segunda-feira, 25 de abril de 2016

sexta-feira, 22 de abril de 2016

RTP lança coleção de livros


Presidente Marcelo Rebelo de Sousa esteve na sessão de apresentação. Por Duarte Faria Foi apresentada esta quarta-feira, na livraria Buchholz, em Lisboa, a nova coleção de livros da RTP, um lançamento que contou com a presença do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa. A ‘Coleção Essencial – Livros RTP’ é um projeto da RTP em colaboração com a editora Leya e consiste na publicação de um conjunto de obras de ficção de autores de língua portuguesa e de outras línguas. Cada obra custará 10 euros.

A curadoria da coleção é do prestigiado editor Zeferino Coelho.   O primeiro livro da colecção, ‘Ensaio Sobre a Cegueira’, de José Saramago, chega às livrarias esta quinta-feira, 21 de abril. Está prevista a publicação de 25 livros, sendo que a RTP já divulgou os 12 primeiros:  



quinta-feira, 21 de abril de 2016

Mick Jagger apoia Ana Moura no seu concerto em Londres


Vocalista dos Rolling Stones e José Mourinho estiveram na plateia do concerto esgotado da fadista.

Mick Jagger deu novamente provas do seu apoio e amizade em torno de Ana Moura ao assistir ao concerto que a fadista deu esta terça-feira à noite no Cadogan Hall, em Londres. O jornal Daily Mail,que fotografou o vocalista dos Rolling Stones e a cantora portuguesa à saída da sala de espetáculos, fala de Ana Moura como uma das "protegidas musicais" do cantor.

O concerto que serviu de promoção ao álbum Moura, editado em novembro, estava esgotado há três meses. O jornal britânico, que classificou o visual da fadista como "chique e com estilo" adianta que o treinador José Mourinho também estava na plateia.


Argentina: 42ª Feira Internacional do Livro de Buenos Aires

A Embaixada de Portugal em Buenos Aires e o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. apoiam mais uma edição da Feira Internacional do Livro de Buenos Aires (FILBA) que decorrerá de 21 de abril a 9 de maio de 2016. A 42ª edição do FILBA contará com um evento especial dedicado a Portugal, no qual estará presente a Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro.
Nesta edição participarão os escritores João Cerqueira, Luis Filipe Sarmento e Valter Hugo Mãe, bem como a narradora Margarida Junça, que realizará diversas atividades ligadas à narração e à riqueza da transmissão oral da palavra.

Serão organizados espetáculos, conferências, workshops e leituras a cargo dos participantes.

Amadeo. Um fio de luz cortado que se volta a ligar

O Grand Palais, em Paris, inaugura hoje a exposição dedicada à obra do pintor português. Mais de 200 obras do pintor português e uma colagem inédita que é mostrada pela primeira vez. Fica até 18 de julho.
"É como um fio de luz que tivesse sido cortado", afirma Helena de Freitas, sentada num banco corrido de uma das salas de exposições do Grand Palais, centro de Paris, onde está tudo pronto para a mostrar Amadeo de Souza-Cardoso ao mundo a partir de amanhã, dia em que abre ao público. Internacionalizar o artista português é o objetivo do trabalho que a comissária da exposição e a Fundação Calouste Gulbenkian têm em mente.

Diário de Notícias

Colômbia: FILBO 2016 - Portugal volta a marcar presença na Feira Internacional do Livro de Bogotá

Teve início no dia 19 de abril de 2016 a 29ª edição da Feira Internacional do Livro de Bogotá, FILBO 2016, o segundo maior evento literário da América Latina. Desde que foi o país convidado, em 2013, Portugal tem marcado presença anualmente com uma representação importante de escritores, complementada por um stand com uma livraria portuguesa. Este evento, que decorre até 2 de maio, tem o apoio do Camões, I.P.
Nesta edição estarão presentes os escritores João de Melo, Francisco José Viegas, Isabela Figueiredo, Valter Hugo Mãe e Dulce Maria Cardoso e os editores Bárbara Bulhosa e Paulo Ferreira. Está previsto ainda que no stand/livraria portuguesa, se faça uma homenagem ao escritor Vergílio Ferreira cujo centenário se celebra este ano. No decorrer da Feira será lançada a tradução de “Caderno de Memórias Coloniais” de Isabela Figueiredo.
Esta edição, que tem como país convidado a Holanda, terá ainda, pela primeira vez, um salão de direitos de autor cuja organização está a cargo da agência literária portuguesa Booktailors.

