernando Gómez Aguilera.

O jornalista Ricardo Alexandre (RTP) conversou com Pilar del Río a propósito da edição de A Estátua e a Pedra, conversa que pode ser ouvida aqui.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Feira del Libro de Bogotá... hoje!


A partir de hoy, Portugal en la FilBo 2013...

Portugal es el convidado de honor de la Feria del Libro 2013, que decorrerá na capital colombia de 18 de Junho a 1 de Maio....

Portugal entrecruza su nombre con océanos; es una diáspora interiorizada en el alma y en la historia, una identidad en construcción permanente.

 El Mar es el nombre en torno al cual se organiza esta edición de la Feria del Libro de Bogotá. A través de los libros, de las palabras, del idioma, de la escritura, Portugal y Colombia comparten caminos.

 Bogotá, ciudad alta y orgullosa, recibe a Portugal. Invita a Portugal. Donde el Atlántico se suma al Pacífico, forjamos un programa de libros, exposiciones, cine, espectáculos y conferencias.

 El hoy y el ahora, las dudas y los debates, el brillo de los consagrados y las nuevas generaciones, el ingenio de la traducción y la ilustración, el encanto de las letras y de las imágenes, las tecnologías que dinamizan el conocimiento, los sabores, los sonidos, la representación y el movimiento, la inspiración y las vivencias forman parte de un programa para la FILBo y para la ciudad, que es, además, un documento fundador de la historia de la relaciones entre Colombia y Portugal.

 Entre los escritores que visitarán Bogotá y estarán presentes en diversas actividades dentro y fuera de Corferias se encuentran: Adélia Carvalho, Afonso Cruz, Ana Luísa Amaral, André Letria, Carla Maia de Almeida, Dulce Maria Cardoso, Fernando Pinto de Amaral, Francisco José Viegas, Gastão Cruz, Inês Pedrosa, José Eduardo Agualusa, José Jorge Letria, José Luís Peixoto, José Tolentino Mendonça, Mia Couto, Miguel Real, Nuno Júdice, Ricardo Araújo Pereira, Valter Hugo Mãe y Vasco Graça Moura. En la capital colombiana también estarán otras grandes figuras o personalidades del país invitado. En los espacios distritales, en las bibliotecas públicas, en las universidades, en los centros culturales y en otros lugares de Bogotá están previstas actividades con todas las figuras que integren la comitiva portuguesa.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Cristina Branco na reabertura do Rijksmuseum


Cristina Branco na reabertura do Rijksmuseum

A cantora Cristina Branco e o pianista holandês Ruben Hein foram os convidados especiais do espetáculo que assinalou, hoje, a reabertura do Rijksmuseum, em Amesterdão. Evento contou com a presença da Rainha Beatriz.

Cristina Branco foi convidada a interpretar três temas do seu mais recente álbum, "Alegria", editado no passado dia 25 de fevereiro. Hoje, às 21:00, a criadora de "Branca Aurora" também canta no Chassé Theater, em Breda.

O Rijksmuseum, Museu Nacional de História e Arte dos Países Baixos, estava fechado para remodelações, desde 2005.Nas suas coleções encontra-se o famoso quadro "A ronda da noite", de Rembrandt, assim como pinturas de Johannes Vermeer, Jacob van Ruysdael, Frans Hals, entre outros pintores flamengos. O museu tem ainda um assinalável núcleo de arte asiática.

A reabertura do museu ficou marcada por um espetáculo de fogo de artifício, com as cores azul, branca e vermelha, da bandeira, assim como cor de laranja, a cor nacional. A entrada no museu será gratuita até à meia-noite.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Ribeiro Telles vence "Nobel" da Arquitetura Paisagista


O arquiteto português Gonçalo Ribeiro Telles vai ser distinguido com o Prémio Sir Geoffrey Jellicoe, em Auckland, na Nova Zelância. O galardão que é considerado o "Nobel" da Arquitetura Paisagista será atribuído a Ribeiro Telles pela Federação Internacional dos Arquitetos Paisagistas (IFLA, sigla em inglês) esta quarta-feira.

