sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Novo romance de António Lobo Antunes sai amanhã

"Comissão das Lágrimas", o novo romance de António Lobo Antunes, chega às livrarias na sexta-feira, numa edição da Dom Quixote.
O escritor parte do "doloroso canto de uma mulher torturada", um insólito episódio histórico, para um livro "denso e sombrio" sobre Angola depois da independência.
A mulher, conhecida como Virinha, chamava-se Elvira e era comandante do batalhão feminino do MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola). Foi presa, torturada e morta na sequência do golpe de Estado ocorrido em maio de 1977 em Angola. E enquanto a torturavam, nunca deixou de cantar.
A intenção de Lobo Antunes não foi escrever uma obra documental sobre os acontecimentos desse período da história angolana, mas partir deles para falar sobre a culpa, a vingança e a inocência perdida, indica a editora em comunicado enviado à Lusa.

Quetzal edita «José e Pilar – Conversas inéditas»

José e Pilar – Conversas inéditas, do realizador Miguel Gonçalves Mendes, será editado pela Quetzal no dia 18 de Outubro, com um prefácio de Valter Hugo Mãe.
Durante quatro anos, Miguel Gonçalves Mendes filmou José Saramago e Pilar del Río, na intimidade de Lanzarote, em viagens de trabalho por todo o mundo, em festas com os amigos e a família. Desse intenso registo resultaram, primeiro, o filme, «José e Pilar», e, agora, o livro, que se compõe, essencialmente, de material inédito: centenas de horas de conversas que exploram grandes temas como a política, o amor, o trabalho, a literatura e a morte.
O que o trabalho de Miguel Gonçalves Mendes tem representado para o tesouro do testemunho de Saramago é de valor inestimável. É o melhor dos legados para todos quantos vivem e viverão, permitidos que ficam para o acesso à intimidade com o grande mestre, ou, por outras palavras, para o acesso a um diálogo eminentemente desmascarado com o grande mestre. Mas o grande mestre não estaria nunca completo nesta sua dimensão mais pessoal sem a companhia de Pilar del Río, tão distinta quanto já complementar do escritor, escreve Valter Hugo Mãe. In Fundação José Saramago.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Palácio de Mafra precisa de obras

O Palácio de Mafra poderá sofrer obras de requalificação para que seja garantida a estabilidade dos sinos, cujas estruturas de suporte estão a dar sinais de degradação.
 A possibilidade é avançada à agência Lusa por uma fonte da Secretaria de Estado da Cultura que admite que o Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR) está a estudar uma intervenção”, sem adiantar, contudo mais pormenores.
 As estruturas de suporte dos sinos, alguns deles chegam a atingir várias toneladas (o "sino das horas é o mais pesado com 12 toneladas"), carecem de intervenção por estarem "apodrecidas", confirmou à Lusa o director do Palácio de Mafra, Mário Pereira, que já alertou a Secretaria de Estado da Cultura para o problema.  

Correio da Manhã. 

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Trancoso, Inês de Medeiros e Vendrell candidatos

O produtor Paulo Trancoso, a actriz Inês de Medeiros e o realizador Fernando Vendrell são candidatos à presidência dos órgãos sociais da recem-consituída Academia Portuguesa de Cinema, nas eleições que se realizam hoje.
Paulo Trancoso, Inês de Medeiros e Fernando Vendrell são os candidatos à presidências da Direcção, à Assembleia Geral e Conselho Fiscal, respetivamente, revelou à agência Lusa António Ferreira, um dos promotores da nova instituição, e membro do futuro elenco diretivo.
Uma das prioridades da Academia é a organização, já em 2012, de uma gala para atribuição de prémios a quem se tenha distinguido nesta arte, à semelhança dos prémios César em França, dos Goya em Espanha, dos conhecidos Óscares nos Estados Unidos ou das distinções atribuídas pela sua congénere Academia Europeia de Cinema.

