domingo, 30 de janeiro de 2011

Chá das 5: Very portuguese!


Os chineses descobriram o chá, mas foi a rainha Catarina de Bragança que o popularizou na corte inglesa. Em Lisboa, o ritual volta a estar na moda e o 'chef' Luís Baena, do Hotel Tivoli, criou os 'lanches à portuguesa'.
Com os dias de Inverno a arrefecerem, nada como uma boa chávena de chá para retemperar o ânimo e recordar uma tradição que a rainha portuguesa Catarina de Bragança introduziu na Inglaterra no século XVII.
O five o'clock tea transformou- se numa instituição britânica, mas foi a consorte portuguesa do rei D. Carlos II a responsável pelo hábito e, principalmente, pela apresentação da geleia de laranja, que se tornou na célebre marmalade.

Diário de Notícias.

sábado, 29 de janeiro de 2011

Casa-Museu de Saramago em Lanzarote deve abrir as portas a 18 de Março



A viúva de José Saramago, Pilar del Río, adiantou hoje, num chat com leitores do jornal espanhol El País, que a casa-museu do escritor na ilha de Lanzarote deverá ser aberta ao público no dia 18 de Março, exactamente nove meses após a morte do prémio Nobel da Literatura naquela que foi a sua última residência.

Público.

Morreu a artista plástica Aldina Costa


A artista plástica Aldina Costa morreu na terça-feira em Lisboa, aos 82 anos, vítima de problemas cardíacos, disse hoje à agência Lusa fonte próxima da família.
O funeral de Aldina Costa, que morreu na sua casa, saiu às 10:30 da manhã de hoje da Igreja do Sagrado Coração de Jesus para o cemitério dos Olivais, onde o corpo da artista foi cremado por desejo expresso da própria.

Viúva do poeta António José Forte, Maria Aldina da Costa Neves Forte nasceu em 1939, nas Caldas da Rainha. No início da década de 1950, começou a carreira como ceramista na fábrica de cerâmica Secla, nas Caldas da Rainha, sob a orientação de Hansi Stael. No ano lectivo de 1959/1960 matriculou-se no curso de cerâmica da Escola de Artes Decorativas António Arroio, em Lisboa, onde foi aluna de Querubim Lapa, através de quem se tornou colaboradora da fábrica de cerâmica Viúva Lamego. A primeira exposição colectiva de Aldina Costa data de 1962 e um ano depois conclui o curso da António Arroio, escola onde desde 1964 lecionou pintura cerâmica.

Correio da Manhã.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Ser o no ser Saramago



Lo bueno de las películas es que no admiten un único ángulo de visión y la multiplicidad de miradas las enriquece. Así, ante José y Pilar, pacientísimo documental del portugués Miguel Gonçalves Mendes sobre José Saramago y su viuda, Pilar del Río, en el que ambos se exponen a la cámara durante casi tres años, con la vertiginosa agenda social, personal y promocional del escritor como tercer protagonista, la riqueza testimonial puede llevar a opciones contrapuestas. Baltasar Garzón, en su presentación en el Festival de Ronda, afirmó que en ella "se descubre la camaradería, la amistad de dos compañeros de viaje, apoyándose en el pensar y en el vivir".

El País.

"José e Pilar" - Estreia em Espanha no dia 28 de Janeiro




José e Pilar, filme de Miguel Gonçalves Mendes, estreia hoje, dia 28 de Janeiro, em toda a Espanha.

O realizador e Pilar del Río assistem à estreia em Granada. Amanhã o filme será apresentado em Lanzarote.

Fundação José Saramago.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Fado en Buenos Aires

Alain Oulman: o homem que reinventou o fado de Amália



Documentário premiado no DocLisboa faz o retrato sensível do compositor da diva do fado. E mostra as mil caras de um artista ímpar.
Silêncio, que se vai cantar o fado. E vai-se ficar a conhecer o homem por detrás dos maiores sucessos de Amália.

Alain Oulman pode ainda ser um nome desconhecido de muitos mas é a ele que se deve a reinvenção do nosso fado. Artista ímpar de múltiplos talentos, ele é, volvidos que estão 20 anos sobre a sua morte, (eternamente) merecedor dos mais rasgados elogios.