Em Bogotá estarão presentes 149 escritores colombianos e 70 internacionais, dos quais se destacam a Prémio Nobel da Literatura de origem bielorussa Svetlana Alexiévich, a Prémio Nobel da Paz Jody Williams, os escritores Fernando Vallejo, Édouard Louis, Cees Noteboom e Nanette Blitz, sobrevivente do Holocausto e amiga de Ane Frank, e ainda os editores de Elena Ferrante, Sandra y Sandro Ferri.

quarta-feira, 20 de abril de 2016

O português como língua de Camões é um mito


Em 735 adjectivos usados por Luís de Camões n’Os Lusíadas apenas um é uma criação nova do poeta, uma estreia na história da língua portuguesa. É a palavra “insofrido”, que quer dizer impaciente.
Esta contabilidade foi feita pelo linguista Fernando Venâncio, que nesta quarta-feira vai apresentar alguns resultados da sua investigação dedicada àquela que será a primeira história do léxico português numa aula do curso de Estudos Camonianos da Universidade Nova de Lisboa, às 18h. “A primeira descoberta é que Camões inovou muito pouco”, explica numa entrevista feita por telefone e e-mail a partir de Amesterdão, onde é investigador na universidade. 
“O uso que Camões faz do léxico exclusivo português já conhecido é extremamente moderado e, mais do que tudo, as exclusividades portuguesas introduzidas pela obra dele foram residuais. Dir-se-ia que Camões não acreditou numa língua portuguesa de perfil autónomo.” 
Sem ser nos Lusíadas, Fernando Venâncio encontrou apenas outro adjectivo novo de origem autóctone na lírica camoniana, desta vez “famulento”, que significa “faminto”.
Já as criações castelhanas estreadas naquele poema épico, publicado em 1572, são cinco (e estamos a contar sempre só adjectivos, palavras normalmente utilizadas para testar a inovação numa língua): alvoroçado, disfarçado, enamorado, rebelde e sotoposto. 

Viale Moutinho apresenta "Os meus misteriosos pais"


O escritor José Viale Moutinho apresentou recentemente, no Porto, a sua mais recente obra, intitulada "Os meus misteriosos pais", editada pela Seara de Letras e com ilustrações de Acácio de Carvalho.
O autor explica que o livro, que será apresentado na UNICEPE, na Praça Carlos Alberto, pelas 18h30, pretende ser "uma porta na evocação da memória colectiva dos negros anos anteriores à revolução de Abril".
Pela voz de um filho de militantes clandestinos, Viale Moutinho preocupa-se em mostrar aos jovens o que foi o "salazarismo-marcelismo", regime político que vigorou em Portugal até 25 de Abril de 1974.

Nota: O escritor José Viale-Moutinho este em Caracas há poucos anos a convite do IPC.


terça-feira, 19 de abril de 2016

No Porto respira uma das mais antigas Papelarias do Mundo



Fundada por Manuel Francisco de Araújo em 1829, a Papelaria Araújo & Sobrinho iniciou a sua actividade como um armazém de papel e é actualmente uma das papelarias mais antigas do mundo. Henrique Araújo conta-nos, como a dupla que dá nome à casa abriu uma das empresas mais carismáticas do centro da cidade. Dentro da loja, uma vasta gama de peças de museu e de arte que demonstram o sucesso deste negócio, que se manteve sempre na mesma família ao longo de gerações e que começou com clientes ingleses.

