terça-feira, 20 de dezembro de 2016

O que os portugueses comiam no Natal há 100 anos

Está a ver aquela posta alta e deliciosa de bacalhau cozido com couves, cenouras, batatas e muito azeite por cima? No início do século XX, isso era coisa que só existia no Norte do país. Do Porto para baixo, a véspera de Natal era passada no mais rígido e rigoroso jejum. A partir do início do Advento, as famílias faziam jejum de carne e, na véspera de Natal, no Sul do país, era jejum total até à Missa do Galo.
A tradição é recordada por Maria de Lourdes Modesto num artigo publicado no jornal Público, em 2009. A maior especialista em comida portuguesa lembra-se que, na década de 30, depois da missa tinha finalmente direito a comer qualquer coisa – e normalmente os pais serviam um doce para quebrar o jejum. No dia 25, então, era servido um almoço completo e, no Alentejo, onde vivia com a família, era sempre porco – peru nem vê-lo. 
No Funchal, a tradição também era a do jejum na véspera e a do porco no Dia de Natal. De madrugada, depois da Missa do Galo, era servida uma canja e um cálice de vinho. Na verdade, a festa só começava depois da missa.
 Hoje em dia, a ceia da véspera de Natal tem tanta importância como o almoço de dia 25. Mas, há 100 anos, era coisa que existia essencialmente no Norte do País, acima do Porto. Aí, sim, havia uma tradição de jantar em família, com bacalhau – cozido ou em pastéis –, polvo guisado, arroz de polvo ou outros pratos sem carne. Na véspera de Natal, a família reunia-se à mesa para celebrar a festa em conjunto. E Missa do Galo não existia na região.
 Quando foi viver para Lisboa, no final do século XIX, o escritor Ramalho Ortigão indignou-se mesmo contra aquilo a que chamou "uma invasão do lar pela sacristia", um "intrometimento sacerdotal" que interrompia um jantar com uma missa. "Os padres, sem de modo algum lhes discutirmos o muito que eles sabem do pecado, não sabem nada acerca da família".
No Norte, ninguém rezava pelo Menino Jesus à meia-noite. A essa hora toda a gente estava sentada à mesa, à volta de um polvo ou de um bacalhau. 


SAPO:

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Edição rara de “Tabacaria” é lançada este mês

    O poema de Álvaro de Campos, heterónimo de Fernando Pessoa, será reeditado no dia 28, numa edição de 1.500 exemplares que será comercializada numa caixa de madeira, com uma seleção de 25 fotografias da Baixa de Lisboa
A nova edição do poema “Tabacaria”, de Álvaro de Campos, um dos heterónimos de Fernando Pessoa, numa caixa de madeira, com 25 fotografias inéditas de Pedro Norton, é apresentada no dia 28, na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa.
Fonte editorial disse à agência Lusa que foram feitos “apenas 1.500 exemplares, todos numerados, e este livro de 176 páginas não voltará a ser reimpresso, tratando-se de uma edição rara”, num formato de grande dimensão, 24 centímetros de largura e 33 de alturahttp://expresso.sapo.pt/cultura/2016-11-13-Edicao-rara-de-Tabacaria-e-lancada-este-mes

terça-feira, 8 de novembro de 2016

República Checa: José Luis Peixoto ganha bolsa

O escritor português José Luis Peixoto ganhou uma bolsa de criação no âmbito da iniciativa Writers in Residence da responsabilidade da Prague: UNESCO City of Literature.

Tendo concorrido entre 86 escritores e tradutores de todo o mundo, o escritor português foi selecionado para realizar esta Residência entre maio e junho de 2017. Durante este período o escritor irá interagir com escolas, universidades, clubes de leitura e com os meios de comunicação social e da imprensa cultural especializada.

