quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Palácio da Pena entre as 10 maravilhas do mundo moderno




O icónico Palácio da Pena, em Sintra, está entre as 10 maravilhas do mundo moderno para o Huffington Post. O jornal norte-americano compilou recentemente as "estruturas [arquitetónicas] mais impressionantes nascidas da imaginação humana", escolhendo como um dos exemplos este "palácio surreal situado no topo da montanha".

Para selecionar as "maravilhas" que mereciam figurar nesta lista restrita, o Huffington Post analisou "milhares de recomendações feitas por viajantes reais" na plataforma online Minube, uma rede social de viagens onde é possível obter opiniões, planear aventuras e partilhar experiências com utilizadores de todo o mundo.

"Apesar de as maravilhas ancestrais do mundo serem, de facto, espetaculares, o último milénio tem também uma quantidade significativa de exemplos de grandeza humana, religiosa e política que nos deixam de queixo caído e que nenhum viajante pode perder", lê-se no artigo publicado na passada sexta-feira.

Filme português "Florbela" premiado na Colômbia




A longa-metragem "Florbela" acaba de valer ao realizador português Vicente Alves do Ó a conquista dos prémios de melhor realização e melhor filme no Festival de Cinema de Bogotá, que terminou esta quinta-feira na Colômbia.

O anúncio foi feito pela organização do evento, que revelou que a 30.ª edição do Festival de Cinema de Bogotá atribuiu o prémio máximo - "Círculo Precolombino de Ouro" - à produção portuguesa, distinguindo-a com os títulos de melhor filme e melhor realização.

"Florbela" é a segunda longa-metragem assinada por Vicente Alves do Ó, de 42 anos, sucedendo a "Quinze Pontos na Alma", e é uma ficção biográfica da escritora Florbela Espanca, protagonizada por Dalila Carmo e que conta ainda com as participações de Ivo Canelas, Albano Jerónimo e Anabela Teixeira.

Hoje: A Arte de Roubar e A Bella e o Paparazzo...


Finaliza hoje a IV Mostra de Cinema Português Contemporâneo, uma  iniciativa da Embaixada de Portugal, em associação com a Fundação Cinemateca Nacional e o apoio do Camões Instituto da Cooperação e da Língua, Instituto do Cinema e Audiovisual e do Instituto Português de Cultura.

15 horas:
Arte de Roubar (2008),  filme realizado por Leonel Vieira. É uma coprodução entre Portugal, Brasil e Espanha.

Chico e Fuentes são dois amigos que vivem de pequenos roubos, golpes e contos do vigário. Uma vez que já estão “queimados” por terra do Tio Sam decidem vir para a Europa em busca do golpe perfeito. Portugal é o local perfeito devido às raízes lusas de Chico.

17 horas:
A Bela e o Paparazzo (2009). Comédia romântica realizado por António-Pedro Vasconcelos, com Soraia Chaves e Marco d'Almeida nos papéis principais.

A história de Mariana, uma actriz de telenovelas, e de um paparazzo, chamado João que se vêem envolvidos numa comédia romântica...

Celarg...

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Jornal The Telegraph elogia pianista portuguesa




Um blogger do prestigiado jornal britânico The Telegraph recuperou, recentemente, um momento, já com alguns anos, em que Maria João Pires sobe ao palco e é surpreendida por uma orquestra que começa a tocar uma melodia inesperada, para a qual a pianista portuguesa não estava preparada.

Publicado em 2009, o vídeo mostra a artista a ser apanhada de surpresa pela orquestra com quem estava a tocar num espetáculo em Amesterdão, na Holanda. Contrariamente ao concerto de Mozart que estava previsto ser executado, os músicos começaram a tocar outro completamente diferente.

No vídeo, a pianista portuguesa, agitada, troca umas palavras com o maestro e, na altura em que deve entrar, apesar de hesitante e receosa, acaba por fazê-lo de forma impecável e sem falhar uma única vez.



Nos próximos dez anos seremos 300 milhões a falar português



A tendência para o crescimento apoia-se numa população jovem no mundo lusófono. Conferência sobre Língua Portuguesa reúne dezenas de especialistas dos oito países da CPLP nestas terça e quarta-feiras em Lisboa.

