quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Lisboa eleita a quarta cidade mais bela do mundo


Lisboa foi considerada a quarta cidade mais bonita do mundo. A capital portuguesa está no top 10 das cidades mais belas do planeta, elaborado pelo site de viagens “Urban City Guides”.
A liderar a tabela está Veneza, seguindo-se Paris e Praga. Lisboa surge no quarto posto, sendo destacada como uma das cidades mais cénicas do mundo, com os seus miradouros, colinas e ruas pitorescas. Uma cidade de “uma beleza sem esforço com detalhes cativantes”, define o site.
O Rio de Janeiro aparece em quinto lugar, seguido de Amesterdão, Florença e Roma. Os nono e décimo postos são ocupados por Budapeste e Bruges, respectivamente.
No mesmo site, Portugal também aparece no top dos 10 países mais bonitos, conquistando o sexto lugar, atrás da Itália, que lidera a lista, da Espanha, da Austrália e da Grécia. Estados Unidos, Brasil, África do Sul e Alemanha completam os restantes cinco lugares do top.





"Tabu" recebe prémio de melhor filme na Colômbia


A mais recente produção do português Miguel Gomes voltou a ser distinguida a nível internacional. A longa-metragem "Tabu" venceu o prémio de melhor filme  na 53ª edição do Festival Internacional de Cinema de Cartagena, na Colômbia.
 Depois das distinções nos prémios Sociedade Internacional Cinéfilae no Festival de Cinema de Berlim, a obra de Miguel Gomes recebeu o galardão de melhor filme, esta quarta-feira, num dos mais antigos festivais internacionais de cinema da América Latina.
 O realizador de 40 anos soma estes prémios às várias distinções que tem recebido desde 2012, tendo visto o seu filme em destaque em festivais de todo o mundo e em revistas conceituadas da área, como é o caso da francesa "Cahiers du Cinema", a inglesa "Sight & Sound" e a norte-americana "New Yorker.


terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Oliveira celebra no Fantasporto 70 anos da estreia de Aniki Bóbó


O decano mundial dos realizadores estará a 6 de março no Rivoli para acompanhar a projeção de um dos seus filmes mais emblemáticos

Manoel de Oliveira estreou há 70 anos aquele que se transformou num dos mais simbólicos filmes portugueses pelo modo como espelha uma parte da sociedade do seu tempo. "Aniki Bóbó" é o retraro de uma época, construído a partir de uma estética com uma aproximação neo-realista. O filme será exibido às 19h15 do próximo dia 6 de março com a presença do realizador.
Como dizem os responsáveis pelo Fantasporto, "na sua irradiante autenticidade, com os seus atores não profissionais, 'Aniki- Bóbó' é o cinema no seu esplendor absoluto. Poético, dramático, divertido e com uma profunda humanidade nos valores que propõpe.


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Projeto musical luso é finalista de prémio europeu


"Concertos para bebés", da companhia Musicalmente, de Leira, está entre os nomeados para o prémio Young EARopean Award 2013. O projeto português é um dos 15 finalistas, entre 136 candidatos de mais de 20 países europeus.

Um júri constituído por especialistas na área da música erudita teve a palavra final para destacar os 15 melhores projeto, tendo a nomeação do candidato português sido proposta pela Orquestra Filarmônica de Luxemburgo.

Paulo Lameiro, mentor do projeto, contou à agência Lusa que ficou "surpreendido" com a nomeação, uma vez que os concorrentes são essencialmente "instituições musicais que fazem parte de grandes orquestras, salas de música e concertos".

Para o musicólogo esta distinção vem "reconhecer" o trabalho desenvolvido "numa pequena aldeia de Leiria", sendo este um "estímulo para não desistir e continuar em frente, numa altura em que cada vez se luta com mais dificuldades para manter os projetos".

BoasNotícias.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Hélia Correia vence Correntes d’Escritas e presta homenagem à Grécia


Escritora apresentou o seu livro A Terceira Miséria como uma homenagem à Grécia e “um pedido de socorro” perante “a pressão impensável” que este país – como o nosso – está a sofrer. Festival literário da Póvoa de Varzim decorre até ao fim-de-semana.

O livro A Terceira Miséria (edição Relógio d’Água) valeu a Hélia Correia o Prémio Literário Correntes d’Escritas/Casino da Póvoa, anunciado na manhã desta quinta-feira na Póvoa de Varzim, a abrir o programa oficial da 14.ª edição deste festival literário.

O júri do prémio – constituído por Almeida Faria, Carlos Vaz Marques, Helena Vasconcelos, José Mário Silva e Patrícia Reis (que não esteve presente na reunião final do júri realizada na quarta-feira, mas enviou o seu voto) – considerou que o livro de Hélia Correia, “mais do que um conjunto de poemas, é um longo poema construído a partir da matriz clássica europeia para reflectir sobre questões fundamentais do Ocidente”.

Ao receber o prémio, Hélia Correia assumiu que A Terceira Miséria é “uma homenagem à [sua] Grécia”, e admitiu que esse facto pode ter pesado na escolha do júri. A escritora destacou, de resto, que aquele país – como Portugal – “está a sofrer uma pressão impensável”, e que o seu livro é portador de “uma mensagem muito forte: quase um pedido de socorro, um grito”, a reivindicar e apontar alternativas para a situação dos países que mais estão a sofrer com a crise. “É preciso lançar um grito como o das canções portuguesas a que, por exemplo, José Mário Branco deu expressão: ‘Alevantai-vos!’”, disse Hélia Correia.

