quarta-feira, 29 de julho de 2009

Festival dos Oceanos começa a 1 de Agosto


Eventos gratuitos animam Lisboa.

O Festival dos Oceanos invade o Eixo Ribeirinho de Lisboa – desde Belém ao Parque das Nações, passando pela Zona Histórica, de 1 a 15 de Agosto, com uma maré de concertos, de artistas nacionais e internacionais, peças de teatro, espectáculos de ópera em português, conferências, exposições, animação de rua e muitos outros eventos gratuitos.

Ver mais

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Rosa Alice Branco vence XVII Prémio de Poesia Espiral Maior


A escritora Rosa Alice Branco venceu o XVII Prémio de Poesia Espiral Maior, com a obra «O Gado do Senhor», tendo a escolha merecido a unanimidade do júri, disse hoje à Lusa, no Porto, fonte da organização do evento.

O Prémio de Poesia Espiral Maior, no valor de 15 mil euros, pretende promover esta forma de expressão na área de influência das línguas galega e portuguesa.

Ao todo estavam a concurso 198 obras, precedentes de Portugal, Galiza, Angola e Brasil tornando esta numa das mais importantes edições deste prémio, apoiado pelo Âmbito Cultural do El Corte Inglés.

Diário Digital / Lusa

domingo, 26 de julho de 2009

Romance de Alice Vieira premiado


O romance “Flor de Mel” de Alice Vieira recebeu a Estrela de Prata do Prémio Peter Pan, atribuída pela Internacional Board on Books for Young People (IBBY) e pela Feira do Livro de Gotemburgo.

A escritora começou a sua carreira literária há 30 anos e desde então alcançou inúmeros prémios e distinções. Relativamente à Estrela de Prata, Alice Vieira destacou a importância que tem o reconhecimento do seu trabalho literário por entidades prestigiadas como a IBBY.
O prémio, criado em 2000, é atribuído a um livro infantil ou juvenil de autor estrangeiro com qualidade literária e temática.

Ministro da Cultura disse que ia fazer mais por menos e tem orgulho nisso

Em fim de legislatura, o primeiro-ministro, José Sócrates, acaba de assumir como erro ter investido pouco na Cultura. Num momento em que há decepção pública na área, José António Pinto Ribeiro, segundo ministro da Cultura do Governo socialista, fala de projectos, feitos e por fazer, e pergunta-se: "O que é que andei cá a fazer?" E dá a resposta. "Qualificar as pessoas, dar-lhes condições para serem livres."

Ver mais no Público

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Fado y flamenco se fusionan en la versión teatral lusa del "Romancero gitano"


Lisboa, 23 jul (EFE).- Las historias de amor y muerte que imaginó Federico García Lorca en el "Romancero gitano" adquieren una renovada sonoridad ibérica gracias a la adaptación teatral del director luso António Pires, en la que fusiona fado y flamenco.

Entre las ruinas del Convento do Carmo, símbolo de la destrucción causada por el terremoto que asoló Lisboa en 1755 y, a cielo descubierto, seis personajes cantan y cuentan romances en español y portugués a un público privilegiado, que no supera el medio centenar de personas.

El "Romancero Gitano" de Pires está inspirado en la obra homónima de Lorca así como en otras piezas de teatro y poemas de juventud con un denominador común: el gitano Amargo, personaje que constituye el hilo conductor de la versión lusa.

Ver mais

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Principal exposição de fotojornalismo regressa a Portimão


A cidade algarvia volva a receber a receber a mais importante amostra de fotografias jornalisticas do mundo: o World Press Foto 2009.