Instituto Camões com "casa aberta interativa"

Novo portal de serviços procura alargar públicos da instituição e oferecer mais informação a quem quer estar próximo da realidade do país.
O Instituto Camões apresentou hoje o novo portal de serviços, já disponível online. Segundo a presidente da instituição, esta renovada ferramenta permite "melhor comunicação e mais comunicação." Ana Paula Laborinho destacou a linguagem simples e inovadora com que o Instituto Camões agora se apresenta ao mundo.
Com o novo portal de serviços o Instituto Camões quer aumentar o número de visitantes virtuais e reforçar a aposta na comunicação digital: atualmente tem mais de 99 mil seguidores no Twitter e 72 mil no Facebook
Para além da imagem gráfica, o portal aposta em cursos à distância, na atualidade e na informação cultural externa "mais próxima dos que querem conhecer a realidade do país", referiu a presidente da instituição


Diario de Noticias

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Braga a capital do Barroco



Conhecida como 'Cidade dos Arcebispos' ou 'Roma portuguesa', Braga conta uma história a cada passo

Sede da mais antiga diocese portuguesa, Braga foi fundada pelo imperador romano César Augusto, mas cresceu, ao longo dos séculos, ao ritmo da cristianização do território. O centro histórico é composto, sobretudo, por edifícios dos séculos XVII, XVIII e XIX, mas mantém notáveis marcas bimilenares, como as Termas Romanas da Cividade ou a Fonte do Ídolo. Mas foi no século XI, ainda antes da nacionalidade, que Braga se afirmou no contexto ibérico, com o bispo D. Pedro a mandar construir a Sé e a primeira muralha. Numa visita à Torre Medieval de S. Tiago, fica-se com uma ideia concreta da evolução histórica da cidade, com os quatro pisos divididos pelos períodos fundamentais, do romano aos nossos dias.


Aprovada proposta para que português seja língua oficial na ONU


O chefe de Estado português fez este anúncio numa conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro português, António Costa
O Presidente da República de Portugal anunciou hoje que na XI Cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) foi aprovada uma proposta para que o português seja uma língua oficial nas Nações Unidas (ONU).
Marcelo Rebelo de Sousa disse que a proposta não consta da declaração final desta cimeira da CPLP, mas foi aprovada por aclamação, e adiantou que foi feita pelo Presidente do Brasil, Michel Temer.


quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Palácio de Mafra faz 300 anos e quer prenda da Unesco

Haverá uma extensa programação a assinalar a data e concertos dos órgãos no primeiro domingo de cada mês. E avança a candidatura a Património da Humanidade
Sobreviveu quase incólume ao terramoto de 1755, o seu primeiro grande embate depois de construído, resistiu às invasões francesas, assistiu às lutas liberais, à extinção das ordens religiosas em 1834, e à implantação da República em 1910, tornando-se no primeiro monumento a abrir as portas ao público em maio de 1911. A 17 de novembro inicia um programa de celebração dos 300 anos do lançamento da primeira pedra. O Palácio de Mafra, mandado construir por D. João V em 1717, faz 300 anos.


quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Museu dos Coches fecha entre 14 e 28 de novembro

Projeto museográfico, desenvolvido desde 2009, vai finalmente ser instalado no Museu dos Coches

Ano e meio depois da inauguração do Museu Nacional dos Coches vai ser instalado o projeto museográfico, desenvolvido desde 2009 por uma equipa liderada pelo arquiteto Nuno Sampaio.

Para a instalação dos equipamentos expositivos e multimédia o museu vai fechar portas ao público entre 14 e 28 de novembro, reabrindo na terça-feira, dia 29 de novembro, "em pleno com a comunicação e informação necessárias à interpretação e compreensão da coleção exposta", 


Dois jovens bailarinos portugueses selecionados para o Prix de Lausanne

Diogo de Oliveira e Frederico Loureiro, da Escola Domus Dança, no Porto, são únicos portugueses selecionados

Dois bailarinos portugueses, de uma escola do Porto, foram selecionados para competir na 45.ª edição do Prix de Lausanne, na Suíça, que decorrerá entre janeiro e fevereiro.