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Filme português selecionado para festival alemão



"Playday" garantiu ao realizador português Victor Santos a nomeação para o festival de filmes de futebol alemão "11mm - Das Int. Fußballfilmfestival". A película será exibida no próximo mês de Março, em Berlim, num evento que mostra as origens sociais e culturais do desporto em vários lugares do mundo.

A mais recente produção do realizador português conta a história de quatro crianças que jogam à bola numa tarde de sol. No decorrer da brincadeira a bola foge para a casa de um velho homem solitário, tornando-se a recuperação da bola uma aventura para os amigos.

Para a organização do evento o futebol é muito mais do que um simples lazer, pelo que através dos filmes pretende mostrar as implicações sociais e culturais desta modalidade. Os filmes exibidos neste evento revelam padrões sociais, de riqueza, de espírito comunitário e de fanatismo.



sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Editora chinesa lança tradução inédita de Pessoa


A tradução para chinês da obra de Alberto Caeiro, um dos heterónimos de Fernando Pessoa, vai ser publicada pela primeira vez. O lançamento do livro está previsto para o mês de Maio em Pequim e assinala o início de uma nova coleção dedicada ao poeta português.

A tradutora Min Xuefei disse à agência Lusa que "Alberto Caeiro é a matriz dos outros heterónimos e a base dos fundamentos filosóficos de Fernando Pessoa". Esta primeira publicação terá cerca de 300 páginas e vai iniciar a publicação de uma série intitulada de "Obras de Fernando Pessoa".

Os poemas e ensaios do autor vão ser traduzidos pela Commercial Press, uma das mais conhecidas editoras chinesas, que espera publicar as obras ao longo dos próximos anos.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Correntes d' Escritas abre hoje as portas com homenagem a Urbano Tavares.

Começa (ontem) hoje à noite, na Póvoa de Varzim, a 14ª edição do Festival Literário Correntes d"Escritas que este ano vai homenagear os poetas Urbano Tavares Rodrigues e Manuel António Pina.

Até domingo a Póvoa entra numa espécie de época alta de turismo pois o fim de fevereiro nesta cidade já entrou no calendário cultural do país e as Correntes d"Escritas já ganharam o epíteto da "feira do livro de Frankfurt em Portugal".

A edição deste ano contará com a presença de mais de 50 escritores (de Portugal, Angola, Espanha e Brasil), tradutores, editores, designers, ilustradores, jornalistas que se vão espalhar por várias escolas da cidade, por mesas redondas, onde se vai debater literatura, e pelos vários lançamentos de livros que decorrem durante os três dias que dura o evento.

Este ano serão muitas as estrelas do firmamento literário de a marcar presença no festival. Entre eles estarão a brasileira que venceu o último prémio Saramago, Andrea del Fuego, os espanhóis Ignácio Martínez de Píson, Susana Fortes e Domingo Villar, os portugueses , António Mega-Ferreira, Vasco Graça Moura, Valter Hugo Mãe, Hélia Correia, Rui Zink, Richard Zimmler ou Nuno Camarneiro (prémio Leya) num evento em que a poesia estará em destaque.


Novo número de Blimunda…

Quando foi criada, em 2007, a Fundação José Saramago assumiu como um dos seus objectivos a defesa e promoção da cultura nas suas mais diversas formas. O número de Fevereiro da Blimunda, que agora se publica, junta este objectivo a outro, também enunciado na Declaração de Princípios lavrada por José Saramago, o de recuperar autores, figuras da cultura que com o passar dos anos foram caindo numa zona de sombra que os afasta do contacto com o mundo. Por isso este número é dedicado a Michel Giacometti, uma das figuras fundamentais na recuperação do património cultural português.

Para o dossier organizado por Sara Figueiredo Costa contou-se com a colaboração de quatro figuras do panorama musical que, acompanhados de fotografias cedidas pelo Museu da Música Portuguesa, traçam um percurso pelos caminhos trilhados por Giacometti.

Mas a Blimunda está atenta ao futuro, e o futuro passa, segundo algumas opiniões, pelo digital. Acompanhou-se a primeira edição do Congresso ABC da Edição Digital, organizado pela Nave Especial, que junta a editora Pato Lógico à Biodroid, e publicam-se duas entrevistas a André Letria e Gemma Lluch realizadas por Andreia Brites.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Emigrantes portugueses criam rádio lusa na Internet


Quatro portugueses a viver em França criaram uma rádio na Internet que pretende divulgar Portugal e a cultura portuguesa em todo o mundo. Por agora a estação emite apenas música mas, a curto prazo, terá produção própria, animação e programas de informação.

João Real, responsável pelo projeto, explicou à agência Lusa que a Rádio Cultura Lusa vai ser constituída formalmente a partir de uma associação sem fins lucrativos, acompanhada pelo portal de notícias Cultura Lusa, projeto da sua autoria que já decorre há um ano.