O universo de falantes de português varia consoante se inclua a população total dos oito países lusófonos, ou só a parte que fala de facto o português. O número de pessoas também se altera se contarmos – ou não – “aquilo que poderíamos chamar um outro país”, segundo as palavras da presidente do Instituto Camões Ana Paula Laborinho, o país das diásporas e que só no caso de Portugal representa 4,8 milhões de pessoas e no caso do Brasil três milhões.

Mas a tendência de crescimento não deixa dúvidas. Com os 250 milhões de pessoas a falar português em todo o mundo, a perspectiva é para que sejam 300 milhões nos próximos cinco a dez anos.

Com uma população jovem em grande crescimento [nos países lusófonos], há uma previsão de um aumento significativo dos falantes dentro de cinco a 10 anos”, disse ao PÚBLICO Ana Paula Laborinho. A população jovem que fala português também explica a conquista do mundo digital.

Hoje: Cinco Dias, Cinco Noites e Call Girl...




Nova sessão da IV Mostra de Cinema Português Contemporâneo, uma  iniciativa da Embaixada de Portugal, em associação com a Fundação Cinemateca Nacional e o apoio do Camões Instituto da Cooperação e da Língua, Instituto do Cinema e Audiovisual e do Instituto Português de Cultura.

15 horas:

Cinco Dias, Cinco Noites (1996). O filme tem como base o romance homónimo de Álvaro Cunhal escrito com o pseudónimo de Manuel Tiago. No filme entram os actores Vítor Norte e Paulo Pires.

17 Horas:

Call Girl (2007), de António-Pedro Vasconcelos.

Maria (Soraia Chaves), uma call girl de luxo, é contratada por Mouros (Joaquim de Almeida) para seduzir Meireles (Nicolau Breyner), presidente da Câmara Municipal de Vilanova, na tentativa que este autorize uma multinacional a construir um empreendimento turístico de alta qualidade. Entretanto, Madeira (Ivo Canelas) e Neves (José Raposo), polícias da PJ, descobrem os indícios de corrupção e começam a investigar Meireles. Tudo se torna ainda mais complexo quando Madeira descobre que Maria, a paixão da sua vida, é o isco que obrigará o político a ceder.

Celarg...

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Ensaísta Eduardo Lourenço internado


O filósofo e ensaísta Eduardo Lourenço encontra-se internado desde segunda-feira à tarde no Hospital da Luz, em Lisboa, disse, esta terça-feira, fonte próxima da família.

A hospitalização do ensaísta de 90 anos obrigou ao cancelamento da palestra, marcada para quarta-feira, em Lisboa. Promovida pelo Clube Português de Imprensa, Centro Nacional de Cultura, a iniciativa integrava-se no ciclo "Portugal: que Estado, que sociedade, que soberania?".

O autor de "Labirinto da saudade" seria o primeiro convidado de um novo ciclo de jantares-debate, subordinado àquele tema, a realizar no Grémio Literário, em Lisboa.

Eduardo Lourenço nasceu a 23 de maio de 1923 em S. Pedro de Rio Seco, no concelho de Almeida, distrito da Guarda. Entre os galardões que recebeu contam-se o Prémio Camões, em 1996, e o Prémio Pessoa, em 2011.

Hoje: A Bela e o Paparazzo/ Deus Não Quis e O Delfim...




Prossegue hoje a IV Mostra de Cinema Português Contemporâneo, uma  iniciativa da Embaixada de Portugal, em associação com a Fundação Cinemateca Nacional e o apoio do Camões Instituto da Cooperação e da Língua, Instituto do Cinema e Audiovisual e do Instituto Português de Cultura.

15 h:
A Bela e o Paparazzo, filme português de comédia romântica realizado por António-Pedro Vasconcelos, com Soraia Chaves e Marco d'Almeida nos papéis principais.