Vitorino comemora 35 anos de carreira com amigos

Os músicos Jorge Palma, Janita Salomé, Tim e Carminho vão estar nos Coliseus de Lisboa e do Porto, a 5 e 7 de Outubro, para comemorarem com Vitorino os seus 35 anos de carreira.

"Nos Coliseus, Vitorino estará rodeado de amigos - Jorge Palma, Janita Salomé, Tim e Carminho - e contará também com a sonoridade única da Orquestra Filarmonia das Beiras para dar outra cor às suas músicas, a partir de arranjos do pianista Filipe Raposo", revela um comunicado divulgado esta segunda-feira.  

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Valter Hugo Mãe em maiúsculas numa noite de coincidencias

Valter Hugo Mãe – assim mesmo, em maiúsculas – anda com Halla na cabeça. É sobre ela, 12 anos, o seu próximo romance. Aos 40, como o homem que é personagem da sua mais recente obra, o escritor lançou este sábado “O filho de mil homens”, numa noite de coincidências e improbabilidades em que o Brasil veio de novo ter consigo.

Hugo Mãe entrou sábado à noite na livraria Ler Devagar, em Lisboa, com 39 anos. Saiu com 40. Pelo meio, os amigos dos livros, da música e do Brasil elogiaram-lhe por antecipação “O filho de mil homens”, o seu quinto romance, o primeiro em que deixa de assinar como valter hugo mãe e aquele em que procura “outras formas de dizer”, como resumirá após uma hora de apresentação ao lado de um par improvável, Mário Soares, e outra ininterrupta de autógrafos.

domingo, 25 de setembro de 2011

Filme de João Canijo vence prémio da crítica internacional em San Sebastian

Primeiro, uma menção honrosa. Agora, o Prémio da Crítica Internacional. O filme Sangue do Meu Sangue, do realizador João Canijo, recebeu hoje mais um galardão não oficial do festival San Sebastian, que este sábado termina em Espanha.

Em competição por este prémio estavam outros 15 filmes. Acabou por vencer o novo trabalho de Canijo, que na quinta-feira assegurou a difusão na estação de televisão pública espanhola ao receber a menção honrosa na atribuição do prémio Otra Mirada da TVE.

Sangue do Meu Sangue, que o cineasta escreveu em parceria com os actores, narra o amor de uma mãe solteira pela filha, interpretadas por Rita Blanco e Cleia de Almeida.

Público.

Raul Solnado e os filmes "América" e José e Pilar" premiados no Brasil

O realizador João Nuno Pinto, pelo filme "América", e o documentário "José e Pilar", de Miguel Gonçalves Mendes, foram premiados na quinta edição do CinePort, Festival de Cinema dos Países de Língua Portuguesa, em João Pessoa, no Brasil.   A João Nuno Pinto foi atribuído o prémio de melhor realização, segundo a lista divulgada na noite de sexta-feira pela organização do festival. Raul Solnado, que teve o seu derradeiro papel no cinema na primeira longa-metragem do realizador, foi distinguido com o prémio de melhor actor secundário. "José e Pilar", sobre José Saramago e Pilar del Río, candidato português aos Oscares, foi considerado o Melhor Documentário.

sábado, 24 de setembro de 2011

TVE premeia filme de João Canijo


Os prémios oficiais da 59.ª edição do festival de cinema de San Sebastián, em Espanha, só serão divulgados no sábado mas ‘Sangue do Meu Sangue’, do português João Canijo, já se pode considerar vencedor, pois recebeu esta quinta-feira uma menção honrosa do prémio ‘Outro Olhar’, atribuído pela TVE, a televisão pública espanhola, entre vários filmes de todas as secções do certame.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Inês Pedrosa vence Prémio Máxima de Literatura

A escritora Inês Pedrosa venceu com o seu último romance, 'Os Íntimos', o Prémio Máxima de Literatura, no valor de quatro mil euros, anunciou esta sexta-feira a sua editora, a Dom Quixote

"Foi uma grande alegria, pois o reconhecimento é sempre bom. Procurei mexer em feridas actuais e muito concretas. Tinha a esperança de que o livro fosse compreendido", disse a escritora ao CM

Correio da Manhã.