O emigrante português em Lille, no norte de França, explica que este é um portal "de atualidade nacional e internacional, escrito em francês, onde podem ler-se notícias sobre economia, cultura, política, desporto, tecnologia, gastronomia, e também artigos de opinião"


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Francisco José Viegas volta a dirigir revista 'Ler'


O escritor Francisco José Viegas, que foi secretário de Estado da Cultura, assume a direção da revista 'Ler' a partir de março, disse fonte do Grupo Bertrand/Círculo, que chancela a publicação.

Francisco José Viegas dirigia a 'Ler' desde 2008, cargo que acumulava com o de responsável editorial da Quetzal, até à tomada de posse como secretário de Estado da Cultura do XIX Governo Constitucional, no dia 21 de junho de 2011.

Antes de 2008, o escritor já tinha dirigido a revista, abandonado o cargo em 2006, quando assumiu a direção da Casa Fernando Pessoa, onde se manteve dois anos.

Francisco José Viegas abandonou as funções de secretário de Estado "por razões de saúde", segundo o comunicado oficial, no dia 26 de outubro passado.

Segundo maior exibidor de cinema em Portugal pede insolvência


A Socorama, que fechou 66 salas e despediu 98 pessoas, pediu a própria falência na terça-feira por causa de dívidas de 12 milhões.

A Socorama - Cinemas, segundo maior exibidor de cinema em Portugal, pediu a insolvência na terça-feira, depois de ter encerrado 66 das suas 106 salas e de ter avançado com o despedimento de 98 pessoas. O processo foi motivado por dívidas de 12 milhões de euros, mas o administrador da empresa, João Paulo Abreu, disse ao PÚBLICO que prepara um plano de recuperação para manter 36 salas abertas e ainda com a marca Castello Lopes Cinemas, que adquiriu à histórica família de produtores e exibidores cinematográficos no final dos anos 1990.

O pedido de falência judicial deu entrada no Tribunal do Comércio de Lisboa na terça-feira, 12 de Fevereiro, cerca de 15 dias depois de terem encerrado 49 salas exploradas pela empresa em shoppings da Sonae Sierra (do grupo Sonae, proprietário do PÚBLICO) em oito cidades. O fecho destes 49 ecrãs juntou-se ao encerramento, no início de Janeiro, das salas da Socorama no centro comercial Continente de Portimão e no Madeira Shopping (ambos também da Sonae Sierra) e dos quatro cinemas da exibidora no centro comercial Fórum Castelo Branco (gerido pela Cushman & Wakefield) já no final do mês.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

"Tabu" volta a ser premiado lá fora



O mais recente filme do cineasta Miguel Gomes continua a somar prémios. Desta vez, a película foi distinguida pela Sociedade Internacional Cinéfila (ICS, sigla em inglês). "Tabu" foi distinguido com o Melhor Argumento Original na 10ª edição dos Prémios ICS.

A mais recente produção do realizador conta uma história sobre memória e passado, focada na personagem Aurora, uma mulher que viveu amor e traição em África e que recorda os seus tempos durante uma velhice solitária e amargurada.

A sociedade premiou o filme português pelo seu "roteiro altamente original", que lhe garantiu o título de "melhor filme de língua não-inglesa" neste festival. No seu site oficial, a ICS refere que "Tabu" conseguiu "roubar muitos corações aos eleitores".


"Tudo cabe na poesia do Vasco"


Tenho uma inveja enorme do Vasco. Ele é um génio.” Eis como o comentador político Marcelo Rebelo de Sousa definiu o poeta e atual presidente do Centro Cultural de Belém (CCB), Vasco Graça Moura, na celebração do seu cinquentenário literário, realizada ontem no Grémio Literário, em Lisboa.
A cerimónia foi assinalada com a apresentação da coletânea de textos intitulada ‘Discursos Vários Poéticos’, editada pela Babel, que reúne alguns textos de índole ensaística que o autor escreveu nos últimos anos – artigos feitos por ocasião de entregas de prémios e homenagens, ou peças de temática literária.
O poeta,ficcionista, ensaísta e tradutor preferiu, nas suas palavras, “não aborrecer” a audiência com um discurso, comentando apenas que “este meio século nas letras culminou com a publicação desta coletânea”.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Realizador João Viana recebe menção de honra em Berlim


O realizador João Viana recebeu uma menção de honra na gala de entrega dos prémios do festival de cinema de Berlim, pela sua longa-metragem "A Batalha de Tabatô". O filme "Child's Pose", do cineasta romeno Calin Peter Netzer, foi o vencedor do Urso de Ouro.

Os filmes vencedores do galardão Urso de Ouro foram "Child's Pose", do realizador romeno Calin Peter Netzer, e a curta-metragem "The Runaway", do cineasta francês Jean-Bernard Marlin.

Na altura do anúncio da menção de Honra, o júri do festival reconheceu o grande trabalho feito por João Viana em torno de uma aldeia Mandinga. "É um grande filme de João Viana sobre a Guiné-Bissau, pelo qual estamos muito gratos", afirmou um dos jurados.

O realizador João Viana contou com uma presença em duplicado no evento, porque foram selecionados para o festival "Tabatô", curta-metragem que estava na corrida pelo Urso de Ouro, e a longa-metragem "A batalha de Tabatô", que integrou a secção "Fórum".