 No legado da marca respire ainda o legado dos ofícios ligados à arte. Uma morada para visitar no coração da cidade e que tem como missão ser um estandarte da indústria portuguesa de belas arte.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Jorge Silva Melo, como se fosse um auto-retrato



Ainda não Acabámos, Como se Fosse uma Carta é o filme em que Jorge Silva Melo se põe a si mesmo no centro da acção. Como se fosse um auto-retrato, mais triste do que alegre, depois de vários anos e de vários filmes a fazer retratos de outros artistas.
Ainda não Acabámos, Como se Fosse uma Carta é o filme em que Jorge Silva Melo se põe a si mesmo no centro da acção. Como se fosse uma carta, ou como se fosse um auto-retrato, depois de vários anos e de vários filmes a fazer retratos de outros artistas, de Álvaro Lapa a Nikias Skapinakis. É um filme sobre Silva Melo agora, mas também sobre as memórias que transporta, e sobre o que ele tem para deixar, sobre um legado. O leitmotiv da estrutura do filme evidencia-o, encenando uma conversa entre o autor, realizador, encenador, e o actor João Pedro Mamede, o mais jovem membro da companhia Artistas Unidos, que Silva Melo fundou e dirige.
O que não impede que seja um filme libérrimo, cheio de diversões e divagações, construído também aqui, “como se fosse uma carta”. Fala de muita coisa: de Lisboa, do cinema, de amigos e companheiros desaparecidos. A impressão de perda assombra o filme, e quando no final ouvimos Silva Melo falar sobre “a alegria como algo que se conquista como se fosse uma cura” é impossível deixar de voltar à sequência inicial, às imagens da Lisboa Cidade Triste e Alegre dos anos 50 como impressa no livro de Victor Palla e Costa Martins, Lisboa que também é a da infância de Silva Melo. Tristeza e alegria são os polos entre os quais circula todo o filme.


quarta-feira, 13 de abril de 2016

Paris, cidade da arquitectura portuguesa



Abertura da exposição Les universalistes, na capital francesa, sobre o último meio século da arquitectura portuguesa foi acompanhada in loco por vários dos seus protagonistas, que deram testemunho e debateram as suas experiências e visões.
A arquitectura portuguesa está, por estes dias, em plano de destaque em Paris. Há também as exposições de Helena Almeida, Corpus, no museu Jeu de Paume (até 22 de Maio); de Julião Sarmento, La chose, même, na delegação da Fundação Gulbenkian (até 17 de Abril); e de Ana Jotta, Ti re li re, no espaço Le Crédac, nos arredores parisienses de Ivry-sur-Seine (até 26 de Abril). Há as encenações de Tiago Rodrigues, Bovary, no Teatro da Bastilha, e de Emmanuel Demarcy-Mota, Six Personnages en Quête d’Auteur, de Pirandello, no Théâtre de la Ville. A Cinemateca Portuguesa recebeu, esta segunda-feira, o Prémio Henri Langlois pelo seu trabalho em prol da preservação, restauro e divulgação de tesouros cinematográficos. E Cristiano Ronaldo foi o tema de capa, na semana passada, do magazine do jornalL’Équipe
Mas, neste início de semana, é de arquitectura portuguesa que se fala. O pretexto, a inauguração oficial, na tarde desta terça-feira – a abertura ao público é na quarta –, da exposição Les universalistes, uma iniciativa da Fundação Gulbenkian e da Cité de l’Architecture et du Patrimoine (CAP – que acolhe a exposição), ainda no programa dos 50 anos da presença da fundação na capital francesa.


terça-feira, 12 de abril de 2016

Faltam 72.364 euros para comprar o Sequeira


 