Alves Redol e Manuel da Fonseca hoje recordados na SPA

Os escritores Alves Redol e Manuel da Fonseca, cujos centenários do nascimento este ano se comemoram, serão hoje recordados na Sociedade Portuguesa de Autores com uma conferência da professora Maria Alzira Seixo.
"Redol e Fonseca: Que neo-realismo? Que poéticas? Que interesse em ler estes autores hoje?" é o tema da conferência que será proferida a partir das 18:30 pela professora da Faculdade de Letras de Lisboa Maria Alzira Seixo, autora de uma vasta obra ensaística e este ano distinguida com o Prémio Vergílio Ferreira, da Universidade de Évora.
António Alves Redol (1911-1969) ficou para a história como um dos expoentes máximos do neo-realismo português, movimento que agora tem um museu na cidade onde o escritor nasceu, Vila Franca de Xira.

Morreu o compositor José Niza (1938-2011)

   Médico, compositor, produtor e ex-deputado, José Niza morreu esta noite, informou hoje fonte da Câmara de Santarém, concelho onde residia e chegou a ser presidente da Assembleia Municipal. Tinha 73 anos.
  O autor da canção "E Depois do Adeus", José Niza, que esta noite faleceu em Santarém, venceu quatro Festivais da Canção da RTP.
  Co-fundador, em 1961, da Orquestra Ligeira do Orfeon Académico de Coimbra - junto com José Cid, Proença de Carvalho, Joaquim Caixeiro e Rui Ressurreição-, foi também responsável, a partir de 1971, pela produção da editora Arnaldo Trindade Lda..

Expresso

Cultura: Cortes nos dirigentes poupam 2,6 milhões de euros

A reestruturação dos organismos sob administração directa ou indirecta da Secretaria de Estado da Cultura vai resultar numa poupança anual de 2,6 milhões de euros, reduzindo-se em 28 por cento os gastos com dirigentes superiores e intermédios.
Segundo Francisco José Viegas, que apresentou estes dados num encontro com jornalistas realizado esta quarta-feira, os cortes dependem apenas da aprovação da nova Lei Orgânica e do Orçamento do Estado para 2012.

Prémio Fernando Namora divulga os cinco finalistas

Gonnçalo M. Tavares, Hélia Correia, João Tordo, Pedro Rosa Mendes e Walter Hugo Mãe são os finalistas do Prémio Literário Fernando Namora cujo vencedor será conhecido no dia 02 de outubro, disse hoje à Lusa fonte da Estoril Sol.
O júri do prémio decidiu pela primeira vez, divulgar uma "short-list" dos 50 romances que concorreram ao galardão, todos publicados o ano passado.
Constituem a "short-list" os romances "A Máquina de Fazer Espanhóis", de Walter Hugo Mãe, "Uma Viagem à Índia", de Gonçalo M. Tavares, "Adoecer", de Hélia Correia, "O Bom Inverno", de João Tordo, e "Peregrinação de Enmanuel Jhesus", de Pedro Rosa Mendes.
O Prémio, instituído pela Estoril Sol há 14 anos, tem o valor de 25 mil euros, sendo o júri presidido pelo escritor Vasco Graça Moura.

Lisbon & Estoril Film Festival: Paulo Branco: "Somos invejados lá fora"

Quinta edição do Lisbon & Estoril Film Festival 2011, primeira a abranger Lisboa, decorre de 4 a 13 de Novembro.
"A ideia essencial [do festival] sempre foi fazer um encontro de artistas e intelectuais que tenha o cinema como referência. Se o país assumisse essa vocação, poderíamos ocupar na cultura um lugar como Davos é para a economia - temos a energia e a capacidade para que daqui nasçam as ideias que possam marcar a nossa geração."
Palavras de Paulo Branco na conferência de imprensa de apresentação do Lisbon & Estoril Film Festival 2011, que teve lugar ao fim da manhã de terça-feira na Torre de Belém.