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

PRÉMIO 2013 Português ganha categoria do 'World Press Photo'


"Ainda não acredito que ganhei", contou o fotojornalista ao 'Diário de Notícias', adiantando: "Espero que este prémio me ajude a arranjar trabalho", diz Daniel Rodrigues, 25 anos.
Uma imagem tirada em Dulombi, Guiné-Bissau, valeu ao jovem fotojornalista de Guimarães o prémio na categoria de Daily Life do aclamado World Press Photo, revelado esta sexta-feira em Amsterdão.
Com 25 anos, Daniel Rodrigues captou o momento de um jogo de futebol informal entre vários jovens guineenses. Daniel estava no país no âmbito de uma missão humanitária.
Apesar de ter conquistado a categoria do prestigiado prémio, o português encontra-se de momento desempregado.



quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Cineasta português premiado em festival indiano


O cineasta português Bernardo Cabral foi distinguido com o prémio do festival de cinema "Script 2013 - International Short Film Festival", na Índia. "50 Pesos Argentinos" garantiu ao realizador a distinção da segunda melhor produção cinematográfica.

O mais recente filme de Bernardo Cabral conta a história de José Custódio e Idalina que recebem 50 pesos numa carta enviada pelo irmão, que há muito tempo não dava notícias desde que partiu para a Argentina.

No seu site oficial, a produtora Cineact, afirma que o filme revela os "sonhos de gente simples que, num infundado paralelismo com o dólar americano, vêm nesses cinquenta pesos uma grande quantidade de dinheiro".

Integralmente rodado na Ilha de São Miguel nos Açores, "50 Pesos Argentinos" pretende retratar a extrema pobreza e a emigração como alternativa para a população açoriana, durante o século XX.


Adalberto Dias vai representar a arquitectura portuguesa em bienal na Jordânia


Arquitecto portuense leva seis projectos à cidade de Aqba, entre 21 e 23 de Fevereiro
O arquitecto da Escola do Porto Adalberto Dias (n. 1953) vai mostrar a sua obra e representar Portugal na Bienal de Arquitectura do Mediterrâneo, que se realiza na próxima semana na cidade de Aqaba, no Sul da Jordânia.
Adalberto Dias é um dos trinta arquitectos e paisagistas convidados para esta bienal, que é dirigida pelo professor Kamel O. Mahadin, director do Departamento de Arquitectura da Universidade da Jordânia. Vai expor em Aqaba seis trabalhos representativos de uma carreira que conta já mais de três décadas: o elevador dos Guindais, na Ribeira do Porto (1999), a residência de estudantes da Universidade de Aveiro (projecto de 1998, cuja última fase foi concluída no ano passado), duas moradias no Porto (2001) e em Ílhavo (2005), o projecto ainda em construção da Escola EB1 de Sernancelhe, e a participação no concurso (que lhe valeu o 2º lugar) para a Escola de Gestão da Universidade do Porto (2011).

Público.

Filme de Luís Urbano premiado em Clermond-Ferrand

O documentário 'Sizígia' alcançou o Prémio Especial do Júri na Competição LAB, do 35.º Festival de Curtas-Metragens de Clermont-Ferrand, em França.

A produtora salienta, em comunicado, que "é a primeira vez que um filme português ganha um prémio no Festival de Clermont-Ferrand, considerado o mais importante festival de curtas-metragens do mundo".

Ao Festival candidataram-se 6.150 curtas, tendo sido escolhidas 77 para a competição internacional e 30 para a competição LAB. Dos 105 filmes portugueses que concorreram, um total de três foram selecionados. Além Sizídia , foram escolhidos Os vivos também choram, de Basil da Cunha, e Kali - o pequeno vampiro, de Regina Pessoa, numa coprodução com a França.


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

‘Comboio noturno para Lisboa' estreia em Berlim

O filme 'Comboio noturno para Lisboa', do realizador dinamarquês Bille August, rodado em Portugal, terá a sua estreia mundial hoje no Festival de Cinema de Berlim.
Para a estreia do filme, além de Bille August, são esperados ainda os atores Jeremy Irons, Christopher Lee, Mélanie Laurent e a portuguesa Beatriz Batarda.
Os produtores do filme, os portugueses Paulo Trancoso e Ana Costa, também estarão presentes.
Baseado no romance homónimo do escritor suíço Pascal Mercier, o filme tem Lisboa por cenário e é um "thriller filosófico", como o realizador disse à agência Lusa, quando terminou a rodagem, em maio de 2012.
"Introduz-nos num mundo cheio de pessoas inacessíveis, às quais vamos acedendo; a história é como um grande jogo matemático, é uma escrita muito inteligente e essa combinação com o lado filosófico faz com que seja uma história única", disse.
O elenco do filme é composto pelos atores Jeremy Irons, Charlotte Rampling, Melanie Laurent, Bruno Ganz, Jack Huston, Beatriz Batarda, Marco d'Almeida, Nicolau Breyner, August Diehl e Christopher Lee.
Além de 'Comboio noturno para Lisboa', também foram selecionados para a 63.ª edição do Festival de Berlim, o documentário "Terra de ninguém", de Salomé Lamas, a curta-metragem "Tabatô" e a ficção "A batalha de Tabatô", de João Viana e o "Um Fim do Mundo", de Pedro Pinho.
A curta-metragem "Tabatô" está selecionada para a competição do Urso de Ouro e o "Um Fim do Mundo" concorre ao Urso de Vidro.
O festival de Berlim iniciou-se a 07 de fevereiro e termina no dia 17. In Diário de Notícias.