Diogo de Oliveira e Frederico Loureiro, da Escola Domus Dança, no Porto, são únicos portugueses selecionados para competir no Prix de Lausanne, criado em 1973 e que é gerido pela Fondation en Faveur de l'Art Chorégraphique.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Valter Hugo Mãe recusou usar palavra 'não' no último livro

Até agora ninguém reparou que nas 200 páginas de Homens imprudentemente poéticos há uma palavra que nunca é utilizada: o 'Não'

Do escritor Valter Hugo Mãe conhecia-se a decisão de escrever em minúsculas durante uma boa parte do seu percurso enquanto romancista, mas não se esperava que decidisse introduzir uma particularidade no seu mais recente livro, Homens imprudentemente poéticos: a ausência da palavra Não ao longo das suas 200 páginas. É isso que acontece e que, curiosamente, tem passado despercebido.


Governo quer explicações sobre praxe na praia de Paço d'Arcos

Governo quer explicações sobre praxe na praia de Paço d'Arcos
A Direção-Geral do Ensino Superior vai "contactar formalmente" a Escola Superior Náutica Infante D. Henrique a propósito da praxe a 20 alunos na semana passada que motivou a intervenção da Polícia Marítima numa praia de Oeiras.

Numa resposta enviada à Lusa, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) acrescentou que não recebeu nenhuma queixa em relação à praxe destes alunos, noticiada no domingo pelo jornal 'Correio da Manhã'.

Diáriode Notícias

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Escritores da língua portuguesa "On line"



Aproveitando a ocasião do Dia Mundial do Escritor - celebrado a 13 de outubro - foi hoje lançado um novo motor de busca sobre escritores de língua portuguesa, "Escritores Online" !

Conheça-o em: www.escritores.online

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Morreu em Paris o pintor português José Luiz da Rocha

O artista plástico português José Luiz da Rocha, conhecido como Darocha e há muito radicado em França, morreu no domingo aos 70 anos, disse à agência Lusa fonte próxima da família.
O artista português morreu em consequência de doença prolongada, em Paris, cidade onde vivia.
Nascido em Oliveira de Azeméis em 1945, José Luiz Da Rocha deixou Portugal na década de 1960, viveu em Londres e Toulouse, instalando-se finalmente em Paris , onde passou a residir e a trabalhar

Diario deNoticias

Turismo de Portugal desafia os portugueses



Turismo de Portugal desafia os portugueses:
“Ponha Portugal no Mapa” é a nova Campanha de Turismo Interno
Está lançado o desafio a todos os portugueses: partilharem o que de mais bonito e inspirador existe no nosso país e assim participarem num grande vídeo mapa de Portugal.
Todas as semanas será lançado um desafio na plataformawww.ponhaportugalnomapa.pt, a que se poderá responder com um ou mais vídeos, de 5 a 20 segundos, feitos com o telemóvel. Para isso, basta descarregar a aplicação e começar a filmar.
Consulte a plataforma, veja o vídeo em YouTube.com/Visitportugal, aceite o desafio e participe!

A Bertrand do Chiado é a mais antiga livraria do mundo




Quantas histórias guarda a livraria mais antiga do mundo? Ninguém sabe, nem pode saber. Porque são incontáveis as memórias de uma casa com quase 300 anos. Refúgio de escritores, revolucionários e conspiradores, o n.º 73 da rua Garrett está no Guiness Book.

Assim que entramos na primeira sala, percebemos imediatamente que a Bertrand  não é uma livraria qualquer. Do lado direito, uma placa assinala o “Cantinho de Aquilino”, uma homenagem ao escritor Aquilino Ribeiro que ali gostava de ficar sossegado, a ler. Também Alexandre Herculano era frequentador assíduo da casa, para lançar os seus livros e participar nas tertúlias diárias. O espaço acabava por funcionar como um clube literário, ponto de encontro de grandes vultos da literatura portuguesa. Por lá passaram os intelectuais da Geração de 70, como Eça de QueirósAntero de Quental, Ramalho Ortigão e Oliveira Martins. E tantos outros, ainda hoje.