Boletim de 15 de Setembro de 2011

Solveig Nordlund: Lobo Antunes à vista desarmada

Nasceu em Estocolmo, há 68 anos, mas já é mais portuguesa do que sueca. E a ninguém caberia melhor a primeira adaptação ao cinema de um romance de Lobo Antunes do que a Solveig Nordlund. Ela que já realizou dois documentários sobre o escritor, em 1997 e 2010. Dividindo o seu percurso entre o cinema e o teatro, Solveig tem uma predileção pela adaptação de obras literárias. Já transportou para o grande ecrã textos de J. G. Ballard, Henning Mankell, Grete Roulund ou Richard Zimler. E fez documentários sobre vários escritores e artistas. Desde A Filha, de 2003, que não realizava uma longa de ficção.




JL: A escrita de António Lobo Antunes é difícil passar ao cinema. Que solução encontrou?
Solveig Nordlund: Limitei-me de certa maneira à história. Usando uma certa liberdade no tempo e no espaço, tentei imitar a técnica que ele tem de partir de uma personagem para outra, sem grande explicação ou transição. Mas claro que não é como no livro. Quando escreve ele muda de personagem a meio de uma frase. O meu cinema é realista, por isso não seria possível, a não ser que fizesse um filme mais experimental. Mas isto é só uma história contada com frases de Lobo Antunes e, nos momentos mais emocionais, dou-me a liberdade de passar de uma coisa para outra sem mais.


Ler mais: Visão

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

França: cinema português em destaque nos “Rencontres du Cinéma Européen”

O cinema português foi selecionado para a edição de 2011 de os Rencontres du Cinéma Européen, projeto iniciado em 2005 pela Associação Cinépage, que tem por objetivo a divulgação do cinema europeu, em Marselha e que este ano decorre entre 20 e 27 de setembro.
O programa é intenso ( 17 realizadores, 16 longas metragens, 7 curtas e médias metragens), com a apresentação de vários filmes por dia, com a presença de alguns realizadores e pontuado por uma conferência sobre a Cultura Portuguesa, por Pedro da Nóbrega, no dia 20,  e uma palestra sobre o cinema português por José Manuel Costa, no dia 24.

Luxemburgo: Sobrinha de Fernando Pessoa apresenta livro de poesia


O Instituto Camões – Centro Cultural Português, com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos no Luxemburgo e da Agência de Viagens Horizon Tours, promove, no dia 21 de setembro de 2011, nas suas instalações , a apresentação do livro de poesia “Ritual Sem Palco”, de Manuela Nogueira (sobrinha do poeta Fernando Pessoa), com a participação da tradutora francesa Marie-Claire Alves Fichet.
Manuela Nogueira proferirá também uma curta palestra sobre Fernando Pessoa.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Entrevista a Valter Hugo Mãe: "Fico livre para viver até aos 120 anos"

Valter Hugo Mãe regressa com 'O Filho de Mil Homens', quinto romance do escritor que gostava de pôr os títulos em minúsculas. A vontade de ter um filho é o tema do livro que será lançado na véspera do 40.º aniversário do autor.

Nota: Walter Hugo Mãe já esteve em Caracas, onde participou num acto do IPC.

Correio da Manhã.

Saramago relembrado no Hay Festival de Segóvia

José Saramago será um dos nomes em destaque no Hay Festival de Segóvia, a decorrer entre 22 e 25 de Setembro.
No dia 24, pelas 21.30 Horas e com apresentação de Pilar del Río, será projectado o filme "José e Pilar", recentemente escolhido por Portugal para a nomeação ao Óscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira. No dia seguinte, pelas 12 horas, Pilar del Río e Ezequiel Martínez falarão da vida e da obra de José Saramgo e Tomás Eloy Martínez, que, para além de um rico percurso literário e de uma grande amizade, partilharam o facto de terem assistido à criação de Fundações com o seu nome.