 Já constam os 150 euros do Presidente da República na lista de mecenas particulares da campanha "Vamos Pôr o Sequeira no Lugar Certo", mas a sua contribuição é ultrapassada pelos 180 euros do novo ministro da Cultura, feitas as contas aos pixéis, uma vez que é assim que as doações são visualizadas no site da campanha. Luís Filipe Castro Mendes participou como cidadão nesta campanha, antes de ser ter sido convidado para ministro da Cultura, comprando 3000 pixéis da pintura de Domingos Sequeira, enquanto Marcelo Rebelo de Sousa se ficou pelos 2500 pixéis, um contributo "modesto" e "simbólico", como o próprio Presidente lhe chamou. 
A campanha de angariação de fundos para comprar a pintura Adoração dos Magos para o Museu Nacional de Arte Antiga por 600 mil euros (que tem como parceiros principais o PÚBLICO, a agência de publicidade Fuel, a RTP e a Fundação Millennium BCP) dividiu a obra em 10 milhões de pixéis, para que cada português possa participar com um esforço mínimo de seis cêntimos, e já conseguiu comprar até terça-feira 8.793.927 pixéis, o que corresponde a 527.635, 62 euros. Faltam assim 72.364,38 euros para comprar o Sequeira.


segunda-feira, 11 de abril de 2016

Salman Rushdie confirmado no Festival Literário de Óbidos


O escritor britânico Salman Rushdie apresentará a sua mais recente obra, "Dois anos, oito meses e vinte e oito noites", no Folio - Festival Literário Internacional de Óbidos.

A segunda edição do festival realiza-se entre 22 de setembro e 2 de setembro e além de Salman Rushdie também está confirmada a presença do V.S. Naipul.

Salman Rushdie virá a Portugal apresentar o seu mais recente romance, "Dois Anos, oito meses e vinte e oito noites", inspirado nas histórias de Mil e Uma Noites, é editado em Portugal pela Leya.


domingo, 10 de abril de 2016

Documentário sobre Amadeo de Souza Cardoso enche Gulbenkian


O realizador do documentário "Amadeo de Souza Cardoso: O último segredo da arte moderna", Christophe Fonseca, disse à agência Lusa, em Lisboa, que "ainda há muito por descobrir sobre a obra genial" do artista falecido em 1918.

O documentário foi exibido em Portugal pela primeira vez ontem, no grande auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, perante cerca de 1200 pessoas, e com muitas a ficarem à porta. Facto que surpreendeu o próprio realizador, Christophe Fonseca. "Numa noite de futebol, se tivessem 20 pessoas...", disse na sua apresentação, antes do filme começar a passar, aludindo ao Benfica-Bayern de Munique de ontem.

"O objetivo deste filme é dar a conhecer a nível internacional a vida e obra de um artista genial que se mantém praticamente desconhecido", sublinhou o realizador, em Lisboa para a primeira exibição pública.


sexta-feira, 8 de abril de 2016

Adeus a um amigo…


Cumprimos com comunicar o trágico falecimento de Mario Wilson Campos, irmão de Luísa de Campos, Tesoureira do IPC, e cunhado de Fernando Campos, Vice-presidente do IPC, passamento ocorrido na tarde 7 de Abril do ano em curso.

Aos nossos colegas do Conselho de Administração, a D. Fernanda de Campos, sua mãe, aos demais familiares e amigos os nossos sentidos pêsames nesta hora de intensa tristeza.

O velório é na Capela No. 4 do Cementerio del Este e o enterro ocorrerá amanhã, sábado, pelas 11 h.


Agradecemos aos que se fizerem presentes neste acto.

Três jovens portuguesas atuam no Royal Albert Hall

Têm entre 15 e 16 anos e vão atuar, esta segunda-feira, numa das mais prestigiadas salas de espetáculos do mundo. As três jovens portuguesas chegam a Londres depois de serem selecionadas no concurso "International Music Competition London Prize Virtuoso Competition 2016". 


A soprano Adriana Ribeiro, de 16 anos, a violoncelista Mafalda Santos, de 17 anos, e a violinista Cristina Dimitrova, de 15 anos (nascida em Portugal no seio de uma família com raízes búlgaras) são as três representantes portuguesas entre os cerca de 30 jovens virtuosos que, esta noite, atuam na sala de espetáculos londrina.