O pai foi salvo por Aristides de Sousa Mendes. Ela quer inspirar o mundo com a história



Andrée Lotey só nesta última década descobriu o porquê dos seus pais terem uma certa fascinação por Portugal
  Uma canadiana filha de um sobrevivente judeu salvo por Aristides de Sousa Mendes pretende inspirar o mundo com a história heroica do antigo Cônsul de Portugal em Bordéus.
"Ele (Aristides de Sousa Mendes) foi um homem tão heroico, que sacrificou tudo para fazer o que estava certo. Numa altura como esta, quando há conflitos como o da Síria e dos refugiados, as pessoas precisam de histórias como estas para se inspirarem", disse à agência Lusa Andrée Lotey.
A professora da Universidade de Montreal, doutorada em filosofia, e roteirista, criou há dois anos o documentário 'La Valise Verte' (A Mala Verde) em que conta a história de como o seu pai foi salvo pelo Cônsul de Bordéus, que considera um "herói e um excecional e extraordinário ser humano".

Diario de Notícias

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Visitas guiadas mostram o outro lado de Viseu


Até 8 de Setembro, decorrem em Viseu uma série de visitas guiadas que pretendem dar a conhecer histórias, mitos e lendas da antiga cidade. A iniciativa "Viseu Misteriosa" parte de visitas guiadas e encenadas, que começam junto à Porta de São Francisco (junto à escola Emídio Navarro) e percorre várias ruas e locais do centro histórico da cidade.

A iniciativa resulta de uma ideia original da Viseu Marca, entidade organizadora da Feira de São Mateus, tem o apoio do Município e tem como objetivo proporcionar "uma nova experiência de turismo cultural em Viseu", anuncia a associação Viseu Marca

 


Correio da Manhã. 

domingo, 14 de agosto de 2016

Descoberta habitação e muralhas com 2 300 anos no Castro de Salreu


A segunda campanha de escavações arqueológicas no Castro de Salreu, em Estarreja, revelou indícios de uma muralha em redor da povoação e de uma construção habitacional com cerca de 2300 anos, disse hoje o coordenador do projeto.
Os resultados da segunda fase de escavações vão ser apresentados hoje à noite na escola da Sr.ª. do Monte, em Estarreja, no distrito de Aveiro, e, segundo o presidente do Centro de Arqueologia de Arouca, António Manuel Silva, são "bastante interessantes" por irem além dos objetos que já tinham sido identificados.
"Este ano encontrámos indícios claros de uma espécie de muralha que circundava o castro, mas principalmente o resto de uma estrutura que supomos habitacional com base em pedra, uma cabana redonda de uma construção típica dessa época neste género de povoados", afirmou à Lusa António Manuel Silva.

 


Diário de Notícias.http://www.dn.pt/artes/interior/descoberta-habitacao-e-muralhas-com-2300-anos-no-castro-de-salreu-5336099.html


sábado, 13 de agosto de 2016

Portuguesa distinguida por 'curta' sobre imigração

A curta-metragem "4242", de Sara Eustáquio, 16 anos, sobre o processo de adaptação de uma imigrante, recebeu o prémio de mérito, o segundo mais importante, nos IndieFest Film Awards, em Los Angeles, EUA, somando a terceira distinção internacional.

O trabalho da jovem de Torres Vedras já tinha conquistado uma menção especial de mérito do júri no BestShorts Competition, igualmente na Califórnia, e o prémio revelação no Festival Near Nazareth, em Israel. Na quinta-feira foi anunciada a nova distinção pelo festival norte-americano.
A 'curta', que também já foi selecionada para o Josiah Media Festival, que se realiza em outubro, no Texas, inspira-se na experiência da protagonista, a aluna romena Cristina Caldararu, de 18 anos, da mesma escola de Eustáquio, a Secundária Henriques Nogueira, em Torres Vedras.