Segundo a Associação Portuguesa dos Arquitetos Paisagistas (APAP), este prémio tem como objetivo "reconhecer um arquiteto paisagista cuja obra e contribuições ao longo da vida tenham tido um impacto incomparável e duradoiro no bem-estar da sociedade e do ambiente e na promoção da profissão".

A associação contou à agência Lusa que a entrega do prémio acontecerá esta quarta-feira numa sessão do congresso, onde Miguel Braula Reis, presidente da APAP, vai estar em representação de Gonçalo Ribeiro Telles. O arquiteto que não poderá estar presente na cerimónia será homenageado com a leitura de uma conferência da sua autoria e com uma mensagem de agradecimento pelo seu trabalho.

Livros: História da Inquisição Portuguesa 1536-1821


Há precisamente 20 anos, Francisco Bethencourt revolucionou o modo de escrever a história da Inquisição e, com ela, a de Portugal dos séculos XVI em diante. Antes de mais, demonstrou, através de um cuidada investigação arquivística, que a cultura organizacional do Tribunal do Santo Ofício se pautou por um tipo de racionalidade moderna. Contrariou, assim, a visão tradicional que confundia Inquisição com superstição e forças retrógradas. Depois, elegeu três laboratórios de pesquisa que lhe permitiram não só estudar comparativa e globalmente a Inquisição, enquanto instituição que emergiu das reformas católicas de quinhentos, como ultrapassar as estafadas leituras de um qualquer excepcionalismo inquisitorial lusitano.

A nova História da Inquisição Portuguesa 1536-1821 de José Pedro Paiva e Giuseppe Marcocci segue o mesmo padrão. A pesquisa sistemática conduzida a partir dos livros do Conselho Geral e da correspondência com os tribunais distritais permitiu aprofundar o estudo da Inquisição enquanto poder, dotado da sua própria racionalidade organizativa, confirmando a centralidade da Inquisição e, de um modo geral da Igreja, nos jogos de poder. E, se os autores não adoptam um ângulo comparativo de maneira explícita, devido às solicitações do mercado nacional em relação aos temas de uma história de Portugal, as referências ao sucedido noutros territórios são abundantes e a sua própria formação cosmopolita surge incorporada de maneira implícita.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Livro revela que PIDE teve formação da Gestapo e CIA

A PIDE recebeu formação da Alemanha e dos Estados Unidos sobre técnicas de tortura a aplicar aos presos políticos durante o Estado Novo, relata o livro "Os últimos presos do Estado Novo", da jornalista Joana Pereira Bastos.

No livro, a jornalista do Expresso descreve a passagem de vários oposicionistas às ditaduras salazarista e marcelista pelas prisões de Caxias e Peniche e os traumas provocados pela tortura que "perduram até aos dias de hoje".

Em declarações à agência Lusa, Joana Bastos diz que uma das principais razões para escrever "Os Últimos Presos do Estado Novo - Tortura e desespero em vésperas do 25 de Abril" foi a história de uma das suas tias, Maria de Fátima Ribeiro Pereira Bastos, que pertenceu à Liga de Unidade e Ação Revolucionária (LUAR), liderada por Palma Inácio, e esteve presa em Caxias.

"Acho que a história contemporânea relata esta época muito 'en passant', fala-se muito dos capitães, mas pouco da parte civil, porque houve muita gente anónima que lutou para derrubar a ditadura e eu sentia que muita da minha geração tinha um desconhecimento enorme em relação a isso", considera Joana Bastos.

A autora diz ter procurado "contrariar a tese de que a queda da ditadura se deveu unicamente a um grupo de capitães" e de que "a PIDE era relativamente branda" na sua ação.

Para Joana Pereira Bastos, ex-jornalista do Público e da agência Lusa, existe mesmo "um branqueamento da violência e do grau de sofisticação dos métodos da PIDE".

Exposição de Joana Vasconcelos recebeu 20 mil visitantes em duas semanas

A exposição da artista plástica Joana Vasconcelos, inaugurada há duas semanas no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa, recebeu mais de 20 mil visitantes, indicou hoje à agência Lusa fonte da empresa responsável pela produção.