Sinopse
Mariana (Soraia Chaves), uma actriz de telenovelas, está perto de um colapso nervoso: as filmagens não estão a correr bem, a sua popularidade na novela está a descer e todos os seus passos continuam a ser alvo das revistas cor-de-rosa. A culpada desta ausência de privacidade é a temível paparazza Gabriela Santos, nome artístico de João (Marco d'Almeida), cuja presença Mariana nunca consegue detectar. Um dia João e Mariana conhecem-se de forma fortuita. A partir daí, desenvolvem uma relação amorosa na qual o paparazzo faz de tudo para que Mariana não descubra a sua verdadeira identidade.

17 h:
Curta-metragemDeus não quis(2007) de António Ferreira, e O Delfim” (2002) de Fernando Lopes, baseada no romance homónimo de José Cardoso Pires, que representou Portugal na 75ª edição dos Prémios Óscar.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Praça Luís de Camões …


Como se recordará, no sábado 19 de Outubro, graças a uma feliz iniciativa do Centro Português, foi inauguradas na Av. Luís de Camões (estrada que liga El Cafetal a Macaracuay), uma praça com o nome do “príncipe dos poetas portugueses”, a qual tem a particularidade que está adornada com uma calcida portuguesa, a primeira que existe na Venezuela.
Com motivo desta circunstância, o poeta e escrito Joaquin Marta Sosa, de origem portuguesa, escreveu, no suplemento cultural de Tal Cual, o artigo “En Caracas, las piedras de Portugal”, recordando uma nota com o mesmo título,escrita há vários anos pelo poeta Eugenio Montejo, pessoano confesso.
É essa interessante nota que ilustra este texto.

Hoje: Call Girl e A Arte de Roubar...

Continua hoje a IV Mostra de Cinema Português Contemporâneo, uma  iniciativa da Embaixada de Portugal, em associação com a Fundação Cinemateca Nacional e o apoio do Camões Instituto da Cooperação e da Língua, Instituto do Cinema e Audiovisual e do Instituto Português de Cultura.

As 15 h, os interessados poderao desfrutar de Call Girl, um filme português realizado em 2007 por António-Pedro Vasconcelos. A estreia nacional foi a 27 de Dezembro de 2007.

Este filme teve o apoio da TVI, que o estreou em televisão no dia 3 de Janeiro de 2010.
Sinopse
Maria (Soraia Chaves), uma call girl de luxo, é contratada por Mouros (Joaquim de Almeida) para seduzir Meireles (Nicolau Breyner), presidente da Câmara Municipal de Vilanova, na tentativa que este autorize uma multinacional a construir um empreendimento turístico de alta qualidade. Entretanto, Madeira (Ivo Canelas) e Neves (José Raposo), polícias da PJ, descobrem os indícios de corrupção e começam a investigar Meireles. Tudo se torna ainda mais complexo quando Madeira descobre que Maria, a paixão da sua vida, é o isco que obrigará o político a ceder.

As 17:30 h, será projectado A Arte de Roubar (2008), filme realizado por Leonel Vieira. É uma coprodução entre Portugal, Brasil e Espanha.

IV Mostra de Cinema Português Contemporâneo...


Por iniciativa da Embaixada de Portugal, em associação com a Fundação Cinemateca Nacional e o apoio do Camões Instituto da Cooperação e da Língua, Instituto do Cinema e Audiovisual e do Instituto Português de Cultura, ficou inaugurada, no sábado passado, a IV Mostra de Cinema Português Contemporâneo, com a projecção da premiada curta-metragem “Deus não quis” (2007) de António Ferreira, e do filme “O Delfim” (2002) de Fernando Lopes, baseada no romance homónimo de José Cardoso Pires, que representou Portugal na 75ª edição dos Prémios Óscar.

Ontem, domingo, foi projectado o filme Cinco Dias, Cinco Noites (1996), de José Fonseca e Costa, sobre texto homónimo de Manuel Tiago/Álvaro Cunhal.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Hoy: ¡Noche de Fado!


 
¡Reposición por lleno total!