Mais no Correio da Manha.

sábado, 18 de julho de 2009

“Revolução” em Guimarães


O projecto Guimarães – Capital Europeia da Cultura tem dimensão mundial e vai, nos próximos três anos, virar do avesso a cidade-berço da nação e património mundial da humanidade.
Ao todo, vão ser gastos mais de 160 milhões de euros, sendo a maior fatia para a intervenção urbanística, com particular destaque para a Colina Sagrada, onde se erguem o Castelo e o Paço dos Duques, a antiga zona industrial de Couros e o Centro Histórico.
Ontem, na apresentação do projecto, o ministro da Cultura , José António Pinto Ribeiro, defendeu "as parcerias com os municípios vizinhos e até com as muitas cidades com que está geminada".
Mais no Correio da Manhã.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Dulce Maria Cardoso vence prémio internacional


Dulce Maria Cardoso é a portuguesa distinguida com o Prémio da União Europeia para a Literatura, pelo seu segundo romance, ‘Os Meus Sentimentos’ (ed. Asa).
"Os prémios honram quem os merece, mas nada dizem sobre quem não os recebe. Por isso, temos de os relativizar mas estou muito contente, é claro", disse ao CM a escritora, cujo prémio tem o valor de cinco mil euros.
"Em Outubro chega ‘O Chão dos Pardais’ que começou por ser um livro sobre o Poder, mas acabou por ser mais um sobre a incomunicabilidade", adiantou.
Até 2011 será anunciado um vencedor em cada um dos 34 países participantes.

Mais.
Mais.

sábado, 11 de julho de 2009

José Saramago Sócio Correspondente da Academia Brasileira de Letras


José Saramago, único Prémio Nobel atribuído à literatura de língua portuguesa, acaba de receber um novo e importante reconhecimento internacional.

A Academia Brasileira de Letras, na sessão de 9 de julho, acaba de eleger o escritor português José Saramago, Prêmio Nobel de Literatura de 1988, seu novo Sócio Correspondente, na vaga do escritor francês Maurice Druon, decano da Academia Francesa, falecido em abril de 2009.

Visite o blogue.

Botelho filma ‘Desassossego’

Antes deram dinheiro ao Saura para filmar, e mal, o fado, agora, que mo deram a mim, pode ser que eu filme, e bem, Pessoa."
As palavras são do realizador João Botelho e foram proferidas ontem na Casa Pessoa, Lisboa, na assinatura de um protocolo ao abrigo do qual a Câmara de Lisboa contribuirá com 200 mil euros para o cineasta levar ao grande ecrã ‘O Filme do Desassossego’, baseado no ‘Livro do Desassossego" de Fernando Pessoa.

Mais no Correio da Manhã.

Lisboa apoia documentário sobre o Nobel


A Câmara de Lisboa vai apoiar com 30 mil euros o documentário ‘União Ibérica’, sobre a relação entre o Nobel da Literatura José Saramago e a mulher, Pilar del Rio, de acordo com um protocolo ontem assinado. A obra da produtora Jumpcut é realizada por Miguel Gonçalves Mendes e está em rodagem há quatro anos.
Na cerimónia de assinatura do protocolo, Saramago agradeceu ao presidente da autarquia, António Costa, a sua "boa vontade" relativamente ao filme, desejando-lhe que seja presidente "de câmara por muitos anos mais".
António Costa justificou o envolvimento da autarquia alegando que a cidade tem de aproveitar "as poucas coisas que tem de universal: o fado, que conta com o empenho da autarquia na candidatura a Património da Humanidade; Fernando Pessoa, que acaba de ter a quarta edição em chinês do ‘Livro do Desassossego’, e José Saramago, o único Nobel da Literatura" portugês. (In Correio da Manhã.)

Vera Mantero distinguida


"A dança contemporânea é experimentar possibilidades de vivência e acho que foi isso que este prémio veio reconhecer e distinguir." Vera Mantero, bailarina e coreógrafa, comentou assim, ontem ao CM, o Prémio Gulbenkian de 2009 que lhe veio coroar uma carreira de 20 anos cumpridos em 2007.
Este Prémio tem o valor pecuniário de 50 mil euros e a mais-valia de fechar um ciclo: "É verdade. Comecei no Ballet Gulbenkian, onde passei cinco anos preciosos, mas suficientes para saber que a minha dança era outra".
‘Vamos Sentir Falta de Tudo Aquilo de Que Não Precisamos’ é a recém-estreada peça que traz Vera em viagem pela Europa. (In Correio da Manhã.)