A mostra apresenta 38 obras criadas na última década, na maioria inéditas e outras emblemáticas no percurso criativo da artista, como o lustre "A Noiva", os sapatos femininos "Marylin", e "Coração Independente Vermelho", criado com talheres de plástico.

É a primeira vez que o Palácio Nacional de Ajuda - que foi residência da família real portuguesa - exibe uma mostra tão alargada de obras de arte contemporânea de um artista.

Depois de ter mostrado obras no Palácio de Versalhes, em Paris, no ano passado - numa exposição que recebeu 1,6 milhõe de visitantes - a artista volta a um espaço que foi habitado por uma família real, e a conceção da mostra foi idealizada em torno da figura da rainha Maria Pia.

A par das peças cobertas de "crochet", inspiradas no bestiário de Bordalo Pinheiro, estão também patentes obras mais recentes, nunca antes exibidas em Portugal, como "Lilicoptère", "Perruque" ou "War Games".

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Barcelos: Cabine telefónica torna-se "mini biblioteca"


Uma antiga cabine telefónica "à inglesa" acaba de ser transformada na mais pequena biblioteca portuguesa. Instalada na freguesia de Barcelinhos, em Barcelos, nas margens do rio Cávado, a biblioteca destina-se a servir residentes, turistas e peregrinos de Santiago que por ali passam.
 
Em declarações à Lusa, José Peixoto, presidente da junta de freguesia de Barcelinhos, afirmou que a ideia é tornar "ainda mais aprazível e convidativa" aquela zona antiga da freguesia, deixando os livros, jornais e revistas "mesmo à mão" dos transeuntes.

Boas Noticias

Diogo Morgado, o primeiro português entrevistado por Oprah

Muito se tem falado de Diogo Morgado nos últimos tempos por “culpa” da série A Bíblia, onde é o protagonista no papel de Jesus, e não será exagero dizer que o actor vem competindo internacionalmente com José Mourinho e Cristiano Ronaldo. A série já chegou ao fim mas nem por isso o português desapareceu da televisão norte-americana. Esta semana, Diogo Morgado foi convidado de Oprah Winfrey.

A série produzida pelo Canal História tem sido um sucesso – nos EUA, foi vista por mais de 100 milhões – e o actor português, ou Handsome Jesus, como é tratado na América tem vindo a dar várias entrevistas nos Estados Unidos – o humorista Stephen Colbert, no seu programa The Colbert Report, disse até que Diogo Morgado é demasiado bom (too hot) para o papel.

Depois dos programas Good Morning America, Access Hollywood Live e Big Morning Buzz Live, estava a faltar Oprah Winfrey. Esse momento no talk-show Oprah’s Next Chapter foi gravado nesta segunda-feira e vai ser visto nos EUA no próximo domingo, dia 14.

Público.

João Canijo irá a pé a Fátima para filmar, João Botelho atira-se aos Maias

Os resultados do concurso de apoio à produção de 2011 foram homologados há cerca de um mês pela Secretaria de Estado da Cultura. Botelho, que fará Os Maias - (Alguns) episódios da vida romântica, diz que começa a filmar em Outubro, Já Canijo irá a pé até Fátima quando vir o seu contrato assinado com a tutela. São as escolhas do júri de um concurso aberto há dois anos que agora foram homologadas, disse à Lusa fonte do Instituto do Cinema e Audiovisual.