Correio da Manhã

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

“Levantado do Chão” pela primeira vez em romeno


Acaba de dar à estampa a primeira edição em romeno de Levantado do Chão, com a chancela da habitual editora de José Saramago, a Polirom. Integrada em “Seria de autor”, dedicada a Saramago, este é o 15º título desta coleção.
Com esta nova tradução, da autoria de Simina Popa, a quase totalidade da novelística de José Saramago passa a estar disponível para os seus leitores romenos.
A capa é a reprodução da obra “Enclosed Field with Ploughman” de Vicent van Gogh, datada de 1889.
O livro: «A transformação social. A contestação. Personagens em diálogos. As cruentas desigualdades sociais. Surgem as perguntas proibidas. Vai-se adquirindo consciência e espaço, para que tudo se levante do chão. Um livro composto por 34 capítulos. No 17.º está a tortura e a morte de Germano Santos Vidigal. Germano, o nome que significa irmão, o homem da lança. Apesar de vencido, o sacrifício da sua vida indica o caminho. “Já o encontraram. Levam-no dois guardas, para onde quer que nos voltemos não se vê outra coisa, levam-no da praça, à saída da porta do sector seis juntam-se mais dois, e agora parece mesmo de propósito, é tudo a subir, como se estivéssemos a ver uma fita sobre a vida de Cristo, lá em cima é o calvário, estes são os centuriões de bota rija e guerreiro suor, levam as lanças engatilhadas, está um calor de sufocar, alto. “As mulheres são também chamadas à primeira linha das decisões neste belo romance de Saramago. O diálogo monossilábico entre marido e mulher da família Mau-Tempo vai-se alterando. Interessante observar uma narrativa que vai da submissão ao sentido de libertação, através de gerações.» (Diário de Notícias, 9 de Outubro de 1998)


"Considero que esta nova geração de escritores não é assim tão extraordinária"


O nome da entrevistada e o da editora Tinta da China confundem-se. Praticamente são uma única imagem na cabeça do clube de fãs leitores que adoram todos os livros, bem como a revista Granta, que Bárbara Bulhosa publica. Uma editora independente que consegue manter-se à tona entre o pouco espaço comercial que os grandes grupos deixaram no mercado livreiro em Portugal atualmente, que trouxe à luz do dia um punhado de bons autores e ótimos livros.
Na entrevista, diz o que pensa do mundo editorial de uma forma tão sincera que, gravador desligado, acha melhor suavizar algumas declarações: "Não quero ser morta pelas outras editoras." Nada que a deva preocupar, afinal disse umas verdades, aquelas que se forem tidas em conta podem evitar algum do cinzentismo editorial atual.

 


Diário de Notícias.http://www.dn.pt/portugal/entrevista/interior/considero-que-esta-nova-geracao-de-escritores-nao-e-assim-tao-extraordinaria-5330635.html


Música para todos os gostos no festival Sol da Caparica


Só com músicos lusófonos, o festival começa hoje e termina domingo, esperando receber mais de 70 mil pessoas. Além da música, há desportos, street art e até cinema
Mão Morta e C4 Pedro, Roda de Choro e The Gift, Valete e Rui Veloso, David Fonseca e Ana Moura - todos têm lugar no palco do Sol da Caparica. O cartaz só tem músicos da lusofonia mas não tem qualquer requisito quanto ao género musical. "O grande critério, para além da lusofonia, é que os artistas que vêm aqui em cada ano nos tragam algo de novo. Que tenham um disco novo ou um novo projeto, para despertar a atenção do público", explica ao DN António Miguel Guimarães, organizador do evento.


Diário de Notícias.http://www.dn.pt/artes/interior/musica-para-todos-os-gostos-no-festival-sol-da-caparica-5332235.html


quinta-feira, 11 de agosto de 2016

“Todos os Nomes” com a chancela da Atlantik / Hoffmann und Campe


Depois do lançamento em 2014 em formato e-book, “Todos os Nomes” acaba de dar à estampa na editora alemã Atlantik, do grupo Hoffmann und Campe, referido “como um sonho envolvente” na contracapa do livro:
O livro: O protagonista é um homem de meia idade, funcionário inferior do Arquivo do Registo Civil. Este funcionário cultiva a pequena mania de coleccionar notícias de jornais e revistas sobre gente célebre. Um dia reconhece a falta, nas suas colecções, de informações exactas sobre o nascimento (data, naturalidade, nome dos pais, etc.) dessas pessoas. Dedica-se portanto a copiar os respectivos dados das fichas que se encontram no arquivo. Casualmente, a ficha de uma pessoa comum (uma mulher) mistura-se com outras que estás copiando. O súbito contraste entre o que é conhecido e o que é desconhecido faz surgir nele a necessidade de conhecer a vida dessa mulher. Começa assim uma busca, a procura do outro.