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Julieta Monginho ganhou Grande Prémio da APE


"A Terceira Mãe", de Julieta Monginho, editado pela Campo das Letras, venceu o Grande Prémio de Romance e Novela APE/Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas, no valor de 15.000 euros.

Ao Prémio concorreram 101 obras, o maior número de sempre, de 101 escritores - 69 homens e 32 mulheres - tendo a chancela de 35 editoras, esclarece uma nota da Associação Portuguesa de Escritores (APE).

O júri, liderado pelo vice-presidente da APE, José Correia Tavares, foi constituído por Ana Marques Gastão, Annabela Rita, Armando Silva Carvalho, Cristina Robalo Cordeiro e Fernando Pinto do Amaral.

Mais em Público.

Manoel de Oliveira estreia "Romance de Vila do Conde"


Manoel de Oliveira estreia amanhã, no 17º Curtas em Vila do Conde, o seu filme "Romance de Vila do Conde". Filmado em 1965, foi apenas terminado em 2008 e é um dos pontos altos da fase final do festival.

Este é um dos dois filmes que Manoel de Oliveira fez, em 1965, com José Régio (o outro foi "O Vitral e a Santa Morta"), mas que ficaram por terminar. O filme permaneceu mudo até 2001, ano em que o realizador pediu a Luís Miguel Cintra que gravasse o poema publicado no livro “O Fado”, tendo finalmente procedido à montagem final no ano passado.

Mais em Público.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Deputado do PSD propõe nacionalizar terrenos de Conímbriga


O deputado do PSD Miguel Almeida quer que os terrenos das ruínas romanas de Conímbriga, em Condeixa-a-Nova, que são propriedade particular, passem para a alçada do Estado, tendo apresentado na Assembleia da República um projecto de resolução.
Em causa está uma área substancial das ruínas de Conímbrigra – incluindo o anfiteatro, o segundo fórum da cidade e parte da Casa dos Repuxos – que se mantém longe dos olhares dos visitantes, no subsolo de terrenos particulares.
Dos 22 hectares de extensão máxima da cidade romana, que é monumento nacional, só 14 são propriedade do Estado, subsistindo oito na posse de particulares.

Informação sobre Conímbriga.

José Saramago : “preocupante” a possível decisão de Maria João Pires de renunciar à nacionalidade

O mais ilustre escritor exilado português, José Saramago, não comenta o anunciado desejo de Miguel Sousa Tavares de querer ir viver para o Brasil, por lhe ser uma questão "bastante indiferente", mas no caso da, também anunciada, vontade da pianista Maria João Pires de deixar o País em definitivo a sua posição é muito menos indiferente.
Para o Nobel, que vive em Lanzarote (Canárias) há mais de uma década, na sequência do veto do Governo Cavaco Silva à candidatura do seu livro Evangelho segundo Jesus Cristo a um prémio literário europeu, a situação de Maria João Pires é muito mais preocupante e deve questionar os portugueses. No entanto, José Saramago pede para se manter em silêncio sobre o alegado desejo da pianista, que envolve, para além de um exílio, o abandono da nacionalidade portuguesa, porque "a decisão é ainda encarada como uma possibilidade" e não, no seu entender, como "alguma coisa em definitivo". Assim sendo, e de modo a não perturbar qualquer tomada decisão de Maria João Pires, o escritor nega
Mais no Diário de Notícias.
Lobo Antunes opina.
Miguel Sousa Tavares opina

Dorindo de Carvalho expõe em Lisboa


O artista plástico Dorindo de Carvalho, que durante vários anos nos acompanhou à frente dos trabalhos do IPC, vai inaugurar nova exposição no Hotel Mercure Lisboa. A inauguração está programada para o dia 10 de Julho
Se vai a Portugal nos próximos dias, não deixe de visitar esta exposição, onde poderá encontrar também trabalhos de Rodrigo Pombeiro, João Paulo e José Pádua.
Pombeiro, ao igual que Dorindo, viveu vários anos aqui em Caracas.
Esta colectiva tem o nome de “Imagens” e é auspiciada pelo Hotel Mercure Lisboa e por TAM/Círculo de Artista Plásticos.

sábado, 4 de julho de 2009

Maria João Pires renuncia à nacionalidade portuguesa


A pianista Maria João Pires vai renunciar à nacionalidade portuguesa, tornando-se aos 65 anos cidadã brasileira. A notícia é avançada pela Antena 2 da RDP, que adianta que a pianista se fartou “dos coices e pontapés que tem recebido do Governo português".