Andrea Imaginario, Iliana Gonçalves y Sandra Rodriguez acompañadas por la guitarra de Aquiles Báez ofrecerán un íntimo concierto cargado de tradición del canto portugués.
Funciones:
jueves 24 de octubre de 2013.
Hora:
8:00 pm
Entrada general:
Bs. 180,00
Local:
Centro Comercial Las Mercedes, Nivel Trasnocho

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Um livro da autoria do académico James Campbell, da Universidade de Cambridge, apresenta as bibliotecas mais "impressionantes" do mundo. Portugal está duplamente representado na lista, com a Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra e a do Palácio Nacional de Mafra.

Um livro da autoria do académico James Campbell, da Universidade de Cambridge, apresenta as bibliotecas mais "impressionantes" do mundo. Portugal está duplamente representado na lista, com a Biblioteca Joanina da Universidade de Coimbra e a do Palácio Nacional de Mafra.

Com 320 páginas, 'A Biblioteca' ('The Library', no original) é o primeiro volume alguma vez escrito com a história completa dos edifícios deste género. Para a sua produção, James Campbell visitou mais de 80 bibliotecas em 20 diferentes países, todas elas ilustradas em fotografias capazes de tirar o fôlego a qualquer um.

Ao fim de cinco anos de pesquisa, três dos quais a viajar pelo mundo com o fotógrafo Will Pryce, o resultado do trabalho deste especialista em arquitetura foi a mais complexa obra publicada sobre as maiores bibliotecas do mundo. O objetivo era mostrar aquilo que, outrora, as sociedades - para quem conhecimento era, literalmente, poder - estavam dispostas a investir num centro do género. 

Boas Noticias.

"Florbela" representa Portugal no Festival de Cinema da UE.


O filme "Florbela", de Vicente Alves do Ó, representará Portugal no 6.º Festival de Cinema da União Europeia na China, que decorrerá em novembro em três cidades chinesas.

Vinte e dois filmes de outros tantos países, todos produções recentes e com legendas em chinês, vão serão exibidos durante o certame, mostrando "a grande diversidade cultural da União Europeia", anunciou a Delegação da União Europeia na China.

O festival começa no dia 01 de novembro em Pequim, com o filme irlandês "Pilgrim Hill", do realizador Gerard Barrett, que estará presente na sessão inaugural, e prossegue até ao final do mês, em diversas salas da cidade.

Além da capital, o festival será apresentado em Chengdu, capital da província de Sichuan, no sudoeste da China, e em Shenzhen, a mais próspera Zona Económica Especial do país, adjacente a Hong Kong.


terça-feira, 22 de outubro de 2013

Marionetas portuguesas na Royal Opera House


A companhia de marionetas portuguesa Red Cloud vai participar, esta semana, num espetáculo na prestigiada Royal Opera House, em Londres. Menos de um anos após ter sido formada, a companhia portuguesa voltou a ser convidada para subir àquele palco, para a estreia da peça 'El Gato das Botas', do espanhol Xavier Montsalvatge.

"Foi uma surpresa quando recebemos o convite para fazer este trabalho", conta Rui Henriques à Lusa. "Com tão pouco tempo de existência enquanto companhia, fazer esta colaboração com uma produção de ópera na Royal Opera House, é emocionante e é bom. É ótimo!"

Juntamente com Sara Henriques, deixou para trás dez anos na companhia do Teatro de Marionetas do Porto para criar um projeto próprio. O trabalho que agora lhes chega às mãos foi proposto por um velho conhecido, o encenador português Pedro Ribeiro, que foi desafiado a encenar esta ópera como primeiro espetáculo dos alunos do Programa de Jovens Artistas Jette Parker.
Boas Noticias.

Português ilustra selos para coleção da ONU


Fernando Correia, biólogo e docente do Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro, acaba de assinar uma coleção de selos da Organização das Nações Unidas (ONU) dedicada a espécies ameaçadas. O português foi um dos três ilustradores convidados pela ONU a nível mundial, a par da italiana Sara Menom e da canadiana Emily Damstra.