Correio da Manhã.
Público.

Sophia já está na BNP



A nota dissonante de uma cerimónia que estava a correr bem foi o descontentamento justamente expresso por Luís Miguel Cintra quando confrontado com a necessidade de dizer Sophia para centenas de pessoas... em pé.

"Peço desculpa mas tinham--nos prometido condições completamente diferentes e nós preparámos 40 minutos de poesia. Não é possível manter o programa nestas condições", comentou o actor, que partilhou, ontem, com Beatriz Batarda, a divisão de textos de Sophia de Mello Breyner Andresen, na cerimónia que assinalou a doação do espólio da escritora à Biblioteca Nacional de Portugal (BNP).

Correio da Manhã

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Manoel de Oliveira: "Não olho para o que fiz. Olho para o que vou fazer



"A actividade do cinema é uma actividade artística, a última das artes, a Sétima Arte. E José Régio, por exemplo, dizia que o cinema era uma síntese de todas as artes. (...) Mas o cinema, como todas as artes, está ligado à vida. O que se exprime, ou o que as artes exprimem, de um modo ou outro, numa forma abstracta ou concreta, é a vida"
Mais do que uma entrevista com o realizador de cinema consagrado internacionalmente, com 80 anos de carreira, esta é uma entrevista com um homem que, tendo nascido no tempo da monarquia, chegou ao centenário da República com uma frescura de espírito notável, o que lhe permite manusear a cultura e o mundo adquiridos com uma inteligência ímpar e uma educação a condizer. Aos 102 anos, com muitos projectos ainda por realizar, Manoel de Oliveira afirma que não tem "medo da morte, só do sofrimento", e lança um repto ao Ministério da Cultura: apostar na internacionalização do cinema português, que tem espaço no mercado global, e, garante, pode trazer receitas importantes para o País.

Diário de Notícias.

Lobo Antunes é “difícil” e “interessante”



"Difícil", "interessante" e, sem margem para dúvidas, "um dos grandes escritores da literatura contemporânea". Eis como o encenador Georges Lavaudant se refere a António Lobo Antunes, autor de quem acaba de estrear, no espaço da companhia MC93, em Paris, o espectáculo ‘Estado Civil’.

Construído a partir de um conjunto de entrevistas dadas pelo autor português à jornalista Maria Luísa Blanco, do diário espanhol ‘El País’, o espectáculo inaugura o ciclo que a companhia francesa dedica esta temporada a Lobo Antunes e que a manterá ocupada durante um semestre. Para Lavaudant, esta é a oportunidade para mostrar que a cultura portuguesa é "mais do que fado e bacalhau".

Correio da Manhã.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Voz de Sophia é para todos



Sete anos depois da morte de Sophia de Mello Breyner Andresen e dois anos depois do início das conversações entre os familiares da poetisa e os responsáveis da Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), o espólio da mulher de letras vai ser doado àquela instituição, numa cerimónia marcada para amanhã, às 16h00.
São centenas de documentos de vários tipos – desde versões diferentes de poemas ou de contos a traduções, de receitas de cozinha (!) a agendas que registavam os seus afazeres quotidianos. Sophia tinha em casa armários cheios de papéis de que não conseguia desfazer-se e, a partir de amanhã, tudo ficará guardado na BNP, e, posteriormente, disponibilizado ao público.

Correio da Manhã.

domingo, 23 de janeiro de 2011

Prémio Universidade de Coimbra 2011 distingue Maria de Sousa


A professora Maria de Sousa, do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, é a distinguida com o Prémio Universidade de Coimbra 2011, um galardão dotado de 25 mil euros e que este ano cumpre a sua 8ª edição.

Distingue uma investigadora que tem um percurso indiscutivelmente importante no cenário da construção de um sistema científico em Portugal em modelos internacionais”, no início da década de 80, realçou Fernando Seabra Santos, reitor da Universidade de Coimbra (UC), no momento de anunciar a escolha.