Duas obras de Paula Rego em leilão na Christie’s


Um quadro de Paula Rego, nunca exposto publicamente, que a pintora portuguesa ofereceu a um amigo em 1994, vai quarta-feira a leilão em Londres, com uma avaliação de cerca de meio milhão de euros.

Um quadro de Paula Rego, nunca exposto publicamente, que a pintora portuguesa ofereceu a um amigo em 1994, vai quarta-feira a leilão em Londres, com uma avaliação de cerca de meio milhão de euros.

Good Dog (Bonito Cão), de 1994, é uma tela pintada a pastel que mostra uma figura humana sentada no chão, a olhar para o céu estrelado, com duas ovelhas ao fundo.

Segundo as notas do catálogo da leiloeira Christie’s, o quadro foi um presente de Paula Rego a um “amigo próximo”, no natal de 1994, após a conclusão da série Dog Woman (Mulher Cão), que retrata mulheres em posições animalescas.

Joana Vasconcelos transforma cacilheiro em pavilhão de Portugal em Veneza


A artista plástica Joana Vasconcelos apresentou no estaleiro da Navaltagus, no Seixal, o cacilheiro que será, a partir de final de Maio, o “pavilhão flutuante” de Portugal na 55ª Bienal de artes plásticas de Veneza.

O Trafaria Praia, já desactivado e que está a sofrer obras de adaptação, será revestido a azulejos que mostram Lisboa vista a partir do rio – uma ideia inspirada pelo Grande Panorama de Lisboa que se encontra no Museu do Azulejo e apresenta a cidade, a partir dessa mesma perspectiva, antes do terramoto de 1755.

No interior terá uma instalação têxtil com a qual Joana Vasconcelos pretende criar um “ambiente uterino”. E na parte de cima haverá um palco onde a artista e o comissário do projecto, Miguel Amado, pretendem apresentar uma programação de música, debates e conferências com artistas convidados.

Na presença dos secretários de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, dos Transportes, Sérgio Monteiro, e do director-geral das Artes, Samuel Rego, a artista escolhida para representar Portugal, explicou que o financiamento para a transformação da embarcação e para a viagem até Veneza está garantido – do Estado virão 175 mil euros; e há já alguns apoios de privados.
Público.

Porto vai ter parque temático sobre Descobrimentos

Um novo parque temático sobre os Descobrimentos deverá abrir, em outubro deste ano, na cidade do Porto, ocupando o espaço de um enorme armazém em Miragaia. O projeto, que partiu de uma iniciativa do empresário Mário Ferreira, vai contar com galerias interativas e até um percurso aquático que levará os turistas a descobrir a epopeia portuguesa de Ceuta até ao Brasil.
Por enquanto, naquele armazém, que ocupa um quarteirão frente à Alfândega do Porto, estão apenas a decorrer trabalhos de prospeção arqueológica mas, já no próximo mês, deverão arrancar as obras. Para tornar o projeto realidade, Mário Ferreira, proprietário da Douro Azul, vai investir mais de 6 milhões de euros (com uma possível comparticipação reembolsável de 55% do Turismo de Portugal).

De acordo com a Lusa, o empresário espera que o "World of Discoveries" - como irá chamar-se este parque temático - atraia "mais de 250 mil pessoas por ano." O projeto, que ocupará mais de 4.000 metros, tentará "ser um espaço lúdico, mas com rigor histórico", assegurou Mário Ferreira.

O mentor do "World of Discoveries" espera que ele venha a tornar-se ponto de passagem de escolas e também dos turistas, a quem, no seu entender, faltam "mais atrações, para além da própria cidade e das caves do vinho do Porto".


terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Uma jovem de 500 anos! Biblioteca da Universidade de Coimbra é motivo de orgulho

O Presidente da República considerou nesta terça-feira que a comemoração dos 500 anos da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra representa um motivo de orgulho e uma referência internacional para o mundo académico lusófono.
A comemoração dos 500 anos da Biblioteca Geral representa "um motivo de orgulho" para os portugueses e "uma referência internacional de valor incalculável, muito especialmente no mundo académico lusófono", considerou o Presidente da República.
Numa carta enviada ao reitor da Universidade de Coimbra, Cavaco Silva congratulou-se com a celebração de uma data "tão importante" quer para história do país, quer para a história das instituições universitárias na Europa e no mundo.
Herdeira da Casa da Livraria, mencionada numa ata de 12 de fevereiro de 1513, quando a Universidade portuguesa funcionava em Lisboa, a Biblioteca Geral promove, a partir de hoje, um programa comemorativo do 500 anos, que termina com um congresso internacional, em janeiro de 2014.
Correioda Manhã.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Castelo Branco: Autarquia assegura cinema à cidade


Depois do fecho das quatro salas de cinema do Forum Castelo Branco, a autarquia daquela cidade garantiu que vai assegurar sessões de cinema comercial aos munícipes. Segundo o presidente da câmara, Joaquim Morão, o executivo municipal "não perdeu tempo e já está em contactos com as principais distribuidoras".
 Em declarações à Lusa, o autarca adiantou que, com esta medida, os filmes comerciais vão regressar ao Cine Teatro Avenida, a principal sala de espetáculos de Castelo Branco onde "só deixaram de se fazer sessões de cinema (...) porque abriram salas particulares na cidade e não fazia sentido concorrer-se com os privados".


domingo, 10 de fevereiro de 2013

Museu nova-iorquino lança guia em língua portuguesa

O Metropolitan Museum of Art (MET), em Nova Iorque, o maior museu dos Estados Unidos e um dos maiores do mundo, anunciou, esta quinta-feira, o lançamento de uma versão em português do guia da sua coleção, o que demonstra o aumento da importância da língua portuguesa que continua a fazer-se sentir um pouco por todo o mundo.