De acordo com informações avançadas pela Universidade de Aveiro, Fernando Correia, que ocupa também o cargo de diretor do Laboratório de Ilustração Científica daquela instituição, concebeu quatro ilustrações científicas de mamíferos noturnos, nomeadamente o Tapir asiático, o Eulemur mongoz, o gato-de-cabeça-chata (Prionailurus planiceps) e o Aie-aie (Daubentonia madagascariensis). 
Boas Noticias.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Menos 5%: Vendidos menos 470 mil livros que em 2012


Quebra de 5% nas vendas não se reflete da mesma forma nas receitas, que recuaram apenas 1% (um milhão). No terceiro trimestre até subiram 2%

De janeiro a setembro foram vendidos 8,9 milhões de livros em Portugal (excluindo manuais escolares), o que representa uma redução de 5% face aos mesmos meses de 2012, revelam os números da GfK Portugal, que refletem uma cobertura estimada entre os 75% e os 80% das vendas do mercado nacional de livros não escolares. Contas feitas, nos primeiros nove meses do ano, foram comprados em Portugal menos 470 mil livros, um recuo superior a 50 mil exemplares por mês.

Neste período, as editoras faturaram cerca de 97 milhões de euros, uma quebra de 1% (aproximadamente uma perda de um milhão de euros). Como a queda nas vendas é superior à descida da faturação, isto significa que, em média, cada livro foi comprado por um preço superior ao do ano passado.


Filmes portugueses escolhidos para festival em Roma


Três filmes portugueses foram selecionados para o Festival Internacional de Cinema de Roma. O evento vai contar com dois documentários com assinatura lusitana, da autoria de Gonçalo Tocha e de Joaquim Pinto e Nuno Leonel, bem como com a longa-metragem portuguesa de ficção "A vida invisível", de Vítor Gonçalves.

A 8ª edição do festival vai decorrer já de 8 a 17 de Novembro e o programa foi, esta terça-feira, divulgado pela organização, que dispõe de um orçamento de sete milhões de euros e que, durante o certame, vai assinalar os 20 anos da morte do realizador italiano Federico Fellini.

A longa-metragem "A vida invisível", de Vítor Gonçalves, nascido nos Açores em 1951 e professor na Escola Superior de Teatro e Cinema desde 1982, vai participar na competição internacional, secção para a qual foram selecionadas 18 produções internacionais.

Produzido pela Rosa Filmes, o filme tem como protagonista os atores Filipe Duarte, Maria João Pinho, João Perry, Pedro Lamares e Susana Arrais, assinalando o regresso do realizador às longas-metragens depois de "Uma rapariga no verão" (1986).



domingo, 20 de outubro de 2013

24 de Oct. NOCHES DE FADO


¡Reposición por lleno total!

Andrea Imaginario, Iliana Gonçalves y Sandra Rodriguez acompañadas por la guitarra de Aquiles Báez ofrecerán un íntimo concierto cargado de tradición del canto portugués.
Funciones:
jueves 24 de octubre de 2013.
Hora:
8:00 pm
Entrada general:
Bs. 180,00
Local:
Centro Comercial Las Mercedes, Nivel Trasnocho

sábado, 19 de outubro de 2013

Nota de Condolências


 
O Instituto Português de Cultura

 cumpre com o penoso dever de informar o falecimento do amigo

Moisés Rodrigues,

marido da nossa colega Ysabel Ferreira.

A ela, aos seus filhos, Johan e Jonathan, demais familiares e amigos
fazemos chegar as nossas mais sentidas e sinceras palavras de
condolência e solidariedade neste momento de profunda tristeza e dor.

O velório será amanhã, domingo, a partir das 15 horas,
no Cementerio del Este.

 

Hoje: Praça Luís de Camões…

            Hoje, pelas 11 h, será  inaugurada a Praça Luís de Camões, na estrada que une El Cafetal a Macaracuay. Trata-se de uma iniciativa – muito louvável, por certo – do Centro Português, que assim homenageia a figura do “príncipe dos poetas portugueses” e fá-lo com um espaço a recordar uma arte decorativa tipicamente nacional: a calçada portuguesa!

O trabalho foi feita com pedra portuguesa e por um mestre calceteiro trazido especialmente de Lisboa.