Público.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Leonor Silveira condecorada pelo governo francês



A actriz portuguesa, conhecida pela participação em vários filmes de Manoel de Oliveira, vai ser distinguida com a Ordem das Artes e Letras do governo francês, foi hoje anunciado.
Leonor Silveira receberá o Grau de Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras de França no dia 25 na embaixada francesa em Lisboa.
A condecoração corresponde a uma das mais altas distinções honoríficas da República Francesa e homenageia personalidades que se destacaram pela sua contribuição na difusão da cultura em França.
Antes de Leonor Silveira, esta condecoração foi atribuída, em anos recentes, a personalidades da cultura portuguesa como o escritor António Lobo Antunes, o encenador Joaquim Benite, a actriz Maria de Medeiros e as fadistas Mísia e Mariza. In Diário de Notícias.

Dudamel em Lisboa!



Hoje, sexta-feira, e sábado o jovem maestro venezuelano apresenta-se na Fundação Gulbenkian à frente da Los Angeles Philharmonic, que dirige desde 2009
Num momento em que uma nova geração de figuras ganha visibilidade no panorama internacional da música clássica, ao maestro venezuelano Gustavo Dudamel cabe o papel de ser um dos rostos mais bem sucedidos entre os que ganharam visibilidade já em pleno século XXI. A caminho de celebrar este mês os 30 anos, conta já no currículo com uma carreira de sucesso à frente da Orquestra Simón Bolívar (com a qual já gravou vários discos para a Deutsche Grammo- phon), uma rara capacidade em entusiasmar plateias e, desde 2009, a direcção da Los Angeles Philharmonic.

Diário de Notícias.

Santa Maria: foi há 50 anos!



Salazar nunca imaginou o que viria a suceder: há 50 anos, na madrugada de 22 de Janeiro, um comando revolucionário constituído por portugueses e espanhóis, liderado por Henrique Galvão e por Jorge Soutomaior, tomou de assalto, em pleno mar das Caraíbas, o luxuoso paquete português ‘Santa Maria’ – na troca de tiros morreu um dos 350 tripulantes e outro ficou gravemente ferido, mas nenhum dos 612 passageiros foi atingido.
O nome do navio mudou. Passou a ser ‘Santa Maria Liberdade’.

Correio da Manhã.
Diário de Notícias.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Ainda que premiado internacionalmente... Filme português fora das nomeações dos Óscares


O filme de João Pedro Rodrigues foi excluído dos finalistas que disputam uma nomeação para a estatueta de melhor filme estrangeiro.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos divulgou esta quarta-feira, 19, em Los Angeles, Califórnia, uma lista de nove títulos finalistas para a categoria de melhor filme em língua não inglesa que tenha estreado comercialmente nos Estados Unidos em 2010.

Diário de Notícias.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Fevereiro no TEMPO dedicado a Saramago



Um ano após a sua morte, o Nobel da Literatura José Saramago é objecto de homenagem no TEMPO – Teatro Municipal de Portimão. A programação de Fevereiro inclui projecção de filmes, uma exposição, uma leitura partilhada e um concerto, pela Orquestra do Algarve, dedicado ao escritor.
Entre os dias 4 (inauguração às 21h00) e 26 de Fevereiro, a sala de exposições do TEMPO vai ter patente uma mostra de fotografias da rodagem do documentário ‘José e Pilar'. A entrada é livre e a exposição pode ser visitada de terça-feira a sábado das 14h00 às 19h00 e em dias de espectáculo das 14h00 às 21h30.

Correio da Manhã.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Francisco Tropa representa Portugal

Francisco Tropa é o representante de Portugal na 54.ª Exposição Internacional de Arte - La Biennale di Venezia.