Fundação José Saramago.

Morreu o pintor Júlio Resende



O pintor Júlio Resende morreu esta quarta-feira, em Valbom, Gondomar, aos 93 anos.


O corpo do artista ficará em câmara-ardente na igreja paroquial de Valbom, em Gondomar.

Júlio Resende, nascido no Porto a 23 de Outubro de 1917, frequentou as Escolas de Belas-Artes do Porto e de Paris, tendo iniciado a sua actividade artística como ilustrador em semanários infantis e na imprensa diária. Inicialmente dedicado à temática alentejana, terá sido na sua passagem por Paris e Madrid, onde teve contacto com as obras de Picasso e Goya, que Júlio Resende despertou para a pintura abstraccionista.

Em nome próprio apresentou exposições em países como Espanha, Bélgica, Noruega e Brasil, e representou Portugal em exposições colectivas nas Bienais de S. Paulo, Veneza, Ohio, Londres e Paris.
Nos anos 1960, Resende interessou-se ainda por projectos de decoração e arquitectura, colaborando na decoração do Palácio da Justiça de Lisboa e realizando o painel para a sede do Banco de Portugal.
Dos seus trabalhos, destaca-se o gigantesco painel de azulejos "Ribeira Negra" existente à saída do tabuleiro inferior da Ponte de D. Luís I., feito em 1968 a pedido da Câmara Municipal do Porto, é considerado por muitos como o melhor painel cerâmico contemporâneo. 

Lisbon & Estoril Film Festival começa a 4 de novembro



O novo LEFF (antigo Festival de Cinema do Estoril) arranca com o filme "The Ides of March" de George Clooney.


O Lisbon & Estoril Film Festival (LEFF), que decorre de 4 a 13 de novembro em Lisboa e no concelho de Cascais, vai abrir com duas antestreias nacionais, "The Ides of March", de George Clooney e "Restless", de Gus Van Sant, exibidas na capital e no Estoril, e irá encerrar com "La Piel que Habito", o filme de Pedro Almodóvar apresentado em Cannes. 
O anúncio foi feito pelo produtor Paulo Branco numa conferência de imprensa realizada hoje na Torre de Belém, que contou também com as presenças dos presidentes das câmaras de Lisboa e de Cascais, António Costa e Carlos Carreiras, e dos secretários de Estado da Cultura e do Turismo, Francisco José Viegas e Cecília Meireles.
A competição deste ano contará com 12 longas-metragens, que ainda estão a ser selecionadas, cujos títulos só serão divulgados em outubro, momento em que também serão conhecidos os dois filmes portugueses integrantes do festival. Fora de competição, deverão ser exibidos 16 filmes, incluindo os dois da abertura e o do encerramento, além de títulos como "Faust", do russo Alexander Sokurov, vencedor do Festival de Veneza, e "Melancholia", de Lars Von Trier.
O festival, além de cinema, terá também eventos ligados a outras indústrias culturais como as artes plásticas, a música e a literatura, e um simpósio internacional sobre os direitos de autor na era da Internet.


Ler mais: Expresso

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Cristina Rodríguez e Artur Guerra vencem prémio de tradução

O Prémio de tradução Casa da América Latina/BANIF 2011 distinguiu Cristina Rodríguez e Artur Guerra pela sua versão de 2666, de Roberto Bolaño (Quetzal).
A cerimónia decorreu no passado dia 13 de Setembro, com a presença de Vasco Graça Moura, presidente do júri, António Costa, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa e de Francisco José Viegas, Secretário de Estado da Cultura, editor da Quetzal na altura da publicação do livro. O júri, para além do seu presidente, foi composto por Francisco Bélard e Annabela Rita.
No discurso de aceitação do Prémio, Artur Guerra, tradutor com Cristina Rodríguez de José Saramago nas Suas Palavras, referiu uma frase de José Saramago incluída no referido volume: "Os escritores fazem as literaturas nacionais e os tradutores fazem a literatura universal. Sem os tradutores, os escritores não seríamos nada, estaríamos condenados a viver encerrados na nossa língua." In Fundação José Saramago