O filme de Botelho tem mais uma vez como ponto de partida um texto literário ou um desejo de intervenção sobre uma ideia de Portugal - como Conversa Acabada (Mário Sá Carneiro), A Corte do Norte, de Agustina Bessa-Luís, Quem és Tu? (adaptação do Frei Luís de Sousa) ou Filme do Desassossego (Fernando Pessoa). “Se eles escrevem melhor do que eu porque é que eu hei-de escrever? Gosto da relação do cinema com a literatura, que é uma das mil maneiras de fazer cinema”, explicou ao PÚBLICO o realizador

Com a adaptação de Os Maias, de Eça de Queirós, Botelho pretende “continuar a prestar um serviço público”: “A situação em Portugal é tão precária que me interessa pegar em textos fortes que dizem respeito a todos nós e afirmá-los. Há milhares de maneiras de fazer filmes, podem-se fazer filmes sem uma única palavra. Quando é um luxo fazer filmes neste país devem-se afirmar coisas que são importantes na nossa vida”, justifica.



terça-feira, 9 de abril de 2013

Vandalismo gratuito na Casa dos Bicos…


Na madrugada de domingo a Casa dos Bicos foi alvo de um acto gratuito de vandalismo que resultou na destruição do conjunto de painéis que desde o passado mês de novembro assinalam os 30 anos da edição de Memorial do Convento e os 90 Anos de José Saramago. A Fundação José Saramago denuncia o sucedido e afirma que este tipo de vandalismo, mais do que atingir a Fundação e a Casa dos Bicos, atinge a cidade de Lisboa, a sua população e todos os visitantes da Casa, que nestes meses têm deixado testemunho do apreço por esta iniciativa de transformar o edifício numa galeria pública virada para o Tejo e para a cidade. A metáfora da destruição faz aqui todo o sentido, se associarmos os que perpetram actos contra o bem público aos que neste momento retiram a Portugal a soberania e os seus direitos, situação contra a qual parecemos indefesos, como país, como Fundação.

domingo, 7 de abril de 2013

Almada Negreiros nasceu há 120 anos

O aniversário dos 120 anos do nascimento de Almada Negreiros (1893-1970) é hoje assinalado, em Lisboa, com o lançamento do programa de comemorações e a inauguração de uma exposição inspirada no artista multifacetado.

O programa será apresentado na Galeria de Arte Urbana, às 18:00, pela Comissão das Comemorações dos 120 anos de Almada Negreiros, criada pela Câmara Municipal de Lisboa, em colaboração com várias entidades.

Na Galeria, situada na Calçada da Glória, será inaugurada a exposição "Almada por se7e" artistas urbanos.

A galeria lançou o desafio a sete artistas - Fidel Évora, João Samina, Mário Belém, Miguel Januário, Pantónio, Pedro Batista e Tamara Alves - para reinterpretarem algumas peças e temas emblemáticos daquele autor, nascido há 120 anos em São Tomé, e falecido em Lisboa em 1970.

A inauguração da exposição é o ponto de partida para a vasta programação que inclui tertúlias, documentários, exposições, um colóquio internacional, espetáculos, edições sobre o artista e reedições da obra do autor do "Manifesto Anti-Dantas", "para lançar um novo olhar sobre o seu legado", segundo a organização.

Barcelos: Cabine telefónica torna-se "mini biblioteca"


Uma antiga cabine telefónica "à inglesa" acaba de ser transformada na mais pequena biblioteca portuguesa. Instalada na freguesia de Barcelinhos, em Barcelos, nas margens do rio Cávado, a biblioteca destina-se a servir residentes, turistas e peregrinos de Santiago que por ali passam.

Em declarações à Lusa, José Peixoto, presidente da junta de freguesia de Barcelinhos, afirmou que a ideia é tornar "ainda mais aprazível e convidativa" aquela zona antiga da freguesia, deixando os livros, jornais e revistas "mesmo à mão" dos transeuntes.

"Com os bancos e as mesas que lá pusemos, fica montado o cenário ideal para uma leitura descontraída, com o Cávado como pano de fundo", salientou o autarca, que contou que a cabine alberga jornais, livros, revistas e poucas centenas de livros.

 
A cabine telefónica foi restaurada e adaptada pela Fundação Portugal Telecom, passando agora a ser da responsabilidade da junta de Barcelinhos.