A indicação do artista que ocupará o Pavilhão de Portugal na próxima Bienal de Veneza foi feita pelo comissário Sérgio Mah, nomeado curador desta representação oficial pelo despacho conjunto do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Ministério da Cultura através da sugestão da Direcção-Geral das Artes, instituição responsável pela organização e produção da participação nacional na bienal internacional de arte. A bienal apresenta uma grande exposição colectiva e dezenas de pavilhões nacionais que reúnem na cidade italiana centenas de artistas do mundo inteiro. A exposição da 54.ª edição da Bienal de Veneza decorrerá de 4 de Junho a 27 de Novembro de 2011, sob o título "Iluminações". In Diário de Notícias.

domingo, 16 de janeiro de 2011

Universidade de Coimbra é a primeira a chegar ao iTunes U

A Universidade de Coimbra estreou-se como a primeira instituição de ensino superior portuguesa a marcar presença na plataforma iTunes U – especialmente concebida para os estabelecimentos académicos.
Através da iTunes Store, da Apple, os utilizadores vão poder descarregar de forma livre e gratuita vários conteúdos, como áudio e vídeo, relacionados com o ensino superior.

Público.

Paris recebe Lobo Antunes



O espectáculo ‘Estado Civil’ abre hoje em Paris uma temporada teatral de seis meses dedicada a António Lobo Antunes, que irá dia 25 à capital francesa para o lançamento da tradução de ‘O Meu Nome é Legião’, 25ª das obras do português.

"É a maior homenagem de sempre feita em França a um escritor português vivo", declarou a editora francesa de António Lobo Antunes, Dominique Bourgois.
Luís Miguel Cintra e Maria de Medeiros integram o elenco de nomes envolvidos no projecto. Entre Janeiro e Junho, haverá 50 noites dedicadas ao escritor, entre leituras e representações em cena a partir dos seus romances e suas crónicas e cartas. In Correio da Manhã.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Adeus a Jorge de Amorim



Após longa e penosa enfermidade, faleceu o poeta Jorge de Amorim, também conhecido entre a Comunidade portuguesa como o professor Manuel de Oliveira, já que dedicou grande parte dos últimos anos da sua vida a leccionar a língua de Camões em Valência, Maracay e zonas vizinhas.
Jorge de Amorim, que faz parte de uma antologia de Jorge de Sena – o que é muito dizer – e de muitas outras, nasceu em Gandra, concelho de Paredes, no ano de 1928.
Depois de terminar os estudos do liceu em Portugal, foi para Espanha onde seguiu estudos de filosofia e teologia. Posteriormente, na primeira metade da década de 60 do século passado, encontramo-lo na Inglaterra e na Irlanda onde estuda idiomas modernos.
A partir de 1966 vive na Venezuela, onde se desempenha como professor e trabalha no campo administrativo do Ministério de Educação.
A sua bibliografia compõe-se de quase 20 obras, várias delas ainda por publicar.
Amava a poesia e o seu amor por esta forma de expressão está condensado neste seu pensamento: “Prosa? Amo-a muito. Mas o meu compromisso é, desde sempre, só com o mais difícil.”
À família, amigos e leitores a nossa palavra de sentidas condolências.
Na hora da despedida fazemo-lo com este poema tirado de Os Oráculos:

Réquiem

Tangem.
Para o eterno plangem.

Campanados céus.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Mão portuguesa na Sagrada Família



Quem entrar na nave central da Basílica da Sagrada Família, em Barcelona, estará a pisar pavimento de cortiça portuguesa.
A equipa responsável pelas obras de uma das catedrais mais visitadas em todo o Mundo escolheu a matéria-prima da Corticeira Amorim por achar que respeita a filosofia do arquitecto catalão Antoni Gaudí, seguidor de materiais naturais.

Correio da Manhã.

Finalistas do prémio literário Correntes d'Escrita

O júri do prémio literário Casino da Póvoa/Correntes d'Escrita seleccionou dez das 150 obras a concurso e o vencedor é conhecido a 23 de Fevereiro na sessão pública de abertura do encontro.
Este prémio, que tem um valor de 20 mil euros, distingue este ano a poesia. O júri selecionou os livros "Inexistência de Eva" (de Filipa Leal), "Deriva Anthero, Areia & Água" (Armando da Silva Carvalho), "Arado" (A. M. Pires Cabral), "Curso Intensivo de Jardinagem" (Margarida Ferra), "Guia de Conceitos Básicos" (Nuno Júdice), "Mais Espesso que a Água" (Luís Quintais), "ecrophilia" (Jaime Rocha), "O Anel do Poço" (Paulo Teixeira), "O livro do sapateiro" (Pedro Tamen) e "O viajante sem sono" (José Tolentino Mendonça).