Casino Estoril expõe 'Artistas de Cá'

Chama-se 'Artistas de Cá' a exposição colectiva que o Casino Estoril acaba de inaugurar na sua Galeria de Arte e que reúne obras de pintura, desenho e escultura de artistas residentes nos concelhos de Cascais, Oeiras e Sintra. 

Organizada com o objectivo de promover uma aproximação de artistas que de outra forma raramente se encontram, apesar da proximidade geográfica, a mostra é de tema livre e nela participam 36 artistas. Entre eles, Aida Sousa Dias, Carlos Ramos, Cohen Fusé Luís Vieira Baptista ou Luzia Lage. In Correio da Manhã

'Los Angeles Times' elogia o "estranho caso" de Manoel de Oliveira

Por ocasião da edição em DVD nos Estados Unidos do filme 'O Estranho Caso de Angélica', o jornal norte-americano 'Los Angeles Times' elogiou a vitalidade e a singularidade da obra do realizador Manoel de Oliveira, ele próprio "um caso estranho"...

A três meses de completar 103 anos, Manoel de Oliveira "começou ainda no tempo do cinema mudo e tem uma trajectória incomparável". "O mais notável" não é tanto a produtividade, mas sobretudo o facto de grande parte da sua obra "continuar viva e singular", escreveu nesta segunda-feira o diário de Los Angeles.

Aquí começou o erro!

El brasileño (¡?¡?¡?¡?) Artur Barrio gana el Velázquez

 

Cultura concede este galardón al artista "por la universalidad de su lenguaje, desarrollado a través de unos materiales no convencionales"

El Ministerio de Cultura ha distinguido a Artur Barrio con el Premio Velázquez de Artes Plásticas 2011, dotado con 125.000 euros. El jurado ha galardonado al artista por "la construcción de una poética radical, que produce una relación y un eco con la situaciones políticas y sociales. Por la universalidad de su lenguaje, desarrollado a través de unos materiales no convencionales, crudos, perecederos y degradables. Por la radicalidad del uso que hace de los mismos, dentro y fuera de la institución del museo. Su trabajo, desarrollado a través de acciones, performances, instalaciones, vídeo, explora lo efímero y transitorio, interesándose por los efectos simbólicos y la aparición de una belleza inesperada".

Artur Barrio nació en Oporto, Portugal, en 1945, y pronto comenzó a residir en Brasil....

El País, España.

Artur Barrio recebe Prémio Velazquez de Artes Plásticas em Madrid


O artista português Artur Barrio declarou-se hoje "especialmente emocionado" pelo Prémio Velazquez de Artes Plásticas, que recebeu das mãos da ministra da Cultura espanhola, numa das salas do Museu do Prado, em Madrid.
Na curta cerimónia de entrega, Artur Barrio agradeceu o prémio – que recebeu sob a obra mais famosa de Velázquez, "As meninas" – admitindo nunca ter imagino que os seus 44 anos de carreira seriam reconhecidos desta forma.
"Apesar do meu lado selvagem, aqui estou diante de vós para receber o prémio Vélazquez", disse o artista, que nasceu no Porto em 1945 e vive entre o Rio de Janeiro e Gaia desde 1955.
(...)
A cerimónia ficou marcada por um erro da ministra da Cultura espanhola, Ángelez González Sinde, que identificou Artur Barrio como "artista brasileiro", ignorando o facto de que apesar de residir no Brasil, o galardoado só tem nacionalidade portuguesa, nunca tendo querido a brasileira.
(...)
No valor de 180 mil dólares (cerca de 125 mil euros) e considerado o Cervantes das Artes Plásticas...