De acordo com um comunicado divulgado pelo museu e citado pela Lusa, a versão portuguesa do Guia de Arte do MET é lançada a par de versões noutros idiomas, nomeadamente chinês, francês, italiano, japonês e espanhol.

"Sendo a primeira nova edição do guia do museu em quase 30 anos, [o livro] apresenta de forma elegante e acessível quase 600 obras-primas de um dos museus de maior renome e com maior popularidade em todo o mundo", salienta a instituição museológica.

Boas Notícias.
http://boasnoticias.clix.pt/noticias_Museu-nova-iorquino-lança-guia-em-língua-portuguesa_14529.html

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Cinema: Tabu… outra vez Tabu!


Milagro en el minuto 51

Confieso, sin ningún rubor, que no tengo problemas en salirme de una sala a mitad de metraje cuando una película me parece insoportable (siempre y cuando no tenga que escribir de ella, claro, que en ese caso profesionalidad obliga). Y viendo la película portuguesa "Tabú" me faltó un pelo para hacerlo. Afortunadamente, no fue así, porque hubiera sido un tremendo error.

El filme de Miguel Gomes, rodado en blanco y negro, arranca con un prólogo absurdo e incomprensible para pasar a contar, con una lentitud exasperante, el día a día inane e intrascendente de una señora de mediana edad que vive en Lisboa. Entre la nada y la nada, van pululando personajes sin el más mínimo interés, como una vecina mayor y enferma, la inmigrante que la atiende y una estudiante polaca de intercambio que pasaba por allí y que todavía no he entendido qué pintaba o qué representaba. Recuerda mucho a determinadas películas de Raúl Ruiz y Manoel de Oliveira y parece la típica chorrada pretenciosa pensada para epatar a los sesudos jurados de los festivales internacionales, que prefieren premiar este tipo de cine antes que reconocer que les aburre y/o no lo entienden.

Pero, de repente, exactamente en el minuto 51, se produce el inesperado milagro. A través del relato de un personaje recién aparecido, la acción (es un decir, porque hasta ese instante no ha habido ninguna) se retroae varias décadas y se traslada a una colonia portuguesa en África, para contarnos una conmovedora historia de amor prohibido e imposible, condenada a muerte desde su nacimiento mismo.

Guimarães recebeu 2 milhões de visitantes "por culpa" da Capital Europeia da Cultura


Guimarães recebeu em 2012 mais de 2 milhões de visitantes, um aumento de 106,5% em relação ao ano anterior, que teve como "principal responsável" a Capital Europeia da Cultura.

Paralelamente, o comércio de Guimarães registou um aumento superior a 50% nas vendas.

Aqueles números foram divulgados pelos responsáveis da Fundação Cidade de Guimarães, em conferência de imprensa convocada para dar conta do balanço preliminar dos impactos da CEC na vida e na economia da cidade e do concelho.
Daqueles mais de 2 milhões de visitantes - um score que representa quatro vezes mais do que o melhor resultado de sempre de Guimarães - cerca de 60% atribuíram à CEC a razão da sua visita.
Os estrangeiros totalizaram 58,1%, o que se traduziu um crescimento de 297% comparado com 2011.

Os estrangeiros dormiram, em média, cinco noites em Guimarães e os visitantes nacionais três, tendo mais de 90 por cento gasto cerca de 50 euros por dia. Noventa por cento eram "turistas culturais".
Jornal de Notícias.

Carminho faz esgotar salas de espetáculos no Brasil



Os dois espetáculos da fadista Carminho no Rio de Janeiro, agendados para terça e quarta-feira na Sala Miranda, naquela cidade brasileira, "estão esgotados", anunciou a editora discográfica da artista portuguesa. Além de ter feito esgotar as duas datas, Carminho vai também participar na abertura do Carnaval do recife na próxima sexta-feira.

; mso-fareast-language: ES-VE;">A fadista, que tem dois álbuns editados, atuou em dezembro passado em várias salas brasileiras e, em virtude "da procura de bilhetes, viu-se 'obrigada' a realizar dois espetáculos no mesmo dia no Rio de Janeiro", refere a editora.
Agora, Carminho vai regressar ao Brasil - onde, o ano passado, mereceu uma chamada de primeira página no jornal Globo - e este regresso está a ser visto com entusiasmo, como comprova o cartaz da sala de espetáculos onde pode ler-se a frase "Devido ao grande sucesso, ela está de volta!".