Obras em igreja de Famalicão, revelam necrópole do século XII

Lugar de enterramento remonta ao século XII Por Lusa Obras que decorrem junto à igreja românica de Antas, Famalicão, deram a conhecer uma necrópole que remonta ao século XII, revelou esta sexta-feira a autarquia local.

A Câmara de Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga, tem em curso desde maio uma obra junto às igrejas nova e românica de Antas, tendo o presidente da câmara, Paulo Cunha, avançado aquando da apresentação do projeto em novembro do ano passado, que pretendia criar ali "um novo centro cívico" através de um investimento superior a meio milhão de euros. Hoje, em comunicado, a autarquia dá conta de que uma equipa de arqueólogos que tem acompanhado as obras junto à igreja românica encontrou uma antiga necrópole que remonta ao século XII e desde o início da empreitada foram identificados e intervencionados cerca de 60 enterramentos, a grande maioria com esqueletos associados. 

Correioda Manhã.

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Ana Moura quer pôr a Caparica a dançar ao ritmo do seu fado

Dançar fado? Porque não? Dia 13 a fadista sobe ao palco do festival Sol da Caparica a dar o ritmo
Ana Moura acabava de pisar pela primeira vez o recinto onde quinta-feira começa a terceira edição do festival Sol na Caparica e cedo ficou com a sensação do fado que melhor se enquadra por estas paragens. "Apetece cantar o Dia de Folga. Podem contar com esse. A praia aqui ao lado, pessoas de férias e em lazer sugere uma coisa alegre com música que fale de estarmos livres para fazermos o que mais gostamos", justificava ao DN, apostando desde já em pôr o público a dançar. Sim, a dançar fado na noite de dia 13.
Daí que a fadista esteja decidida a apostar nos fados mais ritmados do álbum Moura, o mesmo que quarta-feira atingiu a dupla platina, chegando aos 30 mil exemplares vendidos. "Que orgulho tenho nisso!", desabafava, colocando várias faixas no alinhamento para o festival organizado pela Câmara de Almada que junta a música portuguesa em dois palcos entre 11 e 14 de agosto.

Diário de Notícias.Dançar fado? Porque não? Dia 13 a fadista sobe ao palco do festival Sol da Caparica a dar o ritmo
Ana Moura acabava de pisar pela primeira vez o recinto onde quinta-feira começa a terceira edição do festival Sol na Caparica e cedo ficou com a sensação do fado que melhor se enquadra por estas paragens. "Apetece cantar o Dia de Folga. Podem contar com esse. A praia aqui ao lado, pessoas de férias e em lazer sugere uma coisa alegre com música que fale de estarmos livres para fazermos o que mais gostamos", justificava ao DN, apostando desde já em pôr o público a dançar. Sim, a dançar fado na noite de dia 13.
Daí que a fadista esteja decidida a apostar nos fados mais ritmados do álbum Moura, o mesmo que quarta-feira atingiu a dupla platina, chegando aos 30 mil exemplares vendidos. "Que orgulho tenho nisso!", desabafava, colocando várias faixas no alinhamento para o festival organizado pela Câmara de Almada que junta a música portuguesa em dois palcos entre 11 e 14 de agosto.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Visita encenada nos 100 anos do museu Bordalo


Hoje é homenageado o fundador, Cruz Magalhães. Em setembro serão as grandes comemorações, dedicadas ao manguito
Ainda há escadotes, enceradoras e berbequins em azáfama pela moradia que o poeta e colecionador Cruz Magalhães mandou construir em 1914, no Campo Grande, em Lisboa. São os últimos retoques para a festa que hoje assinala os 100 anos da abertura ao público de três salas dessa moradia como Museu Bordalo Pinheiro. Na altura, como agora, o DN visitou aquele que foi o primeiro museu em Portugal dedicado à obra de um só artista e dava conta da importância do espólio ali reunido para usufruto de todos, como pretendia Cruz Magalhães.