A jovem Adriana Ribeiro estuda canto no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, em Aveiro, e venceu, em 2015, o primeiro prémio no Concurso Internacional de Música Cidade de Almada. 


quinta-feira, 7 de abril de 2016

Rússia: Lançamento de Antologia de Contos de Fernando Pessoa


Este evento resulta de uma colaboração entre a Biblioteca de Literatura Estrangeira de Moscovo, a Embaixada de Portugal em Moscovo, e o Camões, I.P.
O serão literário, que será presidido por Mário Godinho de Matos, terá a participação da Diretora da Casa Fernando Pessoa, Clara Riso, e do tradutor da antologia e editor do Livro do Desassossego, Alexandre Ivanov. Esta sessão cultural contará ainda com a atuação de Vladimir Sedov (Violoncelo) e de Arseniy Tchubachin (piano).
No dia 31 de março, às 16h00, na Biblioteca Estatal Maiakovsky, de São Petersburgo, será apresentada ao público a tradução de O Banqueiro Anarquista e Outros Contos de Fernando Pessoa, com o apoio da Fundação Cultural Luso-Russa Lusitânia, e com a participação da Diretora da Casa Fernando Pessoa, do tradutor Anton Tchernov, e da Vice-Diretora da Fundação Cultural Luso-Russa, Margarita Kozarovitch.


quarta-feira, 6 de abril de 2016

Prémio Fernão Mendes Pinto-Edição 2016


Cada proposta deverá conter o curriculum vitae do autor, uma cópia da dissertação em suporte informático, parecer dos orientadores da dissertação e uma declaração da instituição em que foi apresentada.
Este prémio, atribuído anualmente pela AULP, tem como objetivo galardoar uma dissertação de mestrado ou de doutoramento que contribua para a aproximação das Comunidades de Língua Portuguesa, explicitando relações entre comunidades de, pelo menos, dois países. O valor do Prémio Fernão Mendes Pinto é de 8.000 euros a atribuir numa parceria conjunta entre a AULP e a CPLP, sendo a responsabilidade da publicação do trabalho vencedor do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P.


terça-feira, 5 de abril de 2016

Lisboa recebe a primeira edição da ARCO em Maio



   
    Lisboa vai acolher a primeira edição de uma das mais importantes feiras internacionais de arte contemporânea do mundo. A ARCOlisboa decorre entre 26 e 29 de Abril na Cordoaria Nacional e conta com a participação de 44 galerias representantes de artistas nacionais e internacionais.
Organizada pela IFEMA, Feira de Madrid, com apoio e representação da produtora nacional Café Pessoa, do Ministério da Cultura, da Câmara Municipal de Lisboa e do Turismo de Portugal, a ARCOlisboa pretende transformar o espaço da Cordoaria Nacional numa montra da diversidade do panorama artístico contemporâneo português em contexto internacional, atraindo ao local coleccionadores, admiradores e profissionais nacionais e estrangeiros.
Entre os artistas representados no certame destacam-se, entre outros, Joaquin Torres Garcia, Mario Merz, Dan Graham, Robert Barry, Julian Opie, Julião Sarmento, Joana Vasconcelos, Pedro Cabrita Reis, Juan Luis Moraza, Ignasi Aballí, Maria Loboda, Felipe Arturo ou João Maria Gusmão + Pedro Paiva.
Do lado das galerias, marcam presença nomes como 3+1 Arte Contemporânea, Cristina Guerra Contemporary Art, Mário Sequeira, Pedro Cera, Quadrado Azul ou Pedro Oliveira, entre as portuguesas, ou ainda Ángeles Baños, Anne Barrault, Christopher Grimes, José De La Mano, Leon Tovar ou Umberto Di Marino, entre as estrangeiras.
A ARCOlisboa abre ainda espaço para o debate, com a realização de dois fóruns, um dedicado ao coleccionismo e outro às instituições, que contarão com a participação de comissários, críticos e coleccionadores nacionais e internacionais a par de instituições como o Museu de Serralves, o Museu Calouste Gulbenkian ou o Museu Colecção Berardo.
Todas as informações relativas ao programa certame podem ser consultadas no site da ARCOlisboa