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Carnaval cultural: Chapitô leva Memorial do Convento ao Rossio de Lisboa



O Memorial do Convento de José Saramago é o tema da representação de Carnaval que o Chapitô leva ao Rossio de Lisboa, no sábado 9 de fevereiro, no âmbito da festa organizada pela EGEAC.
Pequenos palcos distribuídos pelo Rossio mostrarão vários quadros relacionados com a obra de José Saramago. Um deles representa os trabalhadores que construíram o Convento de Mafra, aplicando técnicas de malabarismo, um outro o "recital" da infanta Bárbara, agora traduzido em práticas circenses. Entre um e outro, artistas utilizarão máquinas - bicicletas e triciclos "estranhos e desmesurados", e mesmo a Passarola Voadora. Pelo Rossio estarão Blimunda, Baltazar Sete-Sóis, o Padre Bartolomeu, num espetáculo de uma hora que se integra no trabalho desenvolido neste ano letivo o Chapitô em torno do tema da Cidadania. Segue-se, às 18h00, uma atuação dos Orelha Negra, numa mistura de groove, funk, soul, disco, hip hop e rock, como anuncia a EGEAC. O concerto marca o fecho de um ciclo de apresentação do álbum “Orelha Negra”, editado em 2012. A banda destaca-se no panorama da música portuguesa desde 2009 e teve êxitos como “Blessed”, “M.I.R.I.A.M.” e “Since You’ve Been Gone”.


'A Última Vez que Vi Macau' estreia a 14 de março

Novos filmes de João Viana (uma curta e uma longa), Salomé Lamas, Pedro Pinho e Filipa César e um clássico de 1934 de António Lopes Ribeiro no programa do festival que começa hoje.

A passadeira vermelha em frente ao Berlinale Palast, a concentração de estátuas de ursos vermelhos (o símbolo do festival), o corropio de conferências num hotel nas imediações, a grande bilheteira que leva muitos cinéfilos a dormir de saco cama nas galerias Arkaden e a presença nas redondezas dos muliplexes Cinestar, Cinemax e das duas pequenas salas Arsenal, não deixa dúvidas que, ano após ano, é na zona de Potsdamer Platz que mora o coração do festival. Mas como acontece também a cada ano, a Berlinale é acontecimento "descentralizado" que passa por muitos outras salas de cinema em Berlim. E assim, a partir de hoje, entre esse núcleo que habita uma zona que em tempos era terra de ninguém junto ao muro e outras salas como o multiplex Cubix (junto a Alexanderplatz), o International Kino (a mais mítica das salas da antiga Berlim Oriental, em plena Karl Marx Allee), o imponente Friedrischstadt Palast e uma multidão de outros equipamentos, mais de 400 filmes dão vida à 63ª edição do festival.

Há dois anos Berlim deixou uma cadeira vazia para o iraniano Jafar Panahi . Foi durante a conferência de apresentação do júri da competição oficial da 61ª edição da Berlinale, na qual o realizador deveria tomar o seu lugar entre os demais jurados. Acusado de exercer atividades de propaganda contra o regime, foi preso pelas autoridades do seu país em 2010 e condenado a uma pena de seis anos de prisão e a 20 anos de interdição de fazer cinema. Estava então sob prisão domiciliária, tendo conseguido pouco depois fazer chegar a Cannes o documentário Isto Não É Um Filme. Mas este ano Jafar Panahi estará "presente" Berlim. Não ainda em pessoa, mas na forma de um novo filme. Co-assinado por Kambuzia Partovi (que já trabalhara com Panahi como argumentista), Pardé (que tem o título internacional Closed Curtain) é um dos títulos que integram a lista dos filmes da seleção oficial da edição deste ano.

Santa Casa paga 500 mil euros para editar todo o Padre António Vieira



Primeiros três volumes da obra completa do pregador jesuíta saem em Abril. Investigação permitiu encontrar textos inéditos
Pela primeira vez vai ser reunida a obra completa do Padre António Vieira, com cartas, sermões, profecias, política, teatro, incluindo textos inéditos - a edição dos 30 volumes pelo Círculo de Leitores tem o custo de 500 mil euros e a Santa Casa da Misericórdia (SCML) é o mecenas principal, associando-se à Universidade de Lisboa (UL).

O protocolo que torna possível esta publicação (que inclui também um dicionário) será assinado hoje - no 405.º aniversário do nascimento do Padre António Vieira - entre a SCML e a UL às 15h30 no Instituto S. Pedro de Alcântara, em Lisboa, numa cerimónia com a presença do provedor da SCML, Pedro Santana Lopes, e do reitor da UL, António Sampaio da Nóvoa.

Os três primeiros volumes serão lançados já a 4 de Abril na Aula Magna da Reitoria da UL. O projecto prevê ainda a selecção de textos para uma edição de 300 páginas que será traduzida em oito línguas.


O sexto filme português em Berlim: Gado Bravo

Há um sexto filme português no Festival de Berlim, “escondido” no meio da programação: chama-se Gado Bravo e data de 1934.

i-language: PT; mso-bidi-font-style: normal; mso-fareast-font-family: "Times New Roman"; mso-fareast-language: ES-VE;">Assinado por um dos nomes míticos do cinema português, o realizador e produtor António Lopes Ribeiro, Gado Bravo passa na Berlinale integrado na grande retrospectiva da edição 2013.
“O Toque de Weimar” é o genérico desta mostra, dedicada à influência que o cinema alemão dos anos 1930 e, sobretudo, os técnicos e cineastas que abandonaram a Alemanha devido à ascensão de Hitler tiveram nas cinematografias globais a partir de 1933.

Daí que, ao lado de obras maiores de cineastas reconhecidos como Fritz Lang, Ernst Lubitsch ou Billy Wilder, estejam títulos menos conhecidos de Max Ophüls e Joseph Losey, ou obras provenientes de cinematografias mais pequenas mas onde existiu participação de emigrados alemães.