Música: Maria João Pires "arrisca" segundo prémio Gramophone consecutivo

DVD com a pianista portuguesa tocando oConcerto n.º 3, op. 37, de Beethoven, num piano de 1849, é um dos seis candidatos a melhor gravação na categoria Concerto dos prémios anuais da revista britânica
A pianista portuguesa Maria João Pires está de novo entre os candidatos a Melhor Gravação de Concerto dos prémios anuais da Gramophone. Estes prémios são o que de mais parecido com os Óscares existe na indústria da música clássica e são atribuídos desde 1977.
A edição de setembro da revista, disponível a partir de 17 do corrente, trará o top 3, enquanto que no dia 22 será anunciadoonline o vencedor dessa, bem como os das outras 11 categorias indexadas a gravações recenseadas ao longo do ano pelo painel de críticos da publicação.


segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Cinema: Os pássaros de João Pedro Rodrigues voam alto em Locarno

O realizador português João Pedro Rodrigues mostra amanhã, no Festival de Cinema de Locarno, "O Ornitólogo".
Um homem a olhar para pássaros no Douro Internacional. Pássaros que nos olham (a nós também, espectadores) e um santo pelo meio. Na floresta encantada de João Pedro Rodrigues há assombrações, desejo, sangue e um imaginário de lenda. Santo António, o padroeiro, em metamorfose com um ornitólogo.
É assim O Ornitólogo, de João Pedro Rodrigues, amanhã em competição no Festival de Locarno, uma coprodução da portuguesa Blackmaria e da francesa House on Fire, com financiamentos da brasileira Ítaca Filmes.


Espanha: Apresentação da I Cátedra Internacional José Saramago em Vigo

Foi apresentada no dia 26 de julho de 2016, em Vigo, Espanha, a I Cátedra Internacional José Saramago (CJS), que resulta de uma parceria entre a Universidade de Vigo, a Fundação José Saramago, a Fundação Eng.º António de Almeida e o Camões, I.P.O primeiro grande objetivo desta Cátedra é o estudo e a difusão da obra e do pensamento do autor de Memorial do Convento, Prémio Nobel da Literatura de 1998. Este objetivo concretizar-se-á nos três principais eixos da ação universitária: docência, investigação e atividades de extensão.
O pensamento e a literatura de um autor de dimensão universal como José Saramago pedem abordagens que usem não só os procedimentos mais convencionais de análise literária, linguística, retórica ou histórica, mas também outros métodos interdisciplinares de estudo. Destaque para aproximações que considerem as inter-relações entre literatura e autobiografia, literatura e justiça / direito / direitos humanos, literatura e tradição oral / etnografia, literatura e antropologia, literatura e filosofia, literatura e infância, literatura e política ou literatura e ambiente /ecocrítica.
Estudando José Saramago, dá-se também um contributo para a divulgação e a realização humanística, comunicativa e pragmática da língua portuguesa. Saramago cultivou e revolucionou os registos da língua portuguesa de várias épocas – dos orais, populares e tradicionais aos eruditos, incluindo os universos linguístico-literários destinados à infância e à juventude.

sábado, 6 de agosto de 2016

A violinista que veio da Polónia para encontrar um lugar no fado

 

Natalia Juskiewicz, violinista polaca formada pela academia de música de Poznan. Desde o ano 2000 em Portugal, hoje leva a música portuguesa além-fronteiras com o projeto Um Violino no Fado
Afinal a saudade não é um exclusivo português. Também se sente em polaco e escreve-se tesknota. "O sentimento que está à volta da palavra é igual e, tal como em português, também é muito difícil de definir", explica Natalia Juskiewicz. "Temos saudades do passado e do futuro. De algo que vivemos ou que talvez nunca venha a acontecer. Por isso o fado tem muitos admiradores na Polónia. As pessoas são capazes de reconhecer essa coisa que é mais forte e que vai além do estilo musical.