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

A estreia de Manoel de Oliveira foi há 80 anos


O mais veterano realizador do mundo, Manoel de Oliveira, estreou há 80 anos, a 19 de Setembro de 1931, o seu primeiro filme, “Douro, Faina Fluvial”, em Lisboa. E foi um início de carreira saudado com uma pateada.
A plateia escolhida para estrear o filme de 18 minutos foi a do V Congresso Internacional de Crítica, em Lisboa. Desde 1929 que Oliveira vinha a realizar o filme, que retratava a vida da zona ribeirinha da cidade, mas foi interceptado pelo realizador Lopes Ribeiro, que convenceu o portuense de 21 anos a acabar o filme a tempo daquele evento.
E a maior parte da plateia pateou, incomodada por o filme mostrar a estrangeiros gente descalça e miserável. Mas os estrangeiros adoraram. O famoso dramaturgo Luigi Pirandello e um crítico de cinema terão perguntado se em Portugal se costumava aplaudir os bons filmes com os pés…


+ no Porto24

Second Look: Death comes to life in 'The Strange Case of Angelica'

Manoel de Oliveira's enchanting film, out on DVD this week, was a Cannes Film Festival hit last year. The 102-year-old Portuguese director has worked in film since the silent era.

Manoel de Oliveira, the director of "The Strange Case of Angelica" (out on DVD this week from Cinema Guild), is himself — to say the least — something of a strange case. He turns 103 this December and, having gotten his start in the age of silent cinema, has had a career trajectory unlike any other.

"The Strange Case of Angelica," a critical hit at last year's
Cannes Film Festival, is a film that the Portuguese director had planned to make half a century ago. Written in 1952, it would have been his second feature, but the Antonio Salazar dictatorship, which he staunchly opposed, derailed his career. An athletic adventurer in his youth (he raced cars, competed in the pole vault and was a trapeze artist), Oliveira tended a farm and vineyard with his wife and directed only a handful of films in the first few decades of his career.

Estados Unidos da América: “Ciclo de Cinema Lusófono” apresenta “Cinco Dias, Cinco Noites”

Inserido no “Ciclo de Cinema Lusófono” que o Leitorado da Universidade de Georgetown, Washington, DC, em colaboração com a Associação Cultural BloomBars tem desenvolvido mensalmente, desde Abril de 2011, é exibido, no dia 13 de setembro, na sede da BlooBars, o filme “Cinco Dias, Cinco Noites” do realizador José Fonseca e Costa, que participa no debate que se seguirá à apresentação do filme, através de vídeo conferência.
Cinco Dias, Cinco Noites” (1996),  foi premiado no Festival de Gramado, nos Globos de Ouro em Portugal e selecionado para o Montreal World Film Festival.O filme, baseado num romance de Manuel Tiago, pseudónimo de Álvaro Cunhal, relata a história de André, um oposicionista ao regime vigente em Portugal, vê-se forçado a abandonar o país depois de fugir da prisão. No Porto, uns amigos apresentam-lhe um passador, contrabandista que conhece bem a fronteira de Trás-os-Montes.

Coimbra: António Damásio recebe título de doutor 'honoris causa'

O neurocientista António Damásio recebe na quarta-feira o título de doutor honoris causa pela Universidade de Coimbra (UC), em reconhecimento da sua carreira científica.
"A UC afirma o contributo inexcedível de António Damásio para o avanço da investigação e da docência na área da Neuropsicologia, especialmente na análise e compreensão dos processos neuropsicológicos de funções e domínios como a memória, a linguagem, as emoções e os processos da tomada de decisão", refere uma nota de imprensa da instituição.
O título foi atribuído a António Damásio pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação. Caberá à docente daquela escola Ana Paula Relvas a função de apresentante na cerimónia de investidura, na quarta-feira.

Cyril Pedrosa à procura das suas raízes portuguesas...