Diário de Notícias.

Maria do Carmo Fonseca vence Prémio Pessoa

A cientista Maria do Carmo Fonseca venceu o Prémio Pessoa 2010, anunciou o presidente do júri, Francisco Pinto Balsemão, no Palácio de Seteais.

O Prémio Pessoa, no valor de 60 mil euros, é promovido pelo jornal Expresso com o patrocínio da Caixa Geral de Depósitos e destina-se a reconhecer pessoas de nacionalidade portuguesa que protagonizaram uma intervenção relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica do país.
O júri do Prémio Pessoa é presidido por Francisco Pinto Balsemão, tendo como vice-presidente Fernando Faria de Oliveira. Integra ainda Alexandre Pomar, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, Eduardo Souto Moura, João José Fraústo da Silva, João Lobo Antunes, José Luís Porfírio, Maria de Sousa, Mário Soares, Miguel Veiga, Rui Baião e Rui Vieira Nery.
D. Manuel Clemente, Bispo do Porto e presidente da Conferência Episcopal de Cultura, Bens Culturais e Comunicações, foi o vencedor do Prémio Pessoa 2009. In Diário de Notícias.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Cinema atrai mais 848 mil

É o registo mais elevado dos últimos cinco anos: as salas de cinema nacionais atraíram 16,6 milhões de espectadores em 2010, mais 848 mil pessoas do que no ano anterior.

A este número, divulgado ontem pelo Instituto do Cinema e do Audiovisual, correspondem mais receitas: registaram-se 82,2 milhões de euros nas bilheteiras, mais 11,3 por cento do que no ano anterior.

Correio da Manhã.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Clube Literário do Porto premeia Vasco Graça Moura


O Clube Literário do Porto decidiu distinguir o escritor Vasco Graça Moura pela sua carreira.
O clube quis distinguir o escritor natural do Porto pelo contributo nos géneros da Poesia, Ficção, Ensaio e Tradução.

Vasco Graça Moura irá receber 25 mil euros. In Correio da Manhã.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

‘Mistérios de Lisboa’ vence prémio de prestígio em França



O filme de Raúl Ruiz, ‘Mistérios de Lisboa’, venceu o Prémio Louis Delluc, que distingue o melhor filme do ano em França.
A obra, protagonizada por Maria João Bastos, levou a melhor face a outras obras como ‘O Escritor Fantasma’, de Roman Polanski, ‘Carlos’, de Olivier Assayas, ‘Des Filles en Noir’, de Jean-Paul Civeyrac, ‘Dos Homens e dos Deuses’, de Xavier Beauvois, ‘La Princesse de Montpensier’, de Bertrand Tavernier, ou ‘White Material’ de Claire Denis.

Correio da Manhã.
Público.

Obras de Nobel em dose dupla



Uma das principais novidades nas livrarias este ano foi escrita há seis décadas por um autor falecido em 2010. A Caminho lançará ‘Clarabóia’, segundo livro de José Saramago, após a estreia de ‘Terra do Pecado’ (1947), que foi na altura recusado pelo editor, o que levou o Nobel da Literatura de 1998 a ficar quase 30 anos sem escrever ficções.

Correio da Manhã.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Cinzas de Saramago em oliveira

Uma oliveira guardará as cinzas de José Saramago, no memorial a inaugurar diante da Casa dos Bicos, de Lisboa, a 18 de Junho. A data, que assinala o primeiro aniversário da morte do escritor, seria também ideal, segundo os responsáveis da Fundação Saramago, para a abertura da sede na Casa dos Bicos.

Várias iniciativas serão anunciadas ao longo de 2011, ano em que é provável a publicação do texto incompleto deixado pelo escritor, como disse Zeferino Coelho, editor e amigo do Nobel.

in Correio da Manhã

Caminho edita obra antiga de José Saramago - Correio da Manhã