A calçada começou em Portugal de forma diversa da que hoje é mais corriqueira. São as cartas régias de 20 de Agosto de 1498 e de 8 de Maio de 1500, assinadas pelo rei D. Manuel I, que marcam o início do calcetamento das ruas de Lisboa, mais notavelmente o da Rua Nova dos Mercadores (antes Rua Nova dos Ferros). Nessa época, foi determinado que o material a utilizar deveria ser o granito da região do Porto, que, pelo transporte implicado, tornou a obra muito dispendiosa. O terramoto de 1755, a consequente destruição e reconstrução da cidade lisboeta, em moldes racionais mas de custos contidos, tornou a calçada algo improvável à época. Contudo, já no século seguinte, foi feita em Lisboa no ano de 1842, uma calçada calcária, muito mais próxima da que hoje mais conhecemos e continua a ser utilizada. O trabalho foi realizado por presidiários (chamados "grilhetas" na época), a mando do Governador de armas do Castelo de São Jorge, o tenente-general Eusébio Pinheiro Furtado. O desenho utilizado nesse pavimento foi de um traçado simples (tipo zig-zag) mas, para a época, a obra foi de certa forma insólita, tendo motivado cronistas portugueses a escrever sobre o assunto. Em O Arco de Sant'Ana, romance de Almeida Garrett, também a calçada seria referida, tal como em Cristalizações, poema de Cesário Verde. (Tomado de Wikipedia).

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Esta Noite: Cultureando…


Esta noite, a partir das 19:30, estará no ar o programa Cultureando do Instituto Português de Cultura (IPC), que se transmite todas as terceiras quintas-feiras de cada mês, a través de Radio Uno 1340 AM.
 
Cultureando é transmitido por cortesia de Rádio Arcoense e as ouvintes e os ouvintes podem desfrutar de uma programação realmente única com notícias sobre Literatura, Poesia, Cinema, Arquitetura, Ballet, Música e tudo o que tenha a ver com a Cultura Portuguesa. Além disso, poderão escutar música, em grande parte daquela que é practicamente impossível de ouvir noutros programas da Comunidade.

Rádio Arcoense, sob a condução de Adé Caldeira, é transmitido na frequência indicada anteriormente, mas também via Internet, pelo que Cultureando chega também a Portugal, ao Brasil e a vários outros países onde há emigração portuguesa.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

O milagre de Mísia é um disco novo que não é de fado mas do coração




Delikatessen - Café Concerto é o novo álbum de Mísia. Chegou às lojas na semana passada com a ajuda de fãs e de alguns músicos, como Iggy Pop ou The Legendary Tiger Man, que deram vozes a alguns temas.

É no fado que Mísia se distingue mas quem a conhece sabe que não é mulher de uma só área. “Tenho dificuldade em ser una, sou várias”, diz-nos a cantora, que apresentou há dias o seu mais recente trabalho, Delikatessen - Café Concerto. Um álbum onde Mísia partilha a sua música com nomes conhecidos como Iggy Pop, The Legendary Tiger Man, Melech Mechaya ou Dead Combo. Fados, esses, apenas dois entram no disco.

Delikatessen - Café Concerto é por isso um trabalho especial. Não só por estas colaborações, como também pela forma como foi feito. Mísia queria trabalhar num novo disco mas deparou-se com as dificuldades que uma crise económica impõe. Sozinha não conseguiria, pelo menos tão cedo, lançar um novo disco e por isso pediu ajuda na sua página do Facebook. A resposta foi surpreendente e o resultado está à vista. O disco chegou às lojas há uma semana.

Vivemos numa grande crise e pensei que se isto continua assim um dia o frigorífico vai estar vazio”, diz a cantora, explicando a ideia original do disco, que define como uma “refeição caótica”, onde podemos saborear algumas das músicas de que mais gosta. “Pensei em comer as minhas canções, ou seja, em fazer um menu das minhas canções que é um bocado como eu como. Eu como de uma maneira impulsiva, posso começar por uma coisa doce e depois comer a sopa”, continua Mísia, que na terça-feira à noite no Restaurante Buenos Aires cantou algumas destas músicas.