 

sábado, 6 de abril de 2013

José Saramago em destaque em exposição no Museu do Neo-Realismo


José Saramago é o autor em destaque na exposição que o Museu do Neo-Realismo abre ao público no sábado, 6 de abril a partir das 12h00. Trata-se de uma mostra integrada no Ciclo Vinte Mil Livros, que visa dar a conhecer o acervo literário do Centro de Documentação do MNR (disponível para consulta nas instalações do Museu), no que se refere à obra de cada um dos autores selecionados, bem como possibilitar um contacto do público com o percurso literário de escritores relevantes no panorama da literatura portuguesa do século XX. José Saramago será o autor em destaque na Exposição que o Museu do Neo-Realismo abre ao público no próximo sábado, dia 6 de abril, a partir das 12h00.
A Exposição estará patente até 27 de outubro do corrente ano, na Livraria do MNR.
A entrada é gratuita.

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Homenagem a José Saramago na Feira do Livro de Bogotá já arrancou


José Saramago vai ser homenageado na Feira do Livro de Bogotá (FILBo), que decorre de 18 de abril a 1 de maio próximos, num ano em que Portugal é o país convidado. No passado dia 19, o escritor nascido na Azinhaga foi tema de uma conferência do estudioso Fernando Galindo, enquadrada já na pré-programação da feira.

O lançamento mundial do livro de José Saramago "A Estátua e a Pedra", acabado de editar pela Fundação José Saramago, será feito em Bogotá, durante a Feira, com a presença de Pilar del Río e Zeferino Coelho. Esta é uma das iniciativas que envolvem o nome do Nobel português na programação da Feira, organizadas quer pela propria FILBo quer pela representação portuguesa comissariada por Jeronimo Pizarro Jaramillo, investigador e professor universitário especialista na obra de Fernando Pessoa.

Um numeroso grupo de escritores portugueses desloca-se a Bogotá para este evento, em cuja sessão inaugural vai falar, em nome de Portugal, o escritor e ensaísta Vasco Graça Moura. Também no dia 18, Pilar del Río e a escritora Laura Restreppo inauguram a série de "Conversaciones que le cambiarán la vida", precisamente para falar da obra de José saramago

Editora alemã publica obra completa de Siza Vieira

Os 61 anos de arquitetura de Álvaro Siza Vieira foram reunidos num livro de 500 páginas pela prestigiada editora alemã Taschen. A publicação multilíngue dedicada ao arquiteto contemporâneo português mostra a sua obra completa, entre 1952 e 2013, espalhada um pouco por todo o mundo.

A edição é assinada por Philip Jodidio, um especialista em História da Arte que trabalhou diretamente com Álvaro Siza Vieira. O autor descreve o vencedor do Prémio Pritzker de 1992 como o "mestre da arquitetura em Portugal" e "uma das maiores figuras da arquitetura contemporânea" no mundo.



Na apresentação do livro, a editora alemã recorda os elogios do júri aquando da atribuição daquela que é a maior distinção formal para um arquiteto. Álvaro Siza é reconhecido pelas formas que se "moldam pela luz, numa enganadora simplicidade" e que, "depois de um exame mais de perto, revelam uma grande complexidade".

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Jesús Franco (1930-2013): morreu o autor das Cartas de Amor de uma Freira Portuguesa


Nem ele próprio sabia quantos filmes rodou – embora isso pouco interessasse porque não gostava de quase nenhum deles e nem sequer os viu todos. Mas Jesús Franco Manera, falecido esta manhã em Málaga aos 82 anos, está no Livro Guinness dos Recordes como o autor de cerca de duas centenas de filmes, assinadas com o seu próprio nome ou com pseudónimos como Jess Frank, Jess Franco, Clifford Brown ou James P. Johnson.

Uma delas é particularmente conhecida do público português – as infames Cartas de Amor de uma Freira Portuguesa (1977), a célebre perversão das cartas de Mariana Alcoforado em filme de terror erótico soft-core com Ana Zanatti no papel de uma madre superiora satânica e Herman José em príncipe salvador.

"Nunca a língua portuguesa foi tão bela": obra completa do Padre António Vieira


A obra completa do padre António Vieira, em 30 volumes, num total de 15 mil páginas, que será publicada durante dois anos a partir deste mês, "é o maior projecto da história editorial portuguesa", disse o historiador José Eduardo Franco.