A procura da identidade e das raízes da família é o tema principal de "Portugal", o novo livro de banda-desenhada de Cyril Pedrosa, francês luso-descendente, hoje lançado em França.
Pedrosa levou mais de três anos para acabar a obra, de quase 260 páginas, que começou em 2007, quando viajou para Portugal para participar no Festival da Amadora, e era uma das mais aguardadas edições da temporada.
Desde a capa, com o casario do Bairro Alto, até aos bastidores daquele festival e sobretudo os dias passados numa inventada Marinha da Costa, Portugal domina na quase totalidade a obra, que sai com a chancela da coleção "aire libre", da editora Dupuis.

Diário de Notícias.

Cátedra de Estudos Fernando Pessoa criada na Colômbia

A cátedra de Estudos Portugueses Fernando Pessoa acaba de ser criada na Universidade dos Andes, em Bogotá, através de um protocolo entre a instituição de ensino colombiana e o Instituto Camões, disse à Lusa o investigador Jerónimo Pizarro.
O titular da cátedra, o colombiano pessoano Jerónimo Pizarro -- coordenador da coleção "Obras de Fernando Pessoa", publicada pela Ática (Babel), e responsável pelo projeto de digitalização da biblioteca particular do poeta -- indicou à Lusa que a cátedra "ficou oficialmente criada a 29 de agosto de 2011, após a Semana de Portugal" que se realizou na universidade andina.

domingo, 18 de setembro de 2011

Encontros da Imagem de Braga abrem com novas abordagens à fotografia social

Arranca este fim-de-semana a 21ª edição dos Encontros da Imagem de Braga, que se intitula “um dos mais antigos” festivais de fotografia da Europa. "Novas visões na fotografia social" é o tema genérico da edição deste ano tentando abarcar e compreender “o momento de crise” que se atravessa. Na voz da organização, um dos desígnios dos Encontros é justamente a reflexão sobre “cada momento”.
"New Life/New Document" é uma das exposições centrais do festival, onde se revelam as transformações provocadas pela queda do muro de Berlim e pelos processos de adesão à União Europeia de alguns países do centro da Europa e que integravam o Pacto de Varsóvia.

Prémio para Souto de Moura... mais um!

O arquitecto Eduardo Souto de Moura foi hoje distinguido com o Prémio Secil de Arquitectura, pela Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais.
O júri do prémio destacou a forma como Souto de Moura conciliou a construção do edifício com o jardim envolvente. “O edifício foi pensado tendo em conta os elementos fundamentais já existentes: o terreno e as árvores”, pode-se ler no comunicado do júri. “As duas estruturas piramidais, que se destacam na obra, são inspiradas num pormenor de uma das várias casas da vila, da autoria do também arquitecto Raul Lino. A natureza envolvente ajudou a decidir o material exterior, betão pigmentado a vermelho, em contraste com o verde do bosque”, continua.

CISNE: "Mergulhar, nas calmas, numa piscina do nosso futuro sangue"

Depois de dois filmes das profundezas - Mutantes (1998) e Transe (2006) -  Teresa Villaverde emerge com Cisne, a sua sexta longa-metragem. Mas atenção, que são turvas as águas e haverá sempre lodo no cais.
Há rótulos tão pegajosos como moscas numa tarde de Verão. E que, mesmo depois de enxotadas, voltam, e pousam, e insistem, teimam, repisam e irritam. Não é que a nova longa-metragem de Teresa Villaverde, Cisne (estreia-se quinta, dia 8, depois de passar pelo Festival de Veneza, dia 6) não detenha alguma atenção sobre elas, as moscas, a dada altura do filme, mas neste caso, estes insectos inoportunos vêm mais a propósito das ideias que depois de feitas dificilmente se desfazem. Por isso fica aqui, uma espécie de post-it logo à cabeça desta entrevista, para fixar, de vez, a advertência que a realizadora passa o tempo a fazer. Não, Vera (Beatriz Batarda), a protagonista do filme, não é uma fadista.