É o caso de Gado Bravo, que foi supervisionado pelo cineasta alemão Max Nosseck e produzido com recurso a actores e técnicos alemães de passagem por Portugal, como o director de fotografia Heinrich Gärtner ou o actor Siegfried Arno.


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Cinco novos filmes portugueses na 63ª Berlinale


 Novos filmes de João Viana (uma curta e uma longa), Salomé Lamas, Pedro Pinho e Filipa César e um clássico de 1934 de António Lopes Ribeiro no programa do festival que começa hoje.

A passadeira vermelha em frente ao Berlinale Palast, a concentração de estátuas de ursos vermelhos (o símbolo do festival), o corropio de conferências num hotel nas imediações, a grande bilheteira que leva muitos cinéfilos a dormir de saco cama nas galerias Arkaden e a presença nas redondezas dos muliplexes Cinestar, Cinemax e das duas pequenas salas Arsenal, não deixa dúvidas que, ano após ano, é na zona de Potsdamer Platz que mora o coração do festival. Mas como acontece também a cada ano, a Berlinale é acontecimento "descentralizado" que passa por muitos outras salas de cinema em Berlim. E assim, a partir de hoje, entre esse núcleo que habita uma zona que em tempos era terra de ninguém junto ao muro e outras salas como o multiplex Cubix (junto a Alexanderplatz), o International Kino (a mais mítica das salas da antiga Berlim Oriental, em plena Karl Marx Allee), o imponente Friedrischstadt Palast e uma multidão de outros equipamentos, mais de 400 filmes dão vida à 63ª edição do festival.


Raised from the Ground (Levantado do Chão) entre os "must-read" de Oprah Winfrey

Raised from the ground (Levantado do Chão) esteve entre os 16 livros recomendados como "must-read" por Oprah Winfrey em janeiro, e continua a receber boas críticas quer nos jornais quer nos blogues.

"Não é só a aspereza do mundo físico ou as injustiças perpetradas pelos capatazes e os patrões; Saramago descreve as indignidades domésticas que transmitem uma tristeza mortal", diz a escritora e realizadora independente Virginia Friedman no jornal The Post and Courier, de Charleston, Carolina do Sul (EUA), sobre o livro de José Saramago Levantado do Chão, agora publicado em inglês.

Já em finais de dezembro Tinha sido publicda uma crítica no the New York Times, assinada pelo escritor Stephen Heighton, que sublinha que o esforço dea tradutora Margaret Jull Costa "deu-nos acesso, finalmente, ao primeiro grande trabalho de um escritor maior, um romance com uma ressonância relevante para o nosso próprio tempo.

Diz Virginia Friedman: "Saramago toma liberdades. Escreve frases extensas como maratonas e não se preocupa em separar os diálogos com parágrafos inequívocos, nem sequer aspas. Em vez disso, uma linha de diálogo invade outra, apenas com 'ele disse' ou 'ela disse'. Por vezes fala com grande sabedoria, e outras vezes, inesperadamente, com humor, mas toda a prosa de Saramago é construída sem qualquer sentido de distância das personagens que criou. Talvez porque as origens de Saramago estão entre as pessoas sobre as quais escreve; os seus avós eram analfabetos, camponeses sem terra, e estas pessoas, a terra e o próprio tempo parece ser onde Saramago instalou a sua confiança."

A falsa unidade ortográfica


«Para que serve um “acordo ortográfico”? Para unificar a ortografia de povos que falam a mesma língua. Ora, com este acordo
ormal;">, a ortografia da Língua Portuguesa não se unificou», sustenta a professora Maria Regina Rocha, neste artigo, saído originalmente no jornal Público de 19-01-2013. O texto que aqui se transcreve é a versão que a autora entendeu ficar em linha no Ciberdúvidas.
Tentei obter resposta a uma pergunta simples: quantas palavras se escreviam de forma diferente no Brasil em comparação com a forma como as mesmas palavras se escreviam em Portugal e nos restantes países de Língua Oficial Portuguesa antes do Acordo e depois do Acordo? Não consegui obter uma resposta objectiva da parte de defensores do Acordo Ortográfico. Pergunto: parte-se para a tentativa de aplicação de um acordo ortográfico sem se saber claramente quantas palavras é que mudam na ortografia?

Assim, procurei a resposta, consultando o «Vocabulário de Mudança» disponibilizado no Portal da Língua Portuguesa (http://www.portaldalinguaportuguesa.org/).

E, considerando a informação aí veiculada, a resposta é a seguinte (contagem feita manualmente): antes do Acordo – e exceptuando as palavras com alteração do hífen, as palavras graves acentuadas no Brasil e não em Portugal (como idéiaideia) e as palavras com trema (pelo seu número residual e por tais situações afectarem sobretudo a ortografia brasileira) –, havia 2691 palavras que se escreviam de forma diferente e que se mantêm diferentes (por exemplo, factofato), havia 569 palavras diferentes que se tornam iguais (por exemplo, abstracto e abstrato resultam em abstrato), e havia 1235 palavras iguais que se tornam diferentes.

Está a ler bem: com o Acordo Ortográfico, aumenta o número de palavras que se escrevem de forma diferente!
Ciberduvidas.