sexta-feira, 5 de agosto de 2016

O poeta regressa ao Sul e Querença presta-lhe homenagem


Durante três dias, a aldeia de Querença vai respirar poesia. Dos ramos das oliveiras vão nascer versos, suspensos em folhas de papel. O cenário está montado, aguardam-se os “autores em palco” para as conversas com os leitores, cruzando as culturas do Algarve e Andaluzia. A primeira edição do Festival Literário de Querença (FLIQ), a decorrer desta sexta-feira a domingo, vai homenagear Casimiro de Brito - um escritor algarvio com mais de 40 livros publicados, traduzidos em 30 línguas. Em casa do avô - fonte de inspiração...
Nota: Casimiro de Brito já esteve em Caracas, em duas oportunidades, a convite do Instituto Português de Cultura.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Cuba: Exposição de fotografia “Poema Azul”, de Luísa Ferreira

No dia 02 de junho de 2016 será inaugurada em Cuba, em estreia mundial, uma exposição de fotografia da artista portuguesa Luísa Ferreira, com o apoio do Camões, I.P. e da Embaixada de Portugal, e em colaboração com a Fábrica de Arte Cubana, espaço cultural de grande relevância em Havana, que acolhe a exposição até 26 de junho.
Trata-se de uma viagem que tem como ponto de partida o arquivo da fotógrafa, através da seleção de negativos e diapositivos e de fotografias digitais realizadas entre 1991 e 2014.
O nome que recebeu - «Poema Azul» - remete-nos para a sua substância, génese e destino: são 20 fotografias plenas de luz que propõem um percurso visual pelo património arquitetónico, as artes, a literatura, as ciências e a paisagem, num périplo de norte a sul de Portugal, que ambiciona transcender fronteiras e singrar outros mares. Trata-se afinal “ de uma narrativa aberta sobre um país transbordante de mar e mundo, de história e cultura, de memória e de futuro.”

domingo, 31 de julho de 2016

Morreu Fernando Costa


Fundador da Cinemate tinha 79 anos. O produtor e diretor de fotografia Fernando Costa, fundador da Cinemate, morreu hoje, aos 79 anos, em Lisboa, em consequência de doença prolongada, disse à agência Lusa fonte daquela empresa cinematográfica. 

Fernando Costa morreu poucos meses depois de ter sido distinguido, em maio, pela Academia Portuguesa de Cinema, com um prémio Sophia de carreira. Fundador da Cinemate em 1965, uma das mais antigas empresas portuguesas de estúdios e equipamentos cinematográficos, e também de produção de cinema e televisão, Fernando Costa foi chefe electricista, operador de camâra, director de fotografia e produtor.

Correio da Manhã.

A nova luz da Livraria Lello


A fachada em tons ocre exibe agora as cores da inauguração de 1906 e o vitral restaurado devolve ao interior do espaço uma luminosidade desconhecida. Entradas pagas custearam a primeira fase das obras. Hoje a Livraria Lello reabre de cara lavada num dia que será longo, com Harry Potter a fechar

Neste sábado a Rua das Carmelitas, no Porto, apresenta-se renovada, permitindo uma viagem até ao passado à boleia do restauro da fachada da Livraria Lello. Às 10.30, o pano que tapa a frente do centenário espaço de estilo neogótico será descerrado durante um momento cénico, acompanhado pela descrição do arqueólogo e historiador Joel Cleto, revelando as cores originais que marcaram a inauguração em 1906 e "das quais ninguém tem memória". O DN foi espreitar a conclusão das obras, ainda no meio dos andaimes.


sábado, 30 de julho de 2016

Livraria Lello acolhe lançamento de Harry Potter


Seis mil exemplares do livro vão estar à venda. Por Lusa A Livraria Lello, no Porto, acolhe este sábado o lançamento do novo livro "Harry Potter & The Cursed Child - Parts I & II", do qual terá seis mil exemplares para venda. "Harry Potter & The Cursed Child - Parts I & II" é uma peça baseada numa nova história de J.K. Rowling, John Tiffany e Jack Thorne, autor do texto do oitavo volume da saga. 
A partir das 22h00, vai haver animação no exterior da Lello, onde "atores portugueses profissionais caracterizados de Hagrid e Dumbledore acolhem os fãs, desafiando o conhecimento dos visitantes sobre a história da saga, abordando passagens dos filmes e fazendo leituras encenadas dos livros", segundo Minês Castanheira, do Bairro dos Livros, projeto de animação literária e urbana do Porto. 

Correio da Manhã.