Portugal oferece projeto de Siza e Souto Moura ao Brasil




O projeto de um pavilhão criado pelos arquitetos portugueses Álvaro Siza Vieira e Eduardo Souto de Moura, vai ser oferecido à cidade de São Paulo, no Brasil, onde tem início, este sábado, a X Bienal de Arquitetura.

A associação Estratégia Urbana foi convidada para apresentar uma programação própria na X Bienal de Arquitetura de São Paulo, com o objetivo de divulgar soluções lusas na área da arquitetura, e convidou os dois arquitetos portugueses vencedores de um Pritzker para desenharem o projeto do seu pavilhão.

De acordo com a agência Lusa, o custo do projeto foi patrocinado pela empresa portuguesa Mota-Engil, e a Estratégia Urbana procurou apoios para a construção - orçamentada em 250 mil euros - mas sem êxito.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Arquitetura: Filme português premiado no Chile


"Sizígia", um filme de Luís Urbano, venceu este fim-de-semana o prémio de melhor curta-metragem internacional de ficção no Arquitectura Film Festival 2012, o único festival de cinema e arquitetura da América Latina, que se realizou em Santiago do Chile.

Filmada na Piscina das Marés, edifício de Leça da Palmeira desenhado por Álvaro Siza nos anos 60, a curta-metragem procura usar as imagens em movimento como um processo de investigação do espaço que explora as suas qualidades narrativas e o sentido de lugar criado pelo uso, os materiais, a luz e o som

"Sizígia" é a primeira de uma série de curtas metragens realizadas no âmbito do projeto de investigação da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, “Ruptura Silenciosa, Intersecções entre a Arquitectura e o Cinema, Portugal 1960-74”.



segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Siza Vieira expõe desenho figurativo em Paris




O arquiteto português Álvaro Siza Vieira inaugura quinta-feira, em Paris, as mostras de "desenhos de arquitetura e desenho figurativo", na Galerie de Thorigny, e sobre topografia, na Galerie d'Architecture, 20 anos após a última retrospetiva no Centro Pompidou.

"Metade dos desenhos apresentados têm a ver com a concepção arquitectónica, são esboços de trabalho, e a outra metade é livre", disse à Lusa Siza Vieira, à margem da conferência sobre o Museu de Serralves, realizada hoje, na delegação francesa da Fundação Calouste Gulbenkian, na capital francesa.

O arquiteto confidenciou que os desenhos livres são "uma espécie de libertação do trabalho de arquitetura, que é muito condicionado".

Siza acrescentou que o desenho para arquitetura é "interessante" pela sua complexidade, "mas é feito sobre muitos condicionamentos e, às vezes, cansa", adiantou o premiado arquiteto português.

 

Exposição da coleção particular de Maria Helena Vieira da Silva e Arpad Szenes




Uma exposição com obras de 18 artistas portugueses da coleção particular de Maria Helena Vieira da Silva e Arpad Szenes, reveladora do apoio do casal aos jovens talentos, vai ser inaugurada na quinta-feira, em Lisboa.

Intitulada "Artistas Portugueses", a exposição vai ser inaugurada às 18:30 na Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva (FASVS), onde ficará patente até 06 de fevereiro de 2014.

A exposição apresenta obras de Paula Rego, Manuel Cargaleiro, Lourdes Castro, Mário Cesariny, António Costa Pinheiro, José Escada, Jaime Isidoro, Eduardo Luís, Justino Alves, Manuel Amorim, Pedro Avelar, René Bertholo, Carlos Botelho, Dália Martinho, João Vieira, Henrique Silva, Jorge Martins e Ursula Zangger.

A mostra será complementada por documentação, fotografias e correspondência do acervo documental da FASVS.

De acordo com a diretora do museu da Fundação, Marina Bairrão Ruivo, esta coleção de obras de outros artistas, reunida pelo casal Maria Helena e Arpad, "não resultou de um projeto pessoal, de uma vontade expressa e concretizada de criação de um núcleo de originais".

domingo, 13 de outubro de 2013

José Eduardo Agualusa vence prémio Fernando Namora




Prémio no valor de 15 mil euros foi para o último livro do escritor, Teoria Geral do Esquecimento.