Em declarações à Lusa, o historiador realçou que, "destas 15 mil páginas, cerca de um quarto são de inéditos ou textos parcialmente inéditos, nomeadamente teatro e poesia, da autoria de Vieira, que até os investigadores desconhecem", realçou Franco. José Eduardo Franco, que coordena a edição com Pedro Calafate, afirmou que o jesuíta, que viveu entre 1608 e 1697, pode ser hoje visto como um "autor anticrise".

"As soluções que ele apresentou para o país, os escritos dele sobre a nossa mentalidade e os nossos políticos [permitem] dizer que ele é um autor, uma figura histórica anticrise", afirmou José Eduardo Franco, que acrescentou que Vieira "é mais do que um autor que ainda hoje nos ensina a bem falar, bem escrever e bem comunicar a língua portuguesa".

Os primeiros três volumes são apresentados na quinta-feira, às 18h00, na Aula Magna da Universidade de Lisboa, e na sexta-feira, às 18h30, na sala 2 da Casa da Música, no Porto.

Proprietário da Livraria Lello admite cobrar entradas

O proprietário da Livraria Lello admitiu hoje a possibilidade de vir a cobrar entrada aos milhares de visitantes para "pagar o desgaste" do espaço, contribuindo já com dois euros os turistas organizados em grupos, recebendo um marcador de livros.

O jornalista Filipe Santos Costa conta que tentou ir à Livraria Lello e que lhe quiseram cobrar um bilhete à entrada de dois euros, denunciando que a cobrança lhe parece "manifestamente ilegal" já que "o estabelecimento não tem à entrada a reserva do direito de admissão e não exibe qualquer licença para cobrar bilhetes".

Em declarações à agência Lusa à porta da Livraria Lello, Antero Braga garantiu que pessoas sozinhas não pagam para entrar, sendo o pagamento de dois euros apenas para grupos de turistas organizados, que "recebem um marcador como recordação da empresa, ao preço de custo deles".

O proprietário disse ser "muito provável" que um dia passe a estender o pagamento ao público em geral porque "a cultura não pode ser sinónimo de pobreza".

"Antes uma casa que cobra à entrada que uma casa fechada, o que não é o caso. É um estudo que tem que se pensar porque alguém tem que pagar o desgaste desta casa", explicou.

Contactado pela agência Lusa, Filipe Santos Costa garante não ser "verdade que só cobra a grupos organizados" porque lhe tentaram cobrar quando estava apenas acompanhado pela mulher e pelo filho", como relata no blogue Elevador da Bica.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Bollywood vai filmar em Portugal já este ano


O Douro e o Alentejo vão ser palco de produções cinematográficas de Bollywood, a poderosa indústria do cinema indiano, ainda este ano. A informação foi avançada pelo secretário de Estado da Cultura à agência Lusa.

"Nós já temos, este ano, trabalho de produtores cinematográficos indianos em Portugal com filmes que vão ser desenvolvidos na região do Douro e no Alentejo", disse este domingo à Lusa Jorge Barreto Xavier, que acompanha o ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, na visita oficial àquele país.

"Queremos criar plataformas de trabalho para que hoje em dia a produção cinematográfica indiana, a maior do mundo, também nos possa beneficiar", afirmou o responsável, apontando o exemplo de Espanha, onde o cinema indiano já tem presença assídua.

terça-feira, 2 de abril de 2013

Bibliotecas Municipais de Lisboa fazem de abril o mês de "Ler em todo o lado"

A princesa e a ervilha, O soldadinho de chumbo, O rouxinol, A Sereiazinha e outras histórias escritas por Hans Christian Andersen invadem amanhã as Bibliotecas Municipais de Lisboa, no arranque do programa "Ler em todo o lado" que decorre ao longo do mês de abril.