Decepcionada com o modo como tem sido tratada a nível governamental, sobretudo no seu projecto de ensino artístico de Belgais (Castelo Branco), Maria João Pires, que tinha dupla nacionalidade, decidiu agora ficar apenas com a brasileira.

Em Junho de 2006, Maria João Pires abandonou o Projecto Educativo de Belgais, que desenvolveu no concelho de Castelo Branco, e decidiu ir viver para o Brasil, onde pediu autorização de residência. A pianista está a viver em Salvador, no Estado da Bahia, e vai dedicar-se à hotelaria.

Mais em Público.
Mais.
Mais.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Esta noite


Tertúlia musical dedicada à Madeira.
No Bar A Nau do Centro Português, a partir das 20 h.
Fados, canções populares e audiovisuais.
Não falte!

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Caracas: Ensemble da Orquestra de Câmara de Braga


A Embaixada de Portugal em Caracas vem informar sobre a deslocação à Venezuela, entre os próximos dias 3 e 12 de Julho, do Ensemble da Orquestra de Câmara do Distrito de Braga, composta por oito músicos de instrumentos de cordas, sob a batuta do Maestro António de Sousa Baptista.Como solista actuará o tenor Mário Anacleto.

O Ensemble da Orquestra de Câmara do Distrito de Braga visita a Venezuela no âmbito de uma iniciativa promovida por esta Embaixada e actuará em sete locais distintos, nomeadamente:
· 4 de Julho, às 19h30 – Centro Cultural de Chacao
· 5 de Julho, às 18h00 – Centro Social Madeirense (Valência)
· 6 de Julho, cerca das 20h30 – Academia do Bacalhau de Caracas
· 7 de Julho, às 18h30 – Auditório de Los Teques
· 9 de Julho, cerca das 11h00 – Colégio Emil Friedman
· 10 de Julho, às 19h00 – Casa Portuguesa do Estado de Aragua (Maracay)
· 11 de Julho, às 19h30 – Centro Português de Caracas (actuação com a Orquestra Típica Nacional da Venezuela)
A Embaixada de Portugal vem apelar à vossa presença nos concertos anteriormente mencionados, que contarão no seu reportório com Fados de Coimbra, Fados de Lisboa e algumas peças musicais de origem latino-americana.

Contamos com a vossa presença e divulgação junto dos vossos amigos, familiares e contactos!

Sophia de Mello: Foi há cinco anos...


Os cinco anos sobre a morte de Sophia de Mello Breyner Andresen não passam em branco, pois ao meio-dia de hoje será descerrado um busto da poetisa em Lisboa, de autoria do escultor António Duarte e que foi esculpido nos anos 50.
A escritora, que já deu nome a várias escolas do País, é celebrada deste modo e num lugar que muito apreciava, o Jardim Augusto Gil, no miradouro da Graça. Recorde-se que Sophia se deslocava ali frequentemente, até porque ficava perto de sua casa, na Travessa das Mónicas. Estiveram ainda equacionadas outras homenagens, designadamente em Lagos, cidade onde passou muitos verões e a que dedicou vários poemas, mas a família considerou que não prestigiavam o suficiente a autora. Ao mesmo tempo que decorre esta homenagem está, também, em curso o processo de inventariação documental do espólio que a poetisa deixou, fruto de um trabalho literário realizado ao longo de quase uma vida - nasceu no ano de 1919 e faleceu em 2004 -, pois desde cedo que a autora revelou interesse na expressão artística que a celebrizou em todo o mundo: a poesia.
Mais no Diário de Notícias.
Biografia.