O último romance do escritor angolano José Eduardo Agualusa, Teoria Geral do Esquecimento, é o vencedor do Prémio Literário Fernando Namora, anunciou de sábado para domingo o júri. Esta é a 16.ª edição do galardão de 15 mil euros instituído pelo grupo Estoril-Sol.

Pela primeira vez foram divulgados os finalistas, que além de Agualusa incluía obras dos escritores Afonso Cruz (Jesus Cristo Bebia Cerveja), Ana Cristina Silva (O Rei do Monte Brasil), Julieta Monginho (Metade Maior) e Rui Nunes (Barro).

No comunicado enviado à imprensa a escolha do júri é justificada pela “escrita ágil de um autor que sabe realizar uma especial economia de efeitos, encontrando uma linguagem em que o português é falado em intercepção com outros modos”, segundo o texto da acta. No mesmo documento o júri salienta que “esta obra engrandece o apurado estilo literário da ficção do autor”.

Troféu Luso Cidadão para realizador de 'A Gaiola Dourada'


Ruben Alves, o realizador francês de origem portuguesa e autor do filme A Gaiola Dourada, vai receber amanhã o Troféu Luso Cidadão 2013. Mais um galardão para juntar a outros alcançados com este filme.

"Esta comédia foi uma verdadeira lufada de ar fresco para a comunidade em França. O Ruben conseguiu tratar o assunto da emigração com finesse e realismo", diz Paulo Marques, presidente fundador da CIVICA, a fundação responsável pela entrega deste prémio, cujo objetivo é distinguir um cidadão ou grupo de cidadãos que se tenha destacado no panorama nacional em França pela sua atitude e/ou atividade dignificante para a comunidade lusa residente em França.

Este troféu é, desde a sua criação, patrocinado pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas. Este ano, os 3500 luso eleitos em França decidiram premiar o jovem realizador do filme La cage Dorée (A gaiola dourada). As reações à atribuição deste galardão a Ruben Alves são bastante positivas e há quem considere que veio no timming certo.

Diário de Notícias.

António Mota e Planeta Tangerina candidatos ao prémio ALMA




O escritor António Mota e a editora Planeta Tangerina são candidatos ao prémio literário sueco Astrid Lindgren Memorial Award - ALMA de 2014, anunciou, esta quinta-feira, a organização, na Feira do Livro de Frankfurt, na Alemanha.

O prémio ALMA, no valor de cerca de 500 mil euros, criado em honra da escritora sueca Astrid Lindgren, é considerado o maior na área da literatura para a infância e juventude e da promoção da leitura, distinguido escritores, ilustradores, organismos e pessoas que se dediquem ao livro e a leitura.

António Mota está nomeado pela primeira vez, tendo sido proposto ao prémio pela Direção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas (DGLAB), mas para a editora Planeta Tangerina esta é a terceira nomeação consecutiva.

A DLGAB tinha proposto a editora portuguesa para a edição de 2011 do galardão, mas, nos dois anos seguintes, a nomeação foi feita diretamente por decisão da organização sueca.

Projetos da oposição para financiamento da Cinemateca chumbadas pela maioria




Três iniciativas do PS, PCP e BE, com vista ao financiamento da Cinemateca Portuguesa, foram, esta sexta-feira, rejeitadas pela maioria PSD/CDS-PP, no plenário da Assembleia da República.

O projeto de resolução socialista, que recomendava ao Governo de coligação um modelo de estatutos e um plano de longo prazo para garantir a sustentabilidade daquela instituição mereceu os votos favoráveis de toda a oposição, mas foi rejeitado por sociais-democratas e democratas-cristãos.

O projeto de lei comunista, que estabelecia princípios de financiamento da produção cinematográfica em Portugal além da Cinemateca levou o PS a abster-se, enquanto bloquistas e "Os Verdes" o aprovavam, pese embora o "chumbo" pela maioria.

Outro projeto de lei, do BE sobre a fórmula de financiamento e a autonomia do "Museu do Cinema" também foi rejeitado por PSD e CDS-PP, enquanto a restante oposição votava favoravelmente.