Amanhã, Dia Internacional do Livro Infantil , haverá leitura de histórias de Hans Christian Andersen nas bibliotecas municipals de Belém, Camões, David Mourão-Ferreira, Maria Keil, Natália Correia, Olivais, Orlando Ribeiro, Penha de França, São Lázaro e Palácio Galveias, às 10 e/ou as 14 horas

As sessões destinam-se preferencialmente a crianças dos jardins de infância e a entrada é livre, com marcação prévia.

No sábado, dia em que se comemora os 120 anos de Almada Negreiros, o Ler em todo o lado concentra-se no Largo do Chiado. A partir das 15h00, além de uma Performance de Sussurradores pelos Contrabandistas, na esplanada da Brasileira, há um convite à leitura de textos de Almada Negreiros pelas ruas do Chiado. Às 16 horas, a atriz Paula Mora lê o Manifesto Anti-Dantas, coom encenação de João Mota, da varanda do Paris em Lisboa. Uma hora mais tarde, José Fanha lê o Manifesto Anti-Leitura na esplanada da pastelaria Benard.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Editora infantil portuguesa eleita a melhor da Europa


A editora portuguesa Planeta Tangerina foi eleita a melhor editora da Europa na área da literatura para a infância e juventude. O prémio foi atribuído no âmbito da Feira do Livro Infantil de Bolonha, o mais importante espaço internacional de divulgação e negócio na área dos livros para crianças, que decorreu recentemente naquela cidade italiana.

Com o objetivo de assinalar os seus 50 anos de existência, a organização do evento criou um prémio para as melhores e mais inovadoras editoras de livros para os mais jovens nos vários continentes do mundo.

A Planeta Tangerina, editora que tem já mais de 10 anos, foi eleita a melhor a nível Europeu, deixando para trás "concorrentes" nomeadas como a editora francesa Editions Thierry Magnier, a checa Baobab, a italiana Edizioni EL e a alemã Beltz & Geldberg.


UNESCO aceita candidatura do cante alentejano


A UNESCO aprovou a candidatura do cante alentejano a Património Cultural Imaterial da Humanidade, esta semana, em Paris. Nos próximos meses, a organização internacional vai avaliar a proposta que poderá ditar o futuro das vozes típicas do Alentejo.

O antropólogo Paulo Lima, membro da comissão científica da candidatura, contou à agência Lusa que este é “um momento de alegria” que marca a formalização, “não da fase final, mas do passo zero” para a potencial inscrição do cante alentejano na lista representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade.

Apesar de a decisão da UNESCO ser revelada apenas durante o mês de Dezembro de 2014, o responsável está confiante em relação ao parecer. Paulo Lima acredita que a candidatura será aprovada, tendo em conta que este já é “um património do homem e do mundo”.

O responsável defende que o cante alentejano “é uma expressão tão rica, forte, intensa e tão vivida que tem todas as condições, intrínsecas e extrínsecas”, para obter o “selo institucional” da UNESCO.

Bogotá: José Saramago vai ser homenageado na FILBo

José Saramago vai ser homenageado na Feira do Livro de Bogotá (FILBo), que decorre de 18 de abril a 1 de maio próximos, num ano em que Portugal é o país convidado. No passado dia 19, o escritor nascido na Azinhaga foi tema de uma conferência do estudioso Fernando Galindo, enquadrada já na pré-programação da feira.

O lançamento mundial do livro de José Saramago "A Estátua e a Pedra", acabado de editar pela Fundação José Saramago, será feito em Bogotá, durante a Feira, com a presença de Pilar del Río e Zeferino Coelho. Esta é uma das iniciativas que envolvem o nome do Nobel português na programação da Feira, organizadas quer pela propria FILBo quer pela representação portuguesa comissariada por Jeronimo Pizarro Jaramillo, investigador e professor universitário especialista na obra de Fernando Pessoa.

Um numeroso grupo de escritores portugueses desloca-se a Bogotá para este evento, em cuja sessão inaugural vai falar, em nome de Portugal, o escritor e ensaísta Vasco Graça Moura. Também no dia 18, Pilar del Río e a escritora Laura Restreppo inauguram a série de "Conversaciones que le cambiarán la vida", precisamente para falar da